Com crença no espiritismo família do designer Henrique diz: "Ele vai estar em outro plano, num lugar onde vamos nos encontrar”


Declaração foi dada no enterro do jovem, nesta manhã, em Santo André. Em nota, promotora diz que agressor agora será processado por homicídio.

Durante o enterro do designer Henrique de Carvalho Pereira, de 22 anos, na manhã deste sábado (23) no Cemitério Cristo Redentor, em Santo André, no ABC, o pai do jovem disse que o filho "partiu sem rancor". "Ele partiu sem rancor. Henrique era companheiro, amigo, feliz e sorridente. Registrei boletim de ocorrência porque era necessário, mas nada do que acontecer agora com ele [agressor] vai trazer meu filho de volta", afirmou Elifas Pereira Filho.

O sepultamento foi marcado por emoção e silêncio da família e dos amigos.

Em dezembro de 2009, Henrique foi golpeado com um taco de beisebol na cabeça, dentro da Livraria Cultura, na Avenida Paulista. Ele morreu na madrugada desta sexta-feira (22) depois de 10 meses em coma.

Elifas registrou boletim de ocorrência. “Registrei boletim de ocorrência, não sabia que tinha essa necessidade. É para mudar o processo que passa de lesão corporal para homicídio, mas para ser sincero, nada do que aconteça com ele [acusado], vai trazer meu filho de volta. Não que não me importe. Espero que ele faça um tratamento para poder voltar à sociedade sem agredir ninguém”, afirma Elifas.

A mãe do jovem, a professora Silvania de Carvalho Pereira, não quis falar com a imprensa. Emocionada, ela ficou ao lado do outro filho e do marido durante todo o sepultamento.

Os avós do designer estavam muito emocionados no enterro. A avó paterna disse que o próprio filho tentou conformar a família quando Henrique piorou.“Meu filho sofreu, mas já estava preparado, ele disse que era difícil, mas que era para nos conformar também”, afirmou Dolores de Carvalho Pereira, avó do designer.

Para a avó materna, Maria Rosa, a dor é grande. “É uma dor terrível, não dá para acreditar, queria estar no lugar dele”, afirma.

A família diz que acredita no espiritismo e que acha que Henrique foi para um plano melhor. “Éramos os primos mais próximos. Vou sentir falta dele, mas a gente acredita muito em outra vida, que ele vai estar em outro plano, num lugar onde vamos nos encontrar”, disse o primo Diego Lourenço.

Ele afirma que a família não tem raiva do acusado. “Eu sinto pena dele. A família não sente raiva, só pena dele, da família dele e do que ele causou”, disse.

Jovem estava em livraria

O destino do garoto talentoso, do designer recém-formado e já premiado que alegrou São Paulo com uma de suas obras na Cow Parade mudou pela violência. Na Livraria Cultura, da Avenida Paulista, Henrique aproveitava um dia de férias para folhear um livro quando foi brutalmente atingido na cabeça por um taco de beisebol.

O agressor, o professor de ginástica Alessandre Fernando Aleixo, estava em surto e era esquizofrênico, segundo laudo. “Acho que é importante quem tem uma pessoa dessa na família ter um cuidado necessário para que ela não saia causando essa dor totalmente alheia à vida deles, no caso”, afirmou Elifas.

Durante o tempo que passou internado, em coma, Henrique dormia, acordava, tinha alguns reflexos, mas não se comunicava. O cérebro traumatizado inflamou e, nos últimos 20 dias, ele vinha piorando. Nesta sexta-feira, às 5h30, Henrique morreu. Tinha completado 22 anos no hospital, no dia 16 de abril.

Denúncia

O Ministério Público de São Paulo, em nota à imprensa, informou que a promotora Maria Gabriela Ahualli Steinber, do 1º Tribunal do Júri da Barra Funda, fará aditamento à denúncia já apresentada à Justiça.

Com a morte de Henrique, o agressor, Alessandre Fernando Aleixo, deixará de ser processado por tentativa de homicídio e vai responder por homicídio consumado. A Promotoria também espera resultado do laudo pericial sobre Alessandre, que está preso no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, e aguarda transferência para um manicômio judicial.
Com crença no espiritismo família do designer Henrique diz: "Ele vai estar em outro plano, num lugar onde vamos nos encontrar” Com crença no espiritismo família do designer Henrique diz: "Ele vai estar em outro plano, num lugar onde vamos nos encontrar” Reviewed by Samuel Rodrigues on 16:36 Rating: 5
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.