Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador PEDOFILIA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PEDOFILIA. Mostrar todas as postagens

Empresa cria bonecas eróticas de crianças de 5 anos para pedófilos

Um dos argumentos do criador, pedófilo declarado, Shin Takagi, que é artista plástico, é que as bonecas ajudam a controlar os desejos de pedófilos. 



 A empresa Trottla foi fundada por um artista pedófilo, Shin Takagi, que afirma nunca ter levado a cabo seus próprios desejos. Por mais de uma década, a empresa tem criado bonecas eróticas infantis (com corpos de crianças de 5 anos) e vendido por todo o mundo. As bonecas, vendidas por mais de 6 mil libras cada, são feitas de borracha e vêm com acessórios como perucas e marcas de biquíni. Compradores de diversos países tem importado estas bonecas, muitos países tem vetado a entrada da criação de Shin em seus territórios, outros, como o Reino Unido, tem aceito o objeto de desejo de pedófilos. 

 Mas Kathleen Richardson, da Campaign Against Sex Robots disse: “Não acredito nem por um segundo que produzir bonecas eróticas infantis ajuda de alguma forma a impedir a pedofilia, e digo isso porque já temos provas disso.” 

 “Já existem muitas imagens de abuso infantil e a pedofilia não parou, porque a pedofilia é sobre obter controle, não satisfazer desejos.”

Gospel Channel

Pastor suspeito de abuso contra enteado deixa prisão no Rio

Justiça concedeu alvará de soltura de Felipe mesmo sem tornozeleiras. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por estupro de vulnerável.



Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) O pastor Felipe Garcia Heiderich, suspeito de abuso sexual contra o enteado de 5 anos, deixou o complexo penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio, na madrugada deste domingo (10), como informou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Neste sábado (9), o desembargador Murilo Kieling concedeu alvará de soltura do Heiderich, mesmo sem tornozeleiras eletrônicas. O equipamento parou de ser fornecido ao governo porque a empresa responsável não recebe do estado desde setembro. Anteriormente, a Justiça havia determinado a prisão domiciliar do pastor. 

Segundo o magistrado, o Ministério Público já havia se posicionado de maneira favorável pela soltura nestas condições. De acordo com a denúncia do MP, o pastor teria cometido os atos libidinosos contra o menino diversas vezes. Ele foi denunciado por estupro de vulnerável e, de acordo com o documento, a prática ocorreu até o dia 11 de junho deste ano. A denúncia do promotor Luiz Otávio Lopes foi oferecida com base na investigação da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). O MP também requereu ao Juízo a revogação da prisão temporária do acusado, por entender já ter sido possível obter na fase de investigação os elementos necessários para a propor a denúncia.

Felipe foi preso na segunda-feira (4), em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, depois de ser denunciado à DCAV pela própria mulher. Por ordem da Justiça, que decretou sua prisão preventiva, ele foi levado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, também na Zona Oeste. 

Na noite de quarta-feira, a desembargadora Maria Sandra Kayatd, da 1ª Câmara Criminal do Rio, negou pedido de habeas corpus feito pela defesa de Felipe. Segundo a Polícia Civil, a pastora Bianca procurou a delegacia no dia 22 de junho para denunciar o crime. Foi instaurado inquérito e reunidas provas que embasaram o pedido de prisão preventiva. 

 Na tarde desta quarta-feira (6), o advogado Leandro Meuser usou o perfil do pastor no Facebook para afirmar que são falsas as acusações contra o seu cliente. Segundo o defensor, “a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade”.

Gospel Channel

Em oito anos, 35 funcionários da Disney são presos por pedofilia e pornografia infantil

Levantamento foi feito pela emissora de TV americana 'CNN'. Acusações também incluem posse de pornografia infantil. Pelo menos 35 funcionários da Disney World foram presos desde 2006 nos Estados Unidos por acusações de pedofilia e posse de pornografia infantil, informou a emissora americana “CNN” nesta terça-feira (15). 



Os dados fazem parte de uma investigação em andamento há seis meses feita pela emissora, que examinou registros policiais e de tribunais e entrevistou policiais envolvidos nas investigações e alguns dos homens que foram presos. Segundo a “CNN”, cinco funcionários do Universal Studios e dois do SeaWorld também já foram presos pelos crimes. Entre os detidos nas investigações, 32 foram condenados. 

Dois dos casos, que envolvem posse de pornografia infantil, ocorreram dentro de propriedades da Disney, segundo registros policiais. Nenhum caso, entretanto, envolveu crianças ou adolescentes que visitavam os parques temáticos. Um dos presos foi Robert Kingsolver, gerente de serviços responsável por reparos no Magic Kingdom, um dos parques da Disney em Orlando, na Flórida. Ele foi acusado de solicitar uma criança para atos sexuais e viajar para encontrar um menor para atividades sexuais. Ele nega as acusações. “Minha vida está arruinada. 



A vida da minha família está arruinada. Eu devastei meus pais por causa de um mau julgamento”, disse em entrevista à “CNN”. Após ser solto, Kingsolver foi proibido de ter contato com menores de idade e também de usar a internet. Ele foi preso ao pensar que ia ao encontro de uma menina de 14 anos – o local havia sido montado pelos detetives do condado de Lake. A polícia diz que ele estava em busca de sexo. O homem, entretanto, disse que estava apenas tentando proteger a garota e afirmou que chamaria as autoridades quando chegasse à casa. Segundo os registros policiais, outros funcionários da Disney presos incluem seguranças, guias, atendente de lojas de souvenires e empregados responsáveis pela manutenção dos brinquedos. 

No caso mais recente, dois funcionários da Disney e dois da Universal foram presos. Um deles, que trabalhava em um hotel do Animal Kingdom e já trabalhou no popular brinquedo do filme Toy Story, procurava jovens na internet. Em comunicado enviado à “CNN”, Jacquee Wahler, porta-voz da Disney, disse que “promover um .ambiente seguro para crianças e suas famílias é uma responsabilidade que levamos com seriedade. Temos medidas extensivas em andamento, incluindo checagem criminal antes da contratação e monitoramento de computadores”, afirmou. Segundo a empresa, os números de presos representam uma porcentagem muito pequena quando se considerado número total de pessoas empregadas pela Disney no período – cerca de 300 mil. 

A Disney também informou que trabalha de maneira próxima às autoridades e a entidades que trabalham para prevenir o desaparecimento e a exploração de crianças. O Universal Studios informou que demitiu o funcionário que foi preso recentemente. 

“Temos tolerância zero com esse tipo de atividade. Nós lidamos com a situações como esta de maneira imediata e permanente”, disse Tom Schroder, porta-voz da empresa. O SeaWorld disse que a “segurança de nossos funcionários é nossa principal prioridade”, acrescentando que a empresa tem “políticas e procedimentos em andamento e que tomará ações apropriadas quando necessário.”

Gospel Channel Brasil

Magno Malta fala sobre críticas feitas ao Pastor Eurico

Magno Malta comentou rapidamente sobre as as críticas ao pastor Eurico, pelo comentário que ele fez a apresentadora Xuxa, no último dia 21, na comissão de Constituição e justiça da câmara.



O Pastor Eurico (PSB) disse que a apresentadora 'provocou a maior violência contra as crianças'; Essa violência foi a cena de pedofilia que ela gravou com um menino de 12 anos no filme gravado em 1978, e lançado quatro anos depois,"Amor, estranho amor".



Gospel Channel - Combate a pedofilia

Vítimas de pedofilia pedem que funcionários de igrejas denunciem culpados


O objetivo é reforçar a denúncia movida contra o papa Bento XVI no Tribunal Penal Internacional (TPI), por crimes contra a Humanidade.

Um grupo de vítimas de religiosos pedófilos pediu nesta terça-feira, em Roma, que os funcionários de igrejas católicas de todo o mundo denunciem os culpados, a fim de reforçar a denúncia movida contra o pontífice no Tribunal Penal Internacional (TPI), por crimes contra a Humanidade.

"Faço um chamado a todos os que trabalham no Vaticano. Faço um pedido especial aos funcionários e ex-funcionários de igrejas, para que contribuam com provas", pediu Vincent Warren, da ONG americana Center for Constitutional Rights (CCR), durante uma entrevista coletiva.

"As dioceses de todo o mundo recolheram muitas provas, e costumam enviá-las a Roma. Dizem que têm dados de 4 mil casos. Mas o que fizeram com eles? Têm que ser enviados a agentes responsáveis pela ordem pública", assinalou Peter Isely, um dos fundadores da associação americana de vítimas de pedofilia Snap.

O grupo apresentou ao TPI, no último dia 13, uma demanda contra o Papa e outras três autoridades da Igreja Católica, por crimes contra a Humanidade. Elas são acusadas de terem "tolerado e encoberto sistematicamente", por décadas, crimes sexuais contra crianças de todo o mundo.

LEIA COMPLETO ACESSANDO O
GOSPEL CHANNEL NO COMBATE A PEDOFILIA

Sobe para 15 o número de crianças que sofreram abuso de pedófilo no CE


Delegada diz que última denúncia foi feita na noite desta terça-feira (23). Suspeito de praticar pedofilia já está preso e será levado para Fortaleza.

Aumentou para 15 o número de acusações contra o suspeito de abusar sexualmente de crianças em Pindoretama, na Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com a delegada responsável pelo caso, Ana Cristina, mais uma criança se apresentou na delegacia, na noite desta terça-feira (23), alegando ter sofrido abuso por parte do suspeito.

A criança de seis anos chegou acompanhada da mãe e deve ser ouvida nos próximos dias. A Polícia acredita que o número de crianças ainda deve aumentar. O suspeito de praticar pedofilia foi preso na tarde desta terça-feira (23) em Juazeiro do Norte, no Sul do Ceará.

O suspeito estava foragido desde 8 de agosto e foi encontrado na residência, em Juazeiro do Norte, onde se encontrava desde sábado, segundo policiais de Juazeiro do Norte. Na casa, foram encontradas roupas íntimas de crianças.

leia completo no
GC CONTRA A PEDOFILIA

CADEIA NELE!!: Ex-pastor é condenado a mais de 17 anos de cadeia por divulgar pornografia infantil no Facebook


Jerry L. Cannon, 63 anos, foi condenado a 17 anos e meio de confinamento por usar o Facebook para procurar e divulgar pornografia infantil.

Ao ser condenado, o ex-pastor de Kentucky declarou: “Sinto muito. Que Deus me perdoe. Fui muito estúpido. Dói demais”. Cannon insistiu que jamais teve o interesse de abusar de nenhuma das crianças.

O juiz local de Alabama que presidiu sobre o caso de Cannon não se comoveu com as lágrimas que o ex-pastor derramou ao ouvir a decisão. Em vez disso, afirmou que a sentença foi bem aplicada para um homem como Cannon. O caso foi julgado no Alabama por ser essa a cidade natal da pessoa com quem o ex-pastor trocava imagens de pornografia infantil.

a notícia completa você confere acessando o

Era só o que faltava: Psicólogo diz que pedofilia é orientação sexual


Provocador Gospel - Alguém deve se lembrar que já cheguei a comentar que a PL 122 que os homossexuais querem aprovar no Brasil serveria der berço para aprovarem a pedofilia como algo normal também, pois é, essa semana um psicólogo disse que pedofilia é opção sexual! Pode uma coisa dessa! Daqui a pouco isso chega ao Brasil também!

Notícias do Senado-Em discurso em Plenário, o senador evangélico Magno Malta (PR-ES) condenou as recentes declarações do professor Hubert Van Gijseghem de que a pedofilia é uma orientação sexual.

Segundo o senador, a declaração do psicólogo belga é uma mensagem subliminar e incentiva a pedofilia.

A afirmação do professor foi feita durante debate no parlamento canadense. Van Gijseghem afirmou que os verdadeiros pedófilos têm preferência exclusiva por crianças, o que é a mesma coisa de ter uma orientação sexual, que não pode ser mudada. Apesar disso, afirmou o professor, os pedófilos podem viver uma vida de abstinência. O senador não concorda com as declarações.

a matéria completa você confere no
GOSPEL CHANNEL CONTRA A PEDOFILIA

Americana descreve em livro relação com pedófilo iniciada aos 7 anos


Margaux Fragoso relembra de forma vívida seu relacionamento com um homem de 51 anos.

Aos sete anos, a americana Margaux Fragoso conheceu Peter Curran, 51, em uma piscina pública de Nova Jersey. Ele depois convidou a menina e sua mãe para visitarem a casa dele, onde Margaux se encantou com brinquedos, livros e, sobretudo, com a companhia de Peter.

A relação de ambos durou 15 anos e é contada no polêmico livro "Tiger, tiger", que despertou a atenção da crítica literária pela crueza como Margaux, hoje com 31 anos, descreve sua relação com o pedófilo. Peter era "um companheiro de brincadeiras, um pai, um amante e um captor", tudo ao mesmo tempo.

"Li que os pedófilos racionalizam o que fazem ao pensar que é consensual mesmo que eles usem a coerção", diz Margaux no livro.

"Passar tempo com um pedófilo é como estar drogado. É como se eles (pedófilos) fossem crianças também, mas com um conhecimento que as crianças não têm. Eles conseguem fazer o mundo de uma criança... incrível, de alguma forma. E, quando isso acaba, é como parar de usar heroína e, por anos, elas (as crianças) não conseguem parar de perseguir o fantasma dessa sensação."

A matéria completa vocÊ confere no
Gospel Channel no cobate a pedofilia

Padres suspeitos de pedofilia são suspensos nos Estados Unidos


Comunicado anuncia a suspensão de 21 sacerdotes na Filadélfia. Além deles, outros três já haviam sido afastados em fevereiro.

Gospel Channel França - France Presse

A arquidiocese da cidade americana da Filadélfia anunciou nesta terça-feira (8) em um comunicado a suspensão de 21 sacerdotes suspeitos de atos de pedofilia. O cardeal Justin Rigali, arcebispo da Filadélfia (Pensilvânia, nordeste), se baseou em uma decisão tomada em fevereiro por um juri popular em referência a 37 pessoas, segundo o comunicado.

Além dos 21 padres suspensos nesta terça-feira, outros três já haviam sido afastados em fevereiro após a decisão do juri. Outros cinco já não exercem funções por diferentes motivos e outros oito foram absolvidos.

O cardeal Rigali expressou sua "pena pelos abusos sexuais a menores cometidos por membros da Igreja e, sobretudo, pelo clero".

a matéria completa você confere acessando o
GC NO COMBATE A PEDOFILIA

Idoso é preso em Angra dos Reis acusado de abusar da filha de 9 anos


ANGRA - Policiais do 33º Batalhão da PM (Angra dos Reis) prenderam nesta sexta-feira um homem de 61 anos, no bairro Campo Belo, em Angra dos Reis, na Costa Verde.

Ele é acusado de abusar sexualmente da própria filha, de 9 anos. A criança foi submetida a exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal do município, e o laudo deverá ser divulgado no prazo de 30 dias.

Policiais explicaram que, se o crime for confirmado, o pai da criança responderá por abuso de vulnerável. A pena para esse tipo de delito pode chegar a até 15 anos de prisão, mas ela poderá ser aumentada por ser tratar de menor de 14 anos.

LEIA COMLETO AQUI

Escândalos de pedofilia provocam êxodo de fiéis da Igreja Católica


Dezenas de milhares de alemães cancelaram sua filiação à Igreja Católica em 2010. Escândalos de abuso sexual parecem ser motivo central de deserções.

O número de alemães que abandonaram a Igreja Católica em 2010 é superior, em vários milhares, ao dos anos anteriores, revelou um estudo realizado pelo jornal Frankfurter Rundschau. Há indicadores de que a motivação central dos fiéis tenha sido a recente onda de escândalos de abuso sexual de menores.

A diocese de Augsburg, na Baviera, acusou uma das piores cifras: até meados de dezembro, 11.351 de seus fiéis desertaram, contra 6.953 em 2009. Seu antigo bispo, Walter Mixa, foi forçado a renunciar em abril último, devido a acusações de abuso físico e fraude.

Em Rottenburg-Stuttgart, no sudoeste do país, 17.169 católicos deixaram a diocese até meados de novembro de 2010, quase 7 mil a mais do que no ano anterior. Trier, Würzburg, Osnabrück e Bamberg igualmente acusaram altas taxas de deserção.

Efeito financeiro

Os indícios iniciais são de que os católicos alemães desgostosos com os escândalos e com a forma como a Igreja tem lidado com os mesmos estão indo buscar consolo em outras denominações cristãs.

Nos últimos meses, a instituição vem tomando medidas para tentar prevenir futuros casos de abuso sexual e lançar luz sobre ocorrências passadas. Entretanto, vozes críticas alegam que a reação é lenta demais, e que os líderes católicos continuam empenhados em impedir que os criminosos do passado venham a enfrentar a Justiça.

O êxodo tem efeito direto sobre as finanças da Igreja Católica, já que, na Alemanha, um imposto eclesiástico é automaticamente descontado do salário de cada fiel registrado.

Culpa não reconhecida

"Cada partida que ocorre é uma demais", lamentou o bispo de Würzburg, Friedhelm Hofmann, numa entrevista em que sugeria que os pedófilos teriam papel central na onda de deserções.

"Espero que algumas pessoas retornem a nós, uma vez que a ira pelos acontecimentos recentes tenha cedido, e elas voltem a se concentrar em todas as coisas boas que a Igreja faz a cada dia", acrescentou o prelado.

Por outro lado, certos líderes católicos ainda se declaram céticos de que a redução do número de fiéis na Alemanha em 2010 esteja relacionada às manchetes negativas sobre os membros da instituição. "Via de regra, uma deserção oficial é a culminância de um processo mais extenso de estranhamento", argumentou o bispo Hermann Haarmann, de Osnabrück.

Fonte: DW World

Abusos a menores mergulharam a Igreja Católica britânica em uma crise de autoridade moral


A Grã-Bretanha é um país oficialmente cristão, com 6 milhões de católicos - menos de 10% da população, dos quais só um quinto vão à missa.

Sexo, dinheiro e dogma constituem um coquetel muito perigoso para qualquer figura pública, seja um político, um jogador de futebol ou um eclesiástico. Mas são a combinação que Bento 16 enfrenta na primeira viagem de um papa à Inglaterra e Escócia desde João Paulo 2º em 1982: o escândalo dos abusos a menores, o custo da visita e a intolerância ao aborto, à camisinha e à mulher sacerdote.

A Grã-Bretanha que recebe amanhã o papa é um país oficialmente cristão, com 6 milhões de católicos - menos de 10% da população, dos quais só um quinto vão à missa e a maioria é muito mais liberal que a doutrina da Igreja. Um país onde duas em cada três pessoas se definem como "não religiosas", em um exemplo do que Bento 16 e seus cardeais qualificam de "relativismo moral" e consideram uma das grandes pragas das sociedades ocidentais contemporâneas.

LEIA COMPLETO AQUI

Igreja da Califórnia é acusada de encobertar pedofilia

Novas ações judiciais foram apresentadas contra autoridades da Igreja Católica na Califórnia nesta quarta-feira, por encobrir atos de pedofilia de um padre, informou um comunicado emitido pelos advogados das vítimas.

As ações, apresentadas em um tribunal de Oakland, ao sul de São Francisco, envolvem seis mulheres e um homem, que afirmam ser vítimas de abusos sexuais do sacerdote Stephen Kiesle, entre 1972 e 2001.

A maioria dos demandantes teria sofrido agressões do padre Kiesle durante sua infância e adolescência.
"Os bispos católicos americanos e o Vaticano facilitaram por longo tempo os abusos sexuais contra crianças, protegendo sacerdotes pedófilos", afirma a ação judicial, da qual a AFP obteve uma cópia.

Leia completo na imagem:

Bispos europeus dizem que é preciso confrontar pedofilia "com seriedade"


Os bispos europeus assinalaram nesta segunda-feira "a necessidade de reconhecer a dramaticidade" do problema dos abusos sexuais cometidos por religiosos contra menores e afirmaram "a importância de confrontá-lo com seriedade".

"É óbvio o desejo das conferências episcopais de seguir o modo com o qual o papa está enfrentando a questão", explicaram eles, em uma nota conclusiva do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), ocorrido nos últimos dias em Roma.

"Impressionam as medidas colocadas em campo por algumas conferências episcopais para fazer frente ao problema, prevenir posteriores casos de abuso e apoiar e acompanhar as vítimas e suas famílias de similares dramas, aos quais a condenação foi unânime", informou o comunicado.

Durante o encontro que reuniu os secretários-gerais das entidades de cada país, foram recordados os procedimentos que devem ser seguidos a cada vez que um bispo for informado de "possíveis casos de abusos".

LEIA COMPLETO AQUI

Cadeia Nele!:Mãe de vítima agride pastor acusado de pedofilia


Evangélico foi preso no Peru; imagens dele com crianças em câmera fotográfica serão usadas como provas contra ele. Confira o vídeo.

Cardeais de Los Angeles e México acusados de pedofilia

Um cidadão mexicano entrou com uma ação nesta terça-feira contra os cardeais católicos da Cidade do México, Norberto Rivera, e de Los Angeles, Roger Mahony, por protegerem um sacerdote com histórico de pedofilia nos anos 80.

A ação apresentada em uma Corte Federal de Los Angeles pelos advogados Jeff Anderson e Anthony DeMarco em nome de um cidadão mexicano não identificado, se dirige ao cardeal americano Roger Mahony, ao cardeal e arcebispo mexicano Norberto Rivera, às dioceses de Los Angeles e de Tehuacán (Puebla, México), e ao ex-padre Nicolás Aguilar, expulso em 2009.

Os juízes da Califórnia negaram duas ações anteriores contra Rivera e Mahony, argumentando que um cidadão mexicano não pode acusar outro mexicano em uma corte americana.

Mas a ação desta terça-feira foi apresentada sob uma nova estratégia legal, baseando-se em uma lei de 1789, que permite processos de violações de Direitos Humanos de estrangeiros contra estrangeiros.

"Segundo informação fidedigna, os acusados, de comum acordo e com o objetivo de ocultar informação e cometer fraude, conspiraram e uniram forças para realizar declarações falsas e ocultar ou não divulgar informação pertinente com relação à conduta sexual ilícita do padre Aguilar", sustenta a ação.

De acordo com este documento, o cardeal Norberto Rivera transferiu o padre Nicolás Aguilar a Los Angeles em 1987, quando já estava a par de vários casos de supostos abusos de menores por parte do sacerdote.

Fonte: AFP

Ficou Sabendo?:Pedófilo assassino de Luziânia frequentava a Igreja Universal e afirma ouvir a voz do diabo

Admar de Jesus Santos não tem amigos. Costumava sair nos fins de semana apenas para assistir a cultos na Igreja Universal do Reino de Deus. Além de solitário, os vizinhos consideram o pedreiro de 40 anos um sujeito discreto.

Poucos sabem do seu passado, tão sombrio quanto o presente. A mulher teria se matado com veneno.

Os filhos do casal acabaram criados pelo avô paterno. Além de perder a mãe de forma trágica, as crianças viram o pai ser preso. A Justiça de Brasília o condenou a 14 anos de prisão, em 2005, por abusos sexuais contra dois meninos, de 8 e 11 anos. No entanto, em 23 de dezembro último, o pedófilo deixou a penitenciária da Papuda pela porta da frente. Sete dias depois, voltou a agir como criminoso.

E não parou mais, até ser detido novamente pela polícia e confessar a morte dos seis adolescentes de Luziânia (GO) dados como desaparecidos.

Desde a sua segunda prisão, no último sábado, 10, Admar disse pouco. Mas o suficiente para os investigadores o apresentarem nessa terça-feira, 13, como o assassino em série que atormentou Luziânia por 101 dias e seis corpos serem encontrados enterrados num terreno ermo da área rural do município a 70km de Brasília. Sem demonstrar arrependimento ou remorso pelas execuções que admitiu ter cometido a sangue frio, ele levou os policiais aos locais onde enterrou suas vítimas mais recentes. Apontou uma a uma as covas rasas. Algumas, cavadas com as próprias mãos, segundo os policiais. Os cadávares estavam em avançado estado de decomposição. Os investigadores, porém, dizem não ter dúvidas de serem os restos mortais dos meninos de 13 a 19 anos, sumidos entre 30 de dezembro e 29 de janeiro.

Nascido em uma família pobre de nove irmãos, baiano de Serra Dourada, cidade de 18 mil habitantes onde o seu pai e os filhos residem, Admar chegou a Luziânia há 16 anos. Só deixou o município goiano de 210 mil moradores no período em que esteve preso por abusar de duas crianças no Distrito Federal.

Nesse caso, ofereceu dinheiro para um menino ajudá-lo a descarregar um caminhão. Com uma faca no pescoço, o garoto acabou forçado a manter relações sexuais com ele. “O menino escapou dizendo que traria um coleguinha, mas chamou a polícia. Quando os policiais chegaram ao local, ele (Admar) já estava abusando de outro garoto. Isso prova que ele tem alto poder de convencimento”, contou o delegado Wesley Almeida, da Polícia Federal, que também investiga o mistério de Luziânia.

Em entrevista coletiva concedida na segunda-feira, 12, na Secretaria de Segurança Pública de Goiás, o pedreiro Admar Jesus confessou ter assassinado, a pauladas, seis jovens de Luziânia (GO), cidade que fica a 70 Km de Brasília.

“Estou arrependido”, disse o pedreiro, que afirmou ainda ter mantido relações homossexuais com duas das vítimas.

Psicopata

Antes de ser liberado da Papuda, Admar passou por avaliação de sanidade. Para um médico do sistema carcerário de Brasília, ele tem o perfil violento de um psicopata e deveria ter acompanhamento psiquiátrico, o que não ocorria. Dizendo ter o laudo sobre o pedreiro, o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, Aredes Pires, não entende como ele voltou às ruas. “Seis vidas se perderam, há um sofrimento enorme das famílias e, talvez, isso poderia ter sido evitado”, ressalta.

O responsável pelos inquéritos, delegado Juracy José Pereira, não tem dúvidas de que se trata de um serial killer, pelo jeito metódico com que Admar agia e a motivação do crime. O perfil das vítimas é o mesmo. Meninos adolescentes — o único maior de idade tinha rosto de menino. Segundo Juracy Pereira, a pouca idade facilitaria o aliciamento. A abordagem era feita sempre à luz do dia, sem violência, com motivação sexual e desfecho já premeditado: a morte da vítima para eliminar provas contra ele.

As investigações revelaram ainda que, com exceção de uma das abordagens, as demais obedeceram a uma sequência lógica dos dias da semana. “Os desaparecimentos ocorreram, respectivamente, na quarta, segunda, domingo, quarta, segunda, sexta e domingo”, pontuou o delegado. “Para mim, esses fatos caracterizam ação de um assassino em série.”

Agentes também desconfiam que Admar teve ajuda de outras pessoas nos crimes de Luziânia. Ele nega. A Justiça do estado vizinho do DF mandou prender o acusado por ao menos cinco dias. O tempo pode ser renovado quantas vezes o juiz achar necessário para os investigadores levantarem provas.

No primeiro depoimento informal, na manhã de sábado, 10, Admar não deu muitos detalhes, mas disse ter oferecido R$ 200 a cada um dos seis jovens, em troca de relações sexuais. Alegou ter matado todos a paulada para não ser denunciado, como ocorreu há cinco anos, em Brasília. “Quatro dos seis jovens tinham relacionamento homossexual e em função disso prendemos dois pedófilos que, em princípio, acreditávamos ter envolvimento com os desaparecimentos. Eles continuam presos por crimes cometidos em Niquelândia, mas não são os responsáveis pelos sumiços de Luziânia”, afirmou Aredes Pires.

Acima da média

A polícia goiana relutou para abrir investigação sobre os sumiços em série de garotos em Luziânia. A delegacia da cidade só começou a dar atenção ao caso após pressões geradas por uma série de reportagens do Correio — o primeiro a denunciar os desaparecimentos, ainda em 16 de janeiro — e o quinto desaparecimento, ocorrido em 20 de janeiro. Insatisfeitas, as mães dos meninos procuraram o Ministério da Justiça, que em 9 de fevereiro mandou a Polícia Federal dar apoio à Polícia Civil de Goiás. Para o delegado Wesley Almeida, da Divisão de Combate ao Crime Organizado da PF, o pedreiro tem “alto poder de persuasão e provavelmente inteligência acima da média”.

Admar passou a madrugada de sábado para domingo preso na delegacia de Luziânia. Revoltada, a população ameaçava invadir o prédio e linchar o acusado. Por questões de segurança, os agentes levaram o assassino confesso dos seis adolescentes de Luziânia para Goiânia. Ele deixou o município do Entorno do DF por volta das 10h30, logo depois de ter apontado os locais onde enterrou os corpos. No início da noite, seguiu para o um presídio de Aparecida de Goiânia, nos arredores da capital do estado. Enquanto isso, em Luziânia, policiais militares tentavam conter a raiva de moradores de Luziânia, que cercavam a casa onde o pedreiro morava com a irmã, o cunhado e dois sobrinhos.

Ouvia vozes

Ele disse que ouvia vozes que o mandavam transar com os jovens, mas que depois sentia raiva e por isso os matava com pauladas e a golpes de enxada.

“Eu ouvia vozes que me mandavam transar com os garotos”, disse o pedófilo que ainda afirmou acreditar serem a voz do diabo.

Inicialmente, o pedreiro afirmou que só havia tido relações homossexuais com dois dos garotos. As declarações dadas na Secretaria de Segurança Pública de Goiás foram acompanhadas pela CPI da Pedofilia, em andamento no Senado, e tomadas a portas fechadas.

Ele também chegou a dizer que recebia dinheiro para matar os adolescentes e que estaria cobrando deles uma dívida de drogas. A versão apresentada ao final do depoimento, no entanto, parece ser, na opinião do relator da CPI, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a que mais faz sentido. Todos os corpos foram encontrados nus, enterrados próximos uns dos outros.

A CPI quer convocar o juiz Luiz Carlos de Miranda, da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, para questionar por que o magistrado resolveu soltar Admar, embora houvesse um laudo médico assinado por cinco psicólogos atestando que ele era um psicopata. A CPI considerou a soltura como desastrosa.

Em depoimento à CPI, padre admite abuso sexual a ex-coroinhas e pagamento de sexo com dízimo

O padre Edílson Duarte admitiu neste sábado (13) em depoimento à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pedofilia, em Arapiraca (AL), que abusou sexualmente de ex-coroinhas.

Acareado com três adolescentes, ele reconheceu que praticou sexo com dois deles --ainda menores de idade-- e pagou algumas vezes os jovens com dinheiro da oferta dada pelos fiéis à Igreja.

Depois de várias negativas de ser homossexual e de abusos sexuais, ele acabou reconhecendo quando os ex-coroinhas Cícero Flávio Vieira Barbosa, Fabiano Silva Ferreira e Anderson Farias Silva foram chamados ao plenário para acareação. “Sim, tive relações sexuais com dois deles. Menos com o Anderson”, disse, para espanto dos presentes ao Fórum da cidade.

Leia Completo AQUI

Papa encontra vítimas de pedófilos e diz sentir 'vergonha' por abusos

Pontífice estava profundamente comovido, segundo porta-voz.
Bento XVI faz visita de dois dias a Malta.

O Papa Bento XVI se reuniu neste domingo (18) em Malta com oito vítimas de padres pedófilos do país, confirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. A reunião aconteceu após a missa que o pontífice oficiou em Floriana, nos arredores da capital nacional, Valletta.

O Papa, segundo Lombardi, estava profundamente comovido com as histórias que ouviu e expressou "sua vergonha e pesar pelo que as vítimas e suas famílias sofreram". O pontífice rezou com as vítimas e lhes assegurou que a Igreja "está fazendo e continuará fazendo" tudo o que estiver a seu alcance para investigar as acusações, para levar à Justiça as responsáveis pelos abusos e para implantar medidas efetivas orientadas a preservar os jovens.

Federico Lombardi
O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, fala à imprensa neste domingo. (Foto: AFP)

"O Santo Padre se reuniu neste domingo na nunciatura apostólica de Malta com um pequeno grupo de pessoas que sofreram abusos sexuais por parte de religiosos", indica o comunicado. O Papa manifestou "sua profunda emoção ante suas histórias, disse que lamenta e sente vergonha pelos sofrimentos que as vítimas e suas famílias tiveram que suportar", segundo a mesma fonte.

Bento XVI rezou com as vítimas e assegurou que "a Igreja faz e fará todo o que estiver em seu poder para investigar as acusações (de abusos sexuais), entregar à justiça as pessoas responsáveis por abusos e aplicar medidas concretas para proteger os jovens no futuro", acrescenta o Vaticano no comunicado.

Missa papa malta
Papa chega para celebrar missa em Malta. (Foto: AP)

O Papa falou separadamente com as oito vítimas dos abusos e, como ressaltou Lombardi, o encontro aconteceu em um ambiente de "serenidade e sem tensão".

É a terceira vez que o Papa se reúne com vítimas de abusos sexuais, após tê-lo feito durante viagens aos Estados Unidos e à Austrália, em meados de 2008.

Com informações da EFE e da France Presse
© 2008-2021 Gospel Channel Brasil
Criado por templateszoo