Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador PASTOR. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PASTOR. Mostrar todas as postagens

Pastor é preso por assediar menina de 14 anos

Segundo o delegado Daniel Castro, da Polícia Civil, Ailton Neves Gonçalves, 42, pediu à jovem que ela lhe fornecesse fotos e telefone. 



Um pastor evangélico de 42 anos foi preso no início da tarde desta quarta-feira (14) por trocar fotos íntimas com uma garota de apenas 14 anos. Ailton Neves Gonçalves conheceu a adolescente no templo e vinha conversando com ela pela internet há cerca de duas semanas, quando combinou de se encontrar com ela, mas, no ponto marcado, uma equipe da Unidade Integrada Pro Paz do Guamá interviu e fez a prisão. 

A garota não fazia ideia do perigo que corria quando conheceu o pastor em um culto, enquanto visitava os avós em uma comunidade do interior do Estado, próximo ao município de Tucuruí, na BR-422. Lá, ele se aproximou da adolescente e pediu seu número de telefone. Ao chegar a Belém, começaram a trocar mensagens. Ele puxava assunto e depois começou a falar para ela mandar fotos das partes íntimas. 

 “Ele se diz ‘profeta’ e falava para ela que ele sonhava que ela ia morrer ou ficar aleijada caso ela não mandasse as fotos”, contou a mãe, que preferiu não se identificar. Ela começou a suspeitar que tinha algo errado quando percebeu que a filha passava muito tempo no celular depois que dizia que ia dormir e, ao olhar as mensagens salvas em seu celular, ficou assustada com o que viu. 

“As coisas que vi foram horríveis. Depois disso, peguei o celular dela e comecei a conversar como se fosse ela para descobrir mais informações sobre ele”, relatou. Uma amiga da mãe, inclusive, chegou a mandar mensagens para o pastor, como se estivesse interessada nele, para ver se chegava a mais descobertas. Ele respondeu para ela que mora no bairro da Cremação, é casado e que tem uma filha de dois anos, o que não havia revelado à garota. Imediatamente, a mãe e o padrasto também tomaram a decisão de ir à UIPP do Guamá fazer a denúncia. Já sob orientações do delegado Daniel Castro, a garota aceitou por mensagem o convite do pastor de ir à casa dele. Eles combinaram de se encontrar próximo ao Terminal Rodoviário de São Brás. 

Chegando lá, a polícia o abordou, ao passo que ele foi logo dizendo: “Não sou eu, não sou eu”, antes mesmo que os policiais pudessem fazer qualquer pergunta. 

 MAIS VÍTIMAS

 O delegado suspeita que mais garotas tenham sido vítimas do criminoso. Aliás, ele chegou a pedir que a adolescente mandasse fotos e telefone de primas e amigas dela da mesma idade. Ailton segue à disposição da Justiça e vai responder por armazenar conteúdo pornográfico infantil. “Vamos analisar agora o celular dele e investigar a possibilidade de ele ter agido contra outras adolescentes e ter cometido outros crimes”, informou o delegado Castro.

Gospel Channel com F.P
Foto: Mauro Ângelo/Diário do Pará

Pastor suspeito de abuso contra enteado deixa prisão no Rio

Justiça concedeu alvará de soltura de Felipe mesmo sem tornozeleiras. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por estupro de vulnerável.



Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) O pastor Felipe Garcia Heiderich, suspeito de abuso sexual contra o enteado de 5 anos, deixou o complexo penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio, na madrugada deste domingo (10), como informou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Neste sábado (9), o desembargador Murilo Kieling concedeu alvará de soltura do Heiderich, mesmo sem tornozeleiras eletrônicas. O equipamento parou de ser fornecido ao governo porque a empresa responsável não recebe do estado desde setembro. Anteriormente, a Justiça havia determinado a prisão domiciliar do pastor. 

Segundo o magistrado, o Ministério Público já havia se posicionado de maneira favorável pela soltura nestas condições. De acordo com a denúncia do MP, o pastor teria cometido os atos libidinosos contra o menino diversas vezes. Ele foi denunciado por estupro de vulnerável e, de acordo com o documento, a prática ocorreu até o dia 11 de junho deste ano. A denúncia do promotor Luiz Otávio Lopes foi oferecida com base na investigação da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). O MP também requereu ao Juízo a revogação da prisão temporária do acusado, por entender já ter sido possível obter na fase de investigação os elementos necessários para a propor a denúncia.

Felipe foi preso na segunda-feira (4), em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, depois de ser denunciado à DCAV pela própria mulher. Por ordem da Justiça, que decretou sua prisão preventiva, ele foi levado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, também na Zona Oeste. 

Na noite de quarta-feira, a desembargadora Maria Sandra Kayatd, da 1ª Câmara Criminal do Rio, negou pedido de habeas corpus feito pela defesa de Felipe. Segundo a Polícia Civil, a pastora Bianca procurou a delegacia no dia 22 de junho para denunciar o crime. Foi instaurado inquérito e reunidas provas que embasaram o pedido de prisão preventiva. 

 Na tarde desta quarta-feira (6), o advogado Leandro Meuser usou o perfil do pastor no Facebook para afirmar que são falsas as acusações contra o seu cliente. Segundo o defensor, “a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade”.

Gospel Channel

Cadeia Nele: Pastor evangélico suspeito de abusar crianças é preso em Indaiatuba, SP

Um pastor de 62 anos de uma igreja evangélica de Indaiatuba (SP) foi preso na manhã desta terça-feira (19) por suspeita de abusar sexualmente de três crianças. As vítimas, duas irmãs de 7 e 11 anos e a tia delas, de 12 anos, eram molestadas há três anos. 

A investigação da Polícia Civil começou há dois meses e incentivou outras vítimas a prestarem depoimento contra o suspeito. Segundo a corporação, o primeiro caso envolvendo José Iran Alves da Silva ocorreu em 1993. Segundo a Polícia Civil, os abusos atuais aconteciam na casa do pastor. Os pais contaram que tinham uma relação de confiança com o suspeito e quando precisavam, deixavam as meninas sob os cuidados das filhas dele. 

Após os abusos, ele ameaçava as crianças e oferecia dinheiro para elas não falarem nada. No entanto, uma das vítimas escreveu uma carta aos pais para relatar os acontecimentos. O pai, que é policial militar, entregou o documento à polícia.



O mandado de prisão saiu na quinta-feira (14), mas o pastor se entregou apenas nesta manhã e negou os crimes. A defesa do pastor disse que o dinheiro dado às vítimas era para a compra de material escolar e doces, quando ele também dava para as filhas. 

Outros crimes 

Durante a investigação, a polícia descobriu que o pastor já tinha sido indiciado por abuso sexual em 1999. Ele teria aliciado duas crianças. Na época, o irmão dele também era suspeito de estupro, mas o inquérito foi arquivado. A polícia acredita em mais vítimas, já que pelo menos oito testemunhas deste caso disseram que também foram abusadas, mas preferiram não registrar a denúncia. 

Ele era pastor há mais de 30 anos e ministrou o último culto na terça-feira (12). 

 Afastamento 

 No entanto, o vice-presidente da Assembleia de Deus de Indaiatuba, Newton Oliveira Lima, afirma que o pastor pediu o afastamento há dois meses, quando foram iniciadas as investigações sobre os casos de abuso. "Ele pediu voluntariamente o afastamento em cima das acusações que estão sendo apontadas em cima dele.



Ele alegou inocência para a igreja e pediu o afastamento para fazer a sua defesa judicialmente", explica. Newton ainda afirma que só recebeu denúncias a respeito do pastor após seu afastamento. Segundo a Polícia Civil, a Justiça acatou o pedido e determinou a prisão preventiva do suspeito, que vai ser encaminhado à cadeia anexa ao 2° Distrito Policial (DP).

Gospel Channel com informações do G1 Campinas/ EPTV

Pastor faz fiéis engolirem cobra e garante: 'Vai virar chocolate'


Um pastor evangélico em Pretória (África do Sul) estava causando polêmica com uma liturgia pouco ortodoxa: Prophet Penuel faz os fiéis da sua congregação engolirem cobra viva. Segundo o religioso, o réptil se transforma em chocolate, contou reportagem do "Metro". 




A página da igreja no Facebook diz que a iniciativa de Penuel funciona, graças à fé dos seus integrantes. 

"Eu fiz e senti o gosto do chocolate. Era diferente, mas o gosto era bom", afirmou um fiel na rede social.

"Eu não estava seguro na primeira vez, mas quando mordi a cobra percebi que era o melhor chocolate que eu havia comido", relatou outro membro da comunidade religiosa End Times Disciples Ministries.



 Penuel defende a crença da transformação divina. No início deste ano, o pastor já havia causado polêmica ao pedir para os fiéis tirarem as roupas para que ele pudesse se sentar sobre os corpos nus e orar.

Gospel Channel com PNF
Reprodução/Facebook(End Times Disciples Ministries)

O pastor-candidato que pode levar a eleição presidencial para o 2º turno

Líder da Assembleia de Deus, maior igreja evangélica do país, pré-candidato do PSC usa discurso liberal e conservador para conquistar insatisfeitos com Dilma.

A cinco meses das eleições, pela primeira vez, pesquisas de intenções de votos indicaram que a disputa pelo Palácio do Planalto não deverá ser decidida no dia 5 de outubro, cenário que já tira o sono da presidente Dilma Rousseff e dos idealizadores da sua candidatura à reeleição. A queda de Dilma nas sondagens feitas pelos institutos de pesquisa provocou o natural crescimento das intenções de votos dos seus adversários.


PASTOR EVERALDO PEREIRA - PSC | PRÉ-CANDIDATO A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Na última rodada de pesquisas, um nome chamou a atenção no meio político: com 3% da preferência do eleitorado, segundo o Datafolha, o pastor Everaldo Pereira, do nanico Partido Social Cristão (PSC), pode ser decisivo para levar a eleição para o segundo turno. O desempenho do pastor Everaldo nas pesquisas recentes evidencia o peso de um segmento da sociedade brasileira que, em 2010, ultrapassou 42 milhões de pessoas: os evangélicos. Everaldo é vice-presidente nacional do PSC e pastor auxiliar da Assembleia de Deus, maior igreja evangélica do país, com 12,3 milhões de fieis – 28% do total.

Ele nasceu e foi criado na Assembleia de Deus Ministério Madureira – dissidência fundada no Rio de Janeiro que, estima-se, reúne a segunda maior quantidade de seguidores, superada apenas pelo Ministério Belém, o mais tradicional. É fato que a pré-candidatura de Everaldo possui uma série de fragilidades e seria difícil encontrar alguém hoje que apostasse na sua vitória. 

O PSC é um partido pequeno, ainda não tem nenhuma aliança formalizada e deve conseguir tempo reduzido no horário eleitoral na TV – cerca de 1 minuto e 30 segundos. O maior ativo do PSC é justamente o potencial de votos que o pastor pode arregimentar no meio religioso, caso consiga unificar os apoios declarados das igrejas pentecostais e neopentecostais. Para isso, terá de desenvolver propostas convincentes que ainda são uma incógnita até para os líderes evangélicos. "Uma grande parte dos evangélicos vota apenas por causa da palavra 'pastor'", vaticina o bispo Robson Rodovalho, fundador da Sara Nossa Terra e ex-deputado federal . 

"Há uma pré-disposição geral do evangélico e do cristão em ver o pastor Everaldo com bons olhos. Grande parte das igrejas tende a estar com ele, se ele conseguir responder às expectativas na formação das demais agendas." A tendência é que Everaldo receba adesão de igrejas que tradicionalmente indicam voto em candidatos antipetistas, enquanto a presidente Dilma deve manter a aliança com a Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo, cuja moeda de troca é o Ministério da Pesca, hoje chefiado pelo pastor Eduardo Lopes (PRB). 

Igrejas tradicionais, como a Batista e Presbiteriana, tendem a "liberar o voto", sem indicar candidatos. A Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab), que reúne líderes das principais igrejas evangélicas, definirá na próxima semana um calendário de sabatinas com a presidente Dilma, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB). A entidade quer conhecer o posicionamento dos três pré-candidatos mais bem posicionados nas pesquisas sobre os valores cristãos. 

"O evangélico busca alguém que o represente na questão do aborto, do casamento tradicional, vida, família e que valorize a fé e a igreja. Estamos num momento muito intenso, de muita pressão e militância das minorias", afirma Rodovalho. No caso de Everaldo, que também será convidado, as igrejas querem descobrir que plano de governo ele apresentará ao país. "As pessoas já sabem o que o pastor Everaldo defende: sou a favor da vida sempre, e casamento para mim é entre homem e mulher", diz Everaldo. Privatização – O pastor se define como um político liberal-conservador, de centro-direita, e prega o Estado mínimo. 

Promete reduzir a cota de cargos comissionados no governo federal e manter apenas vinte ministérios: "Nós vamos passar tudo o que for possível para a iniciativa privada. Vamos privatizar de verdade, não esse engodo aí de concessão com dinheiro do BNDES". "O balanço contábil é uma maquiagem, os setores produtivos estão penalizados, com carga tributária de primeiro mundo e serviços prestados de submundo. As desonerações são analgésicos e não vão ao cerne da questão", critica. Everaldo defende a redução da maioridade penal, fala em reequipar as Forças Armadas e as polícias. Uma das apostas dele é incentivar a formação profissionalizante na educação militar. Sobre os protestos de rua, afirma que teria "tolerância zero com baderneiros". 

"O governo implantou a desordem nesse país. O cidadão de bem está preso em casa e os bandidos estão nas ruas", diz. Ele convidou o ex-senador Marcondes Gadelha (PSC-PB) para coordenador o programa de governo e Antonio Cabrera, ex-ministro da Agricultura de Fernando Collor, para criar as propostas nos setores agrícola e ambiental. Suas inspirações são dois políticos mineiros, o ex-vice-presidente Pedro Aleixo e o ex-presidente Itamar Franco: "Ele arrumou o país e elegeu um sucessor que não era do seu partido [Fernando Henrique Cardoso]". PT – Com discurso de oposição, Everaldo nem parece um ex-apoiador da presidente Dilma. Nas eleições de 2010, o PSC chegou a negociar o apoio ao tucano José Serra, mas fechou aliança com a petista. 

O pastor participou inclusive da frente evangélica em defesa da presidente no debate sobre a legalização do aborto, que marcou a campanha. Em março deste ano, o PSC anunciou o desembarque da base de Dilma. Everaldo afirma que a legenda havia optado por lançar um candidato à Presidência há dois anos. "Nós decidimos ter candidato próprio em janeiro de 2011, porque o governo do PT aparelhou o Estado para atender seus interesses partidários. Nós não indicamos nem um garçom", diz Everaldo. 

"O governo deixou de ser dos brasileiros para ser de um partido só, para a hegemonia de um sistema que está vencido no mundo. Não queremos que o Brasil se torne uma Cuba nem uma Venezuela." Everaldo nega que a candidatura do PSC tenha sido influenciada pela superexposição que a legenda ganhou ao emplacar o deputado Marco Feliciano (SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos na Câmara. Ao dar espaço a projetos de lei incentivados por religiosos, o parlamentar foi atacado por partidos de esquerda. "Foram uns detratores e baderneiros. Pior que o Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos foram os mensaleiros na Comissão de Constituição e Justiça", diz Everaldo. Palanques – Além do provável voo solo na disputa pela Presidência, o PSC tentará dobrar a bancada na Câmara – hoje tem doze cadeiras – e eleger, pela primeira vez, um governador de Estado. 

Nos principais colégios eleitorais brasileiros, porém, o partido não terá candidatos próprios por estar vinculado aos nomes situacionistas – fator desfavorável à candidatura de Everaldo. O PSC apoia gestões do PSDB em Minas Gerais, no Paraná, onde indicou o deputado Ratinho Júnior para uma secretaria estadual, e em São Paulo, com a nomeação de Gilberto Nascimento Júnior para a chefia adjunta da pasta de Desenvolvimento Metropolitano. 

No Rio, o PSC abocanhou duas secretarias no governo Sérgio Cabral (PMDB): Ronald Ázaro (Turismo) e outra com o filho de Everaldo, deputado Filipe Pereira (Prevenção à Dependência Química). Na contramão, Everaldo garantiu recentemente espaço nos palanques do senador Pedro Taques (PDT), candidato ao governo de Mato Grosso, e do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), postulante ao governo do Rio Grande do Norte. Agora, negocia apoio ao senador Lobão Filho (PMDB) à sucessão do clã Sarney no governo do Maranhão. 

É o que o pastor chama de "remover as pedras no caminho", em alusão a passagens bíblicas. Fiel a sua religiosidade e confiante em uma intervenção divina para chegar ao Palácio do Planalto, Everaldo repete quase em ladainha: “Sou um homem de fé e acredito em milagre”.

Gospel Channel Brasil - VEJA

Fundador da Maranata deixa presídio e está em prisão domiciliar no ES

Gedelti Gueiros recebeu benefício por ter mais de 80 anos. Ele não poderá se reunir com outros pastores ou sair da Grande Vitória 

O pastor Gedelti Gueiros, fundador e ex-presidente da Igreja Cristã Maranata (ICM), teve a prisão convertida em domiciliar. Ele deixou o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Viana, nesta terça-feira (25), e foi para casa, no bairro Praia da Costa, em Vila Velha. O benefício foi concedido, com restrições, por ele ter mais de 80 anos.

Gedelti Gueiros foi detido em casa, na segunda-feira (24), por decisão judicial. A Justiça acatou a denúncia do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) e mandou prender 10 integrantes da Igreja Maranata. De acordo com o promotor de Justiça Paulo Panaro, os membros denunciados e afastados continuavam participando da administração e praticando crimes como estelionato de forma indireta.

O advogado Fabrício Campos, que faz a defesa de Gedelti, informou que entrou com o pedido de habeas corpus ainda na segunda-feira, pedindo a revogação da prisão preventiva. "Em liminar, foi dada a prisão domiciliar até o tramite final, em virtude da idade avançada do pastor", conta.

Entre as restrições, Gedelti está proibido de ir aos maanains - locais de encontros e reuniões dos membros da igreja -, a reuniões no Presbitério de Vila Velha e de manter contato com administradores da igreja ou testemunhas no processo. Terá ainda que entregar seu passaporte e não poderá sair da Grande Vitória.

Segundo o promotor Paulo Panaro, são as mesmas proibições feitas em março, quando o fundador da ICM também esteve em prisão domiciliar, e que teriam sido descumpridas na época. "Embora haja uma ordem judicial afastando-os da administração, os acusados continuavam praticando os mesmos atos ilícitos de forma indireta. Ficou claro que o ex-presidente da instituição continuava participando da administração, várias testemunhas prestaram depoimentos que relatavam essa participação", falou Panaro.

O advogado Fabrício Campos nega o descumprimento. "Todas as condições foram cumpridas. Gedelti nunca saiu de casa sem autorização do juiz. Depois, a prisão foi revogada. As proibições de comparecimento a locais onde não poderia comparecer foram revogadas por prejudicar a atividade pastoral. Ele nunca violou qualquer determinação judicial", afirma.

Presos

Além de Gedelti, o pastor Arlínio de Oliveira Rocha também está em prisão domiciliar, por problemas de saúde. Antônio Angelo Pereira dos Santos, Antonio Carlos Rodrigues de Oliveira, Antonio Carlos Peixoto, Amadeu Loureiro Lopes, Jarbas Duarte Filho, Leonardo Meirelles de Alvarenga e Wallace Rozetti permanecem no Centro de Detenção provisória (CDP) de Viana. Carlos Itamar Coelho Pimenta, advogado e militar aposentado, está preso no Quartel da Polícia Militar, em Vitória.

Denúncia

Em maio, dezenove membros da Igreja Cristã Maranata, incluindo pastores, foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público Estadual (MP-ES) pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e duplicata simulada. Eles teriam praticado desvio de dízimo da igreja, envolvendo uma movimentação financeira de R$ 24,8 milhões, segundo o próprio MPES. Antes, em março, Gedelti e outros três membros da ICM haviam sido presos por coagir testemunhas do inquérito que investiga a igreja.

 
© 2008-2013 Gospel Channel Brasil  - Amanda Monteiro - G1
Contato: gospelchannel@globomail.com

Pastores vão à escola aprender liderança

Responsáveis por liderar uma comunidade de 42,3 milhões de pessoas, segundo o IBGE, pastores evangélicos têm buscado melhorar sua formação com cursos de especialização para o cargo. 

As disciplinas alternam noções de teologia e entendimento da Bíblia com conceitos de administração e estratégias de liderança. 

Entre 2000 e 2010, os evangélicos aumentaram sua fatia na população de 15,4% para 22,2%, impulsionando também a demanda por pastores e, consequentemente, a criação de cursos e escolas para sua formação. 

Na Faculdade de Educação Teológica de São Paulo, o curso é on-line e tem duração de cerca de um ano, ao custo de R$ 999. O material didático consiste em 101 apostilas, com lições de antropologia, código civil e penal, administração eclesiástica, didática e ética, entre outras. 

Na aula de administração, por exemplo, são ensinados conceitos clássicos como o PODC (planejar, organizar, decidir, controlar), da obra Administração, de James Stoner e Edward Freeman. 

Na estrutura organizacional, um pastor tem a incumbência de um profissional na área de marketing e vendas, analisa Antonio Sauaia, professor da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade). 

Ao término das disciplinas, o pastor Lawton Ferreira (foto), coordenador do curso, oferece consultorias nas igrejas para acompanhar a prática dos pastores. Os pastores precisam melhorar a capacidade de liderança, de coordenar equipes, afirma Ferreira. 

Lawton também ensina técnicas para melhorar a comunicação com o público, como utilizar linguagem mais acessível durante os cultos. 

O pastor Emerson Acioli, 32, afirma que o curso o ajudou a desenvolver uma base teórica para construir seus discursos nas cerimônias. 

Nos primeiros cinco meses, teve dificuldade em compreender a linguagem dos textos, conta. Hoje, ele afirma receber uma remuneração mensal de R$ 1.500, além de ter a moradia garantida pela igreja onde ministra os cultos, mas não possui direitos trabalhistas e recolhe o INSS como autônomo.

NOVO CURSO
 
Lawton pretende lançar um novo módulo, com o nome de Atividade Pastoral na Contemporaneidade. O objetivo desse novo curso é aumentar a expansão dos fiéis na igreja. Segundo

Lawton, sua nova técnica, que consiste em convencer os fiéis de que possuem os mesmos poderes de um pastor, fará a igreja angariar cerca de 8.000 seguidores por ano. 

Métodos de administração para multiplicação de membros são também objeto de aulas na Faculdade Gospel, que mantém desde 1994, em um curso criado pelo pastor Omar Silva da Costa. 

Segundo a escola, são ensinadas práticas usadas pelas igrejas Mundial e Universal do Reino de Deus. O curso tem ainda disciplinas como Estresse e Depressão ou Como Trabalhar com Homossexuais. 

Apesar da multiplicação dos cursos e da perspectiva de altos salários o pastor Silas Malafaia, da Associação Vitória em Cristo, causou polêmica ao afirmar que os salários de seus pastores variam de R$ 4.000 a R$ 22 mil, a carreira religiosa ainda enfrenta percalços. 

No fim do ano, o Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o vínculo empregatício entre um pastor evangélico e a igreja Universal do Reino de Deus. 

O pastor Glauber Alencar, da Assembleia de Deus do Bom Retiro em São Paulo, central de cerca de 150 filiais na cidade, diz que a profissionalização do pastor, ou seja, seu reconhecimento como empregado, é uma discussão frequente dentro das igrejas. 

Alencar defende a criação de um plano de carreira para os pastores, além de benefícios sociais, como plano de saúde e previdência, de modo a inserir uma gestão mais próxima à de uma empresa. 

Segundo ele, a ideia encontra resistência em setores da comunidade evangélica, sobretudo em relação a remuneração por comissão, ou seja, proporcional ao número de seguidores angariados. A Assembleia de Deus, por exemplo, é contra essa ideia.

CLARA ROMAN COLABORAÇÃO PARA A FOLHA 
GOSPEL CHANNEL BRASIL - gospelchannel@globomail.com

Igreja de Texas continua acreditando em Jesus depois da morte de pastor

“Nós estamos no tempo em que a escuridão talvez nos há envolto, e no meio da tragédia, dura, tempos horríveis mesmo quando nós não podemos ver, nós podemos continuar acreditando em Jesus,” pregou Dr. Dennis Wiles, pastor principal da Primeir Igreja Batista de Arlington.

“Nós vamos continuar acreditando,” enfatizou ele. “A verdade não tem sido revogada até hoje mesmo em face a tal trágica violência.

A Igreja de Texas está sofrendo a perda de Clint Dobson, que liderou a Igreja Batista NorthPointe – o ministério satélite da FBCA. Ele foi assassinado terça-feira na NorthPointe, com 28 anos.O assistente de Dobson, Judy Elliott, permanece hospitalizada.

A polícia prendeu Steven Lawayne Nelson, 24, como suspeito do assassinato. Novos relatórios na segunda-feira, indicam Dobson foi morto por asfixia durante o assalto.

O trágico assassinato deixou a congregação em choque. Afinal, Dobson era membro da família, não somente funcionário, como afirmou Dr. Barry Rock, pastor associado de adoração.

Mas no domingo, os pastores da FBCA deixaram seus elogios para quarta-feira – quando o funeral de Dobson iria acontecer – escolhendo ao invés disso, dedicar o sábado ao Senhor.

“Clint não iria querer seu funeral hoje. Esse é o dia do Senhor,” disse Wiles.

Todavia, Wiles fez algumas anotações do louvor sobre Dobson e baseou o seu sermão sobre perseverar através de desafios.

Antes de fazer parte da equipe com a família Primeira Batista, Dobson era estudante de seu Seminário Teológico Truett. Ele se destacou não apenas como uma pessoa gentil mas também como um comunicador talentoso – ele foi nomeado o pregador excelente do ano.

Embora lamentando a perda de seu ex-aluno e pregador companheiro, Wiles direcionou a congregação de volta à palavra de Deus para o conforto, esperança e verdade.

A verdade é que não haverá problemas, aflições e momentos trágicos na vida do crente.

"Você vai ser testado," disse o pastor disse. Mas os Cristãos precisam aprender a suportar e perseverar.

"A única maneira de crescer na resistência é passar por momentos de tribulação," disse ele. "A Bíblia nos ensina que Deus pode usar esses momentos difíceis ... e trazer qualidades dentro de nós que nos permitam ser melhores seguidores de Jesus.

"Nós temos que aprender a perseverar e passar por tempos de turbulência. Agitação não é permanente. É sazonal."

Há, inevitavelmente, questões, reconheceu Wiles.

Onde estava Deus? Deus não poderia tê-lo parado? Deus não poderia ter intervido para salvar a vida de um jovem pregador?

"O que ele diz sobre a Bíblia, sobre o Cristianismo, sobre o nosso Deus?"

Por Audrey Barrick|Repórter do Christian Post
Traduzido por Amanda Gigliotti

Pastor da igreja Batista diz que sofreu abuso sexual por duas mulheres e um homem


Pastor diz que teve carro roubado e foi obrigado a ir para motel praticar atos sexuais que foram fotografados para chantagens.

Um pastor evangélico da Igreja Batista teve o carro pertencente à igreja e que estava em sua posse, roubado por uma quadrilha na quinta-feira (10), por volta das 14h30. O homem afirma que, além do roubo, foi obrigado a ir com duas mulheres e um homem para um motel, onde teve que praticar atos sexuais e que um dos integrantes fotografou o ato, para chantagear a vítima. Além disso, os bandidos também chegaram a consumir drogas no motel.

Segundo informações obtidas pela reportagem do Periscópio através da Polícia Militar, C. A. S., 56, estava em um posto de combustíveis no bairro São Luiz, abastecendo seu veículo Montana cor preto, quando uma moça aproximou-se do carro e sentou no banco do carona dizendo não estar sozinha e que tratava-se de um roubo. A mulher também informou à vítima que outras pessoas estavam envolvidas na ação e pediu que o Pastor dirigisse em direção a cidade de Sorocaba. Durante o trajeto a mulher relatou detalhes da rotina e vida pessoal da vítima.

Na estrada a mulher também ordenou que a vítima parasse em um motel e que se identificasse na portaria do local. Logo atrás, outro carro que o seguia passou direto sem se identificar. O Pastor estacionou seu carro no box do motel e percebeu que logo atrás o carro que o seguia também parou.

Levado para dentro do quarto, C.A.S. percebeu que se tratavam de duas mulheres e um homem; a quadrilha exigiu US$ 200 mil e mais barras de ouro, que os assaltantes afirmavam que a igreja possuía.

O Pastor negou que a igreja tivesse os valores, e presenciou cenas de uso de drogas entre os membros da quadrilha, além de ser obrigado a participar de atos sexuais que foram fotografados por um dos membros da quadrilha.

Algum tempo depois, uma das mulheres se retirou do quarto e levou o carro da vítima, com documentos e cheques de terceiros. Após quatro horas, os outros dois membros da quadrilha anunciaram que iriam embora. No carro, o Pastor foi colocado no banco e percebeu que o homem apontava algo para sua cabeça, possivelmente uma arma de fogo.

No caminho para Itu, quando passavam por um bloqueio policial a vítima foi obrigada a assumir a direção do veículo da quadrilha.

Quando chegaram na cidade, nas proximidades da escola Sesi, o homem puxou o freio de mão do carro e a vítima saiu correndo com seu celular na mão até o posto de Gasolina onde anteriormente havia sido abordado.

Perseguição

O caso voltou a repercurtir na terça-feira (15) quando o veículo Montana, ocupado por duas pessoas foi localizado trafegando na SP-75, também conhecida como Rodovia do Açucar.

Por volta das 15h, um Policial Rodoviário avistou em sua base, no Km 24, o veículo roubado do Pastor. O PM Rodoviário, imediatamente deixou a base e deu início a perseguição do carro. Ao chegar no Portal de entrada da cidade, o motorista chocou-se contra uma defensa metálica e parou o carro, fugindo em seguida. Porém, nas proximidades encontrava-se um Guarda Municipal, que ao avistar os fatos, percebeu que tratava-se de uma fuga e que no automóvel encontrava-se uma mulher, a qual deteve no local.

Após deligências, a Polícia Rodoviária conseguiu localizar o fugitivo, trata-se do ajudante J.L.G, 23, que já apresenta várias passagens pelos meios policiais. Interrogado sobre o motivo da fuga, o jovem informou que estava com receio pelo fato de não ter habilitação.

Quanto a mulher que acompanhava o jovem, ficou exclarecido que a mesma apenas teria pego uma carona. O rapaz foi preso no local.

Fica proibida a reprodução total ou parcial das reportagens do site sem autorizaçao prévia do editor. Jornal Periscópio Edição: 5291

Mapa: Google


Ficou sabendo?:Auxiliar de pastor mata taxista a pauladas


Um pedreiro de Maringá foi preso, na noite desta quinta-feira (27), pela Polícia Civil de Maringá, após confessar que assassinou o taxista maringaense José Mario de Chiara Pismel, 47 anos, morto na semana passada, em Curitiba, após levar o autor do crime de Maringá à capital.

No início da manhã desta sexta-feira (28), o autor do crime foi identificado pela polícia como sendo um pastor. Isso se deve ao fato de ele ser auxiliar do pastor de uma igreja evangélica de Maringá. Até mesmo as pessoas da igreja o chamam de pastor, o que causou a confusão, contou a polícia. A informação foi corrigida no final da manhã.

Em depoimento à polícia, o pedreiro Fábio Borges Pedreira, 23 anos, disse que contratou o taxista para fazer a corrida até Curitiba, onde moram suas duas irmãs, que, segundo a polícia, precisavam de dinheiro para quitar uma dívida com um traficante.

No terminal Campina da Siqueira, na capital paranaense, o credor da dívida, conhecido pela polícia como Fernandinho, embarcou no táxi com destino ao Conjunto Piratini, em Curitiba, onde o taxista foi morto.

“Ele [o pedreiro] disse que mataram o taxista para roubar o carro e entregar o veículo ao Fernandinho, como forma de pagamento de uma dívida das irmãs com o traficante”, contou o delegado adjunto da Polícia Civil em Maringá, Nilson Rodrigues da Silva.

O taxista foi morto com pauladas e garrafadas na cabeça, na casa das irmãs do pedreiro. Em seguida, Fernandinho viajou com o veículo até Araucária, na região metropolitana de Curitiba, onde descartou o corpo.

Polícia levou o pedreiro para Curitiba

O pedreiro e auxiliar de pastor, Fábio Borges Pedreira, embarcou na manhã desta sexta-feira (28) para Curitiba, com uma equipe da Polícia Civil. Ele será levado até o local do crime, onde explicará os detalhes da ação.

A Polícia Civil de Curitiba deve expedir o mandado de prisão dele, de Fernandinho e das duas irmãs ainda na manhã desta sexta, conforme o delegado Nilson Rodrigues. O pedreiro ficará preso em Curitiba.

O carro do taxista, um Logan, de cor branca modelo 2009, ainda não foi encontrado. Segundo a Polícia, o Fernandinho deve estar com o veículo.

Jornal de Londrina / Gospel Channel

Pastor sueco é afastado da igreja por usar camiseta “pornográfica”


Um pastor de Estocolmo foi afastado do cargo por conduta imprópria. Ele postou fotos no Facebook usando uma camiseta que fazia referência a um famoso filme pornô da Suécia.

A denúncia, recebida no final de novembro pela Diocese de Estocolmo da Igreja Nacional da Suécia [Luterana], foi pela infeliz escolha do pastor de usar a tal camiseta enquanto liderava um grupo em uma visita à sede francesa do ministério cristão Taizé, na França. A viagem aconteceu após a cerimônia de confirmação de batismo dos jovens.

Nas imagens que acompanham a denúncia dos pais desses jovens, o pastor é visto usando uma camiseta azul com a palavra “Fäbodjäntan”, termo de tradução complexa, algo como “moças do estábulo”. Abaixo havia o subtítulo “Äkta hårdporr svensk” (pornô hardcore sueco real).

Fäbodjäntan é o título de um filme de sexo explícito famoso na Suécia. Produzido em 1978, o filme é ambientado em uma aldeia mítica, localizada em alguma parte da região campestre no centro da Suécia. Essa aldeia fictícia guarda um antigo chifre que, segundo a lenda, era soprado pelos vikings ao voltarem para casa depois de suas longas viagens. A trombeta servia para chamar as mulheres da aldeia para fazerem amor com os guerreiros que retornavam. O filme procura ilustrar graficamente a veracidade da lenda. Mas sua cena mais famosa envolve uma mulher e uma grande salsicha sueca, a Falukorv.

Por isso surgiu a denúncia dos pais, alegando que o pastor usava “roupas extremamente impróprias para um representante da Igreja da Suécia”.

Desde 2006, o pastor organizava uma viagem de treinamento de liderança em sua paróquia. O local escolhido anualmente era a aldeia francesa que abriga a Comunidade de Taizé, uma ordem monástica cristã ecumênica fundada em 1940. A denúncia acusa o pastor de postar fotos no Facebook usando a camiseta mostrada acima com o seguinte comentário: “Todo ano vou a Taizé, na França, com os adolescentes da minha paróquia”.

O programa de treinamento era dirigido pelo pastor e, de acordo com o site da igreja, a viagem ajudava a ensinar temas como “a visão do homem” e “atitudes, valores, dinâmicas de grupo e comunicação”.

O nome do pastor não foi divulgado. Após ser notificado, ele foi afastado preventivamente da igreja e tem até 5 de janeiro para se pronunciar sobre o assunto junto à diocese de Estocolmo.

Em uma declaração ao site The Local, Annika Sjöqvist Platzer, porta-voz da diocese, explicou que se o pastor comprovadamente violou as regras da igreja, as punições possíveis são a suspensão de seu cargo de liderança, passar por um acompanhamento condicional ou receber uma advertência por escrito. Procurado, o pastor não quis comentar o assunto

Fonte: Creio

"Jesus tinha Aids" - Afirma pastor africano


O pastor evangélico Xola Skosana (foto) provocou grande polêmica na África do Sul ao afirmar que Jesus Cristo era portador do HIV, o vírus da Aids.

O discurso de Xola Skosana, feito no bairro de Khayelitsha, na Cidade do Cabo, espalhou-se rapidamente pelo país. Cristãos reagiram prontamente, condenando o pastor por fazer um retrato de Jesus como um homem promíscuo, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira pelo "Daily Mail".

"O tema do meu Jesus como portador do HIV é uma questão lastimável", disse Mike Bele, um outro pastor local.

Skosana, que pertence à igreja Hope for Life Ministry, um braço da corrente carismática sul-africana, que está em franco crescimento, disse que a sua mensagem tem a ver com "esperança". Ao afirmar que Jesus tinha Aids, o religioso esperava remover o estigma que acompanha os portadores do HIV.

Mais de 5,7 milhões de pessoas na África do Sul sofrem de Aids - mais do que em qualquer outro país. O próprio Skosana perdeu duas irmãs vítimas da doença.

Cadeia Nele!:Mãe de vítima agride pastor acusado de pedofilia


Evangélico foi preso no Peru; imagens dele com crianças em câmera fotográfica serão usadas como provas contra ele. Confira o vídeo.

Pastor é morto com três tiros enquanto pregava durante culto


Um pastor evangélico foi assassinado com três tiros durante a noite deste domingo (21/2), enquanto pregava durante um culto no município de Diamante, localizada no Sertão paraibano, a 448,6 quilômetros de João Pessoa.

A polícia informou que o pastor José Ivan Vicente de Araújo, 29 anos, estava dentro de uma igreja evangélica pregando quando os fiéis ouviram barulho de tiro. Ele caiu e foi socorrido para um hospital da região.

Chegando ao local, os médicos constataram que ele estava morto com três tiros na região do abdômen. Os fieis disseram não terem percebido quem efetuou os disparos já que prestavam atenção à pregação e que os disparos foram efetuados do lado de fora da igreja.

Fonte: Corrreio Braziliense

Pastor americano atribui terremoto no Haiti a "pacto com o Diabo" e provoca protestos


Um dia depois do terremoto que destruiu a já precária infraestrutura do Haiti e causou milhares de mortes, o pastor evangélico Pat Robertson (foto) afirmou que o fenômeno está ligado ao fato de o país da América Central ter sido "amaldiçoado" por ter feito um "pacto com o Diabo".

"Houve uma coisa que aconteceu no Haiti muito tempo atrás, e as pessoas não querem falar sobre isso", disse ele ontem em um programa da Christian Broadcasting Network's (rede de teve comandada por Robertson). "Eles estavam sob o domínio francês. Você sabe, Napoleão 3º, ou o que for. Então eles se juntaram e selaram um pacto com o Diabo. Disseram: 'Vamos servi-lo se você nos tornar livres dos franceses. É uma história verdadeira. Então, o Diabo disse: ok, negócio fechado."

Robertson é um extremista conservador norte-americano, e sua fala provocou uma onda de protestos nos Estados Unidos. Ele tentou ser candidato a presidente do país, em 1988, mas foi derrotado nas prévias do Partido Republicano. Entre suas previsões não realizadas, está a de que em 1982 o mundo acabaria e que um tsunami atingiria a Costa Leste dos EUA.

"Esta não é uma atitude que expressa o espírito do presidente ou do povo americano, portanto eu acredito que é um comentário bastante estranho de ser feito", disse hoje Valeria Jarrett , conselheira de Barack Obama, quando pediram que ela tratasse do assunto. Jarrett declarou-se sem ter o que dizer diante da afirmação.

Um comunicado oficial de um porta-voz Robertson tentou suavizar suas afirmações, afirmando que o pastor não quis dizer que a responsabilidade era dos haitianos, mas que ele estava apenas repetindo a lenda contada por "incontáveis estudiosos e figuras religiosas", que por séculos acreditam que o país está amaldiçoado.

Tratando não só da fala do pastor, mas também de um artigo do "New York Times" que também usou a palavra "amaldiçoado" para referir-se à situação do país, dessa vez como figura de linguagem, a jornalista Farai Chideya escreveu um artigo que revela a origem da ideia e trata também que problemas históricos que, para ela, explicam muito melhor a fragilidade das instituições e das construções do Haiti.

"A palavra 'amaldiçoado' vem de uma imagem racializada do vodu (o fato de que o vodu é atualmente uma religião e não apenas uma zombaria é outra batalha que eu não posso enfrentar aqui) que pessoas com péssimas intenções estão ansiosas por explorar", disse ela.

Robertson comparou o Haiti à Republica Dominicana, país que "divide" o território da ilha em que está o Haiti. "A República Dominicana é próspera, rica, cheia de recurso etc. O Haiti é extremamente pobre, na mesma ilha. Eles têm de orar e nós precisamos orar por eles por uma grande virada para Deus a partir desta tragédia. Eu estou otimista de que algo bom virá." Robertson disse ainda que no momento está ajudando as pessoas que estão sofrendo de forma "inimaginável".

O embaixador do Haiti nos Estados Unidos criticou Robertson e defendeu que o processo de libertação do Haiti deu início à onda independentista de toda a América - o que possibilitou inclusive, a expansão territorial dos Estados Unidos.

Para a jornalista Chideya, no entanto, talvez fosse melhor o Haiti ter feito um pacto com o Diabo do que com a França. "Depois de ser derrotado militarmente pelo revolucionário Toussaint L'Ouverture, o poder colonial francês exigiu do Haiti uma reparação", escreve ela, equivalente nos dias de hoje a aproximadamente US$ 20 bilhões. "O efeito cascata deste acordo não pode ser subestimado" - a dívida da "independência" foi quitada apenas em 1947.

A história do Haiti, São Domingos até a independência, em 1804, está ligada à história da Revolução Francesa e à luta pelo fim da escravidão nas Américas. Ela tem início em 1791, quando a notícia de que a escravidão havia sido abolida pelos revolucionários franceses chega à ilha. Toussaint ascenderia à liderança dos revoltosos a partir de 1794.

É uma história rica em detalhes, o que pode levar a alguns tropeços informativos que, no geral, não mudam a essência - uma luta pelo fim da escravidão e da dominação europeia empreendida por negros e mestiços.

O negro Toussaint L'Ouverture, filho de um chefe tribal africano, por exemplo, é uma das figuras mais importantes da história de libertação do Haiti, mas a derrota final das dezenas de milhares de soldados das tropas francesas de Napoleão 1º, o Bonaparte, foi concretizada por homens que haviam estado sob seu comando - ele, sem romper definitivamente com a França, morreu na prisão na metrópole no começo do século XIX - e não em meados, quando Luís Bonaparte, o 3º, referido por Robertson, subiu ao poder (1848).

Foi uma guerra racial sangrenta, com execuções de brancos e de negros, e grandes queimadas que destruíram o país. Ao final dela, a escravidão permaneceu abolida (contra os planos de Napoleão) e o Haiti deixou de ser uma colônia francesa. Uma conseqüência disto foi o fortalecimento das tradições econômicas (como a agricultura de subsistência) e religiosas de origem africana - praticadas pelos líderes da revolta, uma mitologia que parece ter influenciado diretamente a avaliação do pastor evangélico Pat Robertson.

No texto "O épico e o trágico na história do Haiti" (2004), uma resenha do clássico "Os Jacobinos Negros" (Boitempo), de C.L.R. James, o historiador brasileiro Jacob Gorender procura discutir por que o Haiti, que no início do século 19 era a colônia mais produtiva das Américas e a primeira a conquistar a Independência nacional, não teve "uma trajetória progressista, mas, ao contrário, se tornasse o país mais pobre do continente, talvez um dos mais pobres do mundo?"

Para Gorender, a ousadia dos cerca de meio milhão de negros e mestiços do país foi punida por uma espécie de "quarentena" após a independência, que o país sofreu mesmo das nações latino-americanas recém-emancipadas.

"Quando exilado, Simon Bolivar encontrou abrigo no Haiti", onde recebeu proteção, ajuda financeira, dinheiro, armas e até uma prensa tipográfica, escreveu Gorender. "No entanto, Simon Bolivar excluiu o Haiti dos países latino-americanos convidados à Conferência do Panamá, em 1826. O isolamento internacional acentuou o atraso e agravou as dificuldades históricas, após uma das mais heróicas lutas emancipadoras do hemisfério ocidental."

Do ponto de vista político, para Gorender, "Toussaint não conseguiu perceber que, da Convenção de 1789 ao consulado bonapartista, a Revolução Francesa infletiu para a direita, mudando as características do regime político no país, como também afastando-se da posição inicial com relação à escravidão nas colônias."

Quando os escravos viram-se definitivamente livres do trabalho compulsório nas plantações de cana e nos engenhos de açúcar, o Haiti saiu do mercado mundial do açúcar. "De colônia mais produtiva das Américas passou a país independente pauperizado e fora de um intercâmbio favorável na economia internacional", avalia Gorender.

Fonte: UOL

Delegacia investiga suspeita de pastor ter abusado de uma menina de 12 anos

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Botucatu (100 quilômetros de Bauru) instaurou inquérito para apurar suposta tentativa de estupro cometida pelo pastor de uma igreja Batista contra uma menina de 12 anos.

O crime teria ocorrido na manhã do último domingo, após um culto no jardim Monte Mor. O acusado será ouvido ainda nesta semana para dar sua versão dos fatos.

De acordo com a delegada Simone Alves Firmino Sampaio, titular da DDM, quando a menina retornou do culto com a irmã de 10 anos, por volta das 11h, a mãe das crianças percebeu que elas estavam assustadas e as duas contaram que, após a celebração, o pastor D.B.S.J. teria pedido para que a menina sentasse em seu colo.

Em seguida, o pastor teria dado beijos no seu rosto e pescoço, levantado sua blusa, e acariciado seu corpo. Toda a cena, ocorrida no interior da igreja, teria sido presenciada pela irmã da vítima. A mãe das crianças procurou o plantão policial para registrar boletim de ocorrência (BO).

Com base no depoimento da mãe das meninas, a delegada conta que determinou a abertura de inquérito para apurar os fatos. O crime foi registrado como estupro de vulnerável e o suspeito será chamado à DDM para prestar depoimento.

Apesar de não ter havido conjunção carnal, as alterações ocorridas no Código Penal com a Lei nº 12.015/09, sancionada em agosto de 2009, extinguem a figura do crime de atentado violento ao pudor e consideram qualquer prática forçada de atos libidinosos equivalente ao estupro. Se os fatos forem confirmados, a titular da DDM informa que o pastor poderá ser condenado a pena que varia de 8 a 15 anos de reclusão.

JC Online

Pastor é esfaqueado dentro de igreja no ES


Ele foi agredido após reunião com casal, em Vitória. Marido estava com ciúmes, segundo mulher do agressor.

Um pastor foi ferido a facadas dentro de uma igreja em Vitória, na sexta-feira (8). O agressor foi detido.

Segundo a polícia, o pastor teria se reunido com um casal, que também é membro da igreja. O homem teria discutido e acertado duas facadas na vítima.

A mulher do agressor prestou depoimento no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória e disse que o marido estava com ciúmes.

O pastor agredido foi operado e passa bem. Ele permanece internado no hospital.

Expulso, pastor processa a Igreja Mundial e pede R$ 1 milhão de indenização


O pastor Rafael Alves Ferreira , 31 anos, moverá uma ação judicial pedindo indenização de R$ 1 milhão por danos morais contra a Igreja Mundial do Poder de Deus, depois de denunciar que foi vítima de espancamento por parte de outro pastor, colega de trabalho, em Cuiabá.


Após ser expulso da entidade por suposta homofobia na semana passada, ele registrou um boletim de ocorrência revelando ter sido espancado por outro colega pastor dentro da unidade de Cuiabá. Rafael afirma que o preconceito surgiu por terem descoberto que manteve relações sexuais com homens antes de se converter.


“Fui o primeiro membro a ser expulso da igreja por homofobia. Agora eles estão me caluniando, dizendo na TV da igreja, que está no ar 24 horas, que saí porque me flagraram com outro homem. Isso é uma mentira. Até poucos dias atrás eu era um pastor de confiança e, agora, estão me denegrindo dessa maneira perante a todos os fiéis, porque não fiquei calado após a agressão”, lamentou Rafael.



Na igreja, que está há um ano, o fiel se tornou conhecido como o pastor “Rafael de Jesus”. Ele comandava até o dia 5 deste mês a Geração Jovem Mundial.


Na madrugada do dia 6, 00h30 ele foi surpreendido com agressões físicas enquanto dormia. Acordou apanhando do segundo bispo, identificado apenas como pastor Jademir no boletim de ocorrência no Cisc do Verdão. Jademir teria sido transferido do Centro para a congregação do CPA II, após a confusão.


“Ele (Jademir) me deu um tapa no rosto e um murro bem forte no peito. Depois, me encostou na parede me enforcando e me mandando pedir desculpas, dizendo que quem mandava ali era ele. Me jogou no chão e fiquei gritando por socorro. Apesar de ter várias pessoas do lado de fora, ninguém abriu a porta para saber o que estava acontecendo e me ajudar”, relatou.

Por ser pastor da igreja na época, Rafael dormia em um quarto dentro da igreja, na rua Barão de Melgaço, assim como fazem os demais membros. “O pastor fez cópia da chave de todas as portas, entrou e me espancou”, acusou. A vítima conta que apesar de ninguém no local o ajudar, depois, subiu até o escritório e três pastores que estavam no prédio o levaram até a casa do pastor Sidney Furlan, autoridade máxima da instituição em Mato Grosso.

“Na casa dele o pastor Sidney pediu que eu não registrasse boletim de ocorrência e atendi ao pedido. Contudo, ele não puniu o pastor que me agrediu. Quatro dias após o ocorrido, mandou me comunicar que eu não poderia mais frequentar a igreja porque havia um boato de que eu estava me relacionando com um homem. Não tive direito nem de me defender”, disse. Rafael afirmou estar sendo alvo de piadas homofóbicas dentro da igreja, feitas principalmente pela cúpula.

Rafael contou que deixou de ser homossexual em 2008, após uma série de decepções com a “vida mundana”. Ele se converteu e, em seguida trocou de igreja pela oferta de ser tornar pastor na Mundial. “Quando descobriram na igreja que eu já havia sido gay, todos mudaram comigo”, lamentou. A reportagem ligou para a Igreja Mundial do Poder de Deus, mas a telefonista disse que ninguém falaria do caso.

Fonte: Diário de Cuiabá

Mulher ataca pastor evangélico em culto

Uma mulher atacou o pastor evangélico C.A.T., 30 anos, no Parque São Bento. A agressão aconteceu durante culto realizado às 19h de domingo passado.


A mulher frequentou a igreja por três meses e depois se afastou. Ela apareceu bastante alterada e gritando.


Teria dado socos no peito do pastor e tentado agredir outras pessoas que participavam do culto. Contida, se acalmou e deixou a igreja

Pastor bêbado estraga funeral na Suécia

R7-Família do morto ficou ofendida e agora pede uma indenização de R$ 77 mil

Em Skåne, uma cidade no interior da Suécia, uma família está pedindo R$ 77 mil de indenização a um pastor. Eles alegam que o ministro da Igreja da Suécia – uma denominação luterana – estava bêbado durante o funeral de um parente.

O tal pastor pingaiado teria chegado cambaleando, xavecou levemente uma filha do morto, deu um abraço suspeito em uma neta do falecido e estava com um forte bafo de cana.



Segundo um familiar “tudo corria bem até a chegada do pastor”. O reverendo leu um poema por 30 minutos só que ninguém entendeu nada.


Aparentemente, ele trocou de idioma. Em vez do sueco, o homem usou a língua da mamangava, dialeto peculiar usado por todos os manguaçados do mundo.


- A primeira coisa que vamos lembrar sobre nosso amado parente será a imagem do pastor bêbado.

A Igreja da Suécia recebeu uma reclamação formal e declarou que investigará o caso.
© 2008-2021 Gospel Channel Brasil
Criado por templateszoo