Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador POLÍCIA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador POLÍCIA. Mostrar todas as postagens

Corpo de cantor gospel é encontrado amarrado a árvore no PR

O cantor gospel Oziel Rodrigues, de 43 anos, foi encontrado morto em uma rua do bairro Eucalipto, em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a PM (Polícia Militar), o corpo do artista foi localizado ontem amarrado a uma árvore, ao lado do cadáver de um jovem de 20 anos. 




No último domingo, 04, um crime chocou os moradores de Fazenda Rio grande, na região metropolitana de Curitiba. A vítima, em questão, é o cantor gospel Oziel Rodrigues de Oliveira, que tinha 43 anos. 

   

 O que mais chamou a atenção no caso, segundo relata matéria, é que o corpo do artista estava amarrado em uma árvore, com as mãos presas em cordas. 




Além disso, conforme informou a Polícia Militar da Região, Oziel estava ao lado de um jovem de 20 anos, que não teve sua identidade revelada, que também estava amarrado. 

 Os dois, segundo a PM, tinham marcas no rosto feitas por disparos de armas de fogo. Os dois corpos foram encaminhados até o Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba, onde passarão por uma perícia mais detalhada. A Polícia Civil informou que está investigando o caso, mas revelou que não divulgará mais detalhes para não comprometer o andamento das investigações.

 Além de cantar, Oziel Rodrigues também era pastor e chegou a se candidatar ao cargo de deputado estadual do Paraná nas eleições de 2018, pelo Partido Popular Socialista (PPS). Ele deixa a esposa e duas filhas.


Gospel Channel com informações do G1

Operação "Ouro de ofir" prende pastores que aplicavam golpe

São Paulo – A Polícia Federal identificou a atuação de pastores evangélicos para beneficiar uma organização criminosa investigada por golpes milionários que atingiram pelo menos 25 mil pessoas em todo o País. 

A Operação Ouro de Ofir foi deflagrada na terça-feira, 21, contra grupo que prometia lucros estratosféricos às vítimas em negócios fictícios envolvendo ouro “do tempo do Império” e antigas “letras do Tesouro Nacional”. Sidiney dos Anjos Peró, alvo de prisão temporária, é apontado com um dos líderes e responsável por arregimentar pastores com o fim de ludibriar e tirar dinheiro dos fiéis.

 “A característica principal da fraude está em atingir a fé das pessoas e na sua crença em um enriquecimento rápido e legítimo, levando-as a crer, inclusive, que tal mecanismo seria um ‘presente de Deus aos fiéis’, ou seja, trazendo a fé religiosa para o centro da fraude. 

A maneira mais prática de explicar isso talvez seja a crença de que contra a fé não há fatos nem argumentos. Muitas vítimas não estão interessadas em entender, pensar ou se informar – só estão interessadas em acreditar. E é exatamente neste ponto que a fraude tomou proporções inimagináveis e ganhou território nos mais diversos Estados da Federação”, afirma o delegado Guilherme Guimarães Farias, em relatório. Segundo o inquérito, diversas narrativas foram inventadas pela suposta organização criminosa para ludibriar as vítimas. No entanto, apenas os crimes cometidos por intermédio de duas histórias são alvo da ação deflagrada nesta terça, 21. 

Uma delas se refere a uma família de Campo Grande (MS) detentora dos lucros sobre a venda de centenas de toneladas de ouro do tempo do Brasil Imperial (1822-1889), mas, para repatriar os valores obtidos com os lucros, alega ter um acordo com uma “Corte Internacional”, que coloca uma condição: 40% do montante que receberiam os herdeiros no Brasil teriam de ser doados a terceiros. Em outro golpe, as vítimas davam valores em troca de uma comissão sobre a “recuperação de antigas letras do Tesouro Nacional”. 

O esquema era o mesmo: em troca de quantias de, no mínimo, R$ 1 mil, eram prometidos às vítimas grandes lucros. Em ambos os casos, as pessoas nunca receberam o que foi prometido. Há quem já tenha dado mais de R$ 20 mil ao grupo. De acordo com a Polícia Federal, abaixo dos mentores dos esquemas, estão “corretores”, que ficam a cargo de cooptar vítimas e inseri-las em grupos nas redes sociais, e escriturários, que fraudavam documentos. Em representação à Justiça Federal do Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal dá conta de que, “fazendo uso de grupos em redes sociais, como Facebook e, principalmente, Whatsapp, onde vários grupos foram criados com o objetivo de transmitir informações sobre as ‘operações’, os chamados ‘corretores’, ‘líderes’ ou apenas encarregados, postam informações e áudios, bem como os próprios ‘investidores’, por vezes, se manifestam” 

 “Assim, todos ficam emaranhados em informações falsas, contraditórias e, por vezes, motivacional. São comuns as mensagens do tipo: ‘vocês tem que acreditar’; ‘vocês foram os escolhidos’; ‘aguardem que a bênção virá”, tudo como forma de manipulação mental e técnicas aparentemente programada de PNL (Programação Neurolinguística) e Controle da Mente, para despertar a cobiça e a esperança, sempre renovada a cada semana, de se receber milhões de reais”, dizem os investigadores. 

Um dos golpes tem como mentor Sidiney dos Anjos Peró, conhecido pelas vítimas como “Dr. Peró”. Ele se diz Juiz, mas apenas possui uma carteira de identificação de Juiz Arbitral do Tribunal de Justiça Arbitral Brasileiro. 

 “Juiz arbitral é um cargo que não existe. Um árbitro existe em Câmaras de negociação, não é um cargo público. O que eles queriam era status”, afirma o delegado Guilherme Guimarães Farias, que conduz as investigações. O delegado afirma, em representação à Justiça, que “além dos símbolos usados por Peró, que remetem à fé cristã, como a Estrela de Davi e a Arca da Aliança”, Sidiney “arregimenta pastores evangélicos, possivelmente como corretores, para vender ‘aportes’ de sua operação a fiéis das respectivas igrejas evangélicas onde referidos pastores agem também de forma criminosa, seja vendendo ‘aportes’ ou mesmo divulgando e estimulando uma operação ilegal”. 

“Vários pastores são citados nos grupos, dos mais diversos estados brasileiros”, relata. A PF ainda afirma que “Sidinei dos Anjos Peró está sendo alvo de uma investigação na Policia Civil de Primavera do Leste/MT, juntamente com Gleison França do Rosário, que tudo indica, teria sido seu ‘corretor’ na região citada, fato este ocorrido dentro de uma igreja evangélica, inclusive com a participação do pastor responsável pela instituição religiosa. O nome da operação faz referência a uma passagem Bíblica, na qual o ouro da cidade de Ofir era finíssimo, puro e raro, sendo o mais precioso metal da época. Ofir nunca foi localizada e nem o metal precioso dela oriundo. 

 Defesa

 A defesa de Sidiney dos Anjos Peró não foi localizada pela reportagem. O espaço está aberto para manifestação.

Gospel Channel | SP

Jornalista que acusa Feliciano é mitomaníaca, diz laudo

O laudo emitido por uma psicóloga aponta que a estudante de jornalismo Patrícia Lelis, de 22 anos, é mitomaníaca, ou seja, tem um transtorno de personalidade que a faz mentir compulsivamente, revela a Polícia Civil de São Paulo nesta sexta-feira (19).



Investigadores disseram que vão pedir a prisão preventiva da estudante, informa o 'G1'. "Recebi documentos com laudo psicológico que diagnosticou a moça como 'mitomaníaca'. Possui mitomania", disse ao G1 o delegado Luiz Roberto Hellmeister, titular do 3º Distrito Policial (DP), na Santa Ifigênia, região central da capital paulista. "Ela é mentirosa compulsiva." Patrícia foi indiciada por calúnia e extorsão pela polícia nesta quinta-feira (18). 

A estudante acusou Talma Bauer, assessor do deputado federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) de sequestro e cárcere privado num hotel na capital paulista, entre julho e agosto, além de ter acusado o deputado de tentativa de estupro no apartamento dele, em Brasília, em junho.

Gospel Channel

Pastor suspeito de abuso contra enteado deixa prisão no Rio

Justiça concedeu alvará de soltura de Felipe mesmo sem tornozeleiras. Ele foi denunciado pelo Ministério Público por estupro de vulnerável.



Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) Bianca Toledo e Felipe G. Heiderich casaram em 2014 (Foto: Reprodução/Facebook) O pastor Felipe Garcia Heiderich, suspeito de abuso sexual contra o enteado de 5 anos, deixou o complexo penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio, na madrugada deste domingo (10), como informou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Neste sábado (9), o desembargador Murilo Kieling concedeu alvará de soltura do Heiderich, mesmo sem tornozeleiras eletrônicas. O equipamento parou de ser fornecido ao governo porque a empresa responsável não recebe do estado desde setembro. Anteriormente, a Justiça havia determinado a prisão domiciliar do pastor. 

Segundo o magistrado, o Ministério Público já havia se posicionado de maneira favorável pela soltura nestas condições. De acordo com a denúncia do MP, o pastor teria cometido os atos libidinosos contra o menino diversas vezes. Ele foi denunciado por estupro de vulnerável e, de acordo com o documento, a prática ocorreu até o dia 11 de junho deste ano. A denúncia do promotor Luiz Otávio Lopes foi oferecida com base na investigação da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). O MP também requereu ao Juízo a revogação da prisão temporária do acusado, por entender já ter sido possível obter na fase de investigação os elementos necessários para a propor a denúncia.

Felipe foi preso na segunda-feira (4), em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, depois de ser denunciado à DCAV pela própria mulher. Por ordem da Justiça, que decretou sua prisão preventiva, ele foi levado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, também na Zona Oeste. 

Na noite de quarta-feira, a desembargadora Maria Sandra Kayatd, da 1ª Câmara Criminal do Rio, negou pedido de habeas corpus feito pela defesa de Felipe. Segundo a Polícia Civil, a pastora Bianca procurou a delegacia no dia 22 de junho para denunciar o crime. Foi instaurado inquérito e reunidas provas que embasaram o pedido de prisão preventiva. 

 Na tarde desta quarta-feira (6), o advogado Leandro Meuser usou o perfil do pastor no Facebook para afirmar que são falsas as acusações contra o seu cliente. Segundo o defensor, “a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade”.

Gospel Channel

Cândido Vaccarezza, candidato apoiado pelo pastor Samuel Ferreira, é um dos nomes citados do novo escândalo da Petrobrás

Gospel Channel Brasil - A revista VEJA trouxe essa semana na edição 2.390 os nomes dos políticos envolvidos com esse novo e vergonhoso escândalo na Petrobrás. 



Nos últimos dias a revista VEJA obteve os detalhes da investigação que beneficiou partidos e polítixos, e divulgou na edição dessa semana esse esquema em que aparece o nome Cândido Vacarezza, deputado apoiado pela Assembleia de Deus - Brás, comandada pelo pastor Samuel Ferreira, que divulga com força a campanha de Vaccarezza. Em sua defesa ele disse a reportagem:

"Só estive com eles uma ou duas vezes" - Disse o deputado do PT, que esse ano está disputando a reeleição. 

As denúncias estão sendo feitas por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás que já está preso, e resolveu colaborar com a polícia federal entregando todos os envolvidos nesse esquema que está conhecido como "Petrolão". 

Gospel Channel - Revista VEJA

Igrejas evangélicas viram alvo de criminosos em SP

Nos últimos seis meses foram pelo menos 11 roubos e 13 furtos.
Em alguns templos, portas são trancadas durante as orações.

Gospel Channel SP com Agência Estado

Igrejas evangélicas da capital paulista viraram alvos de ladrões, que levam não só dinheiro do dízimos como celulares, joias e carros. Nos últimos seis meses foram pelo menos 11 roubos e 13 furtos, segundo levantamento da reportagem. Muitos com relatos de violência contra pastores e obreiros, alguns com bandidos se disfarçando de fiéis.

Assustados, responsáveis pelos templos já deixam as portas de vidro trancadas durante as orações e têm instalado câmeras de vigilância e grades nos portões e portas. Para o bispo Carlos de Castro, presidente do Conselho dos Pastores do Estado de São Paulo, ainda é cedo para tomar alguma providência na cidade de São Paulo e os casos de roubos são ainda mais comuns fora da capital.

Mais prevenido, o pastor David Sales, responsável pela Assembleia de Deus (Ministério Madureira) de Itapevi, na Grande São Paulo, modificou a estrutura de segurança de parte dos templos da região.

Dos 40 existentes, cinco já teriam sido alvo de bandidos. "Colocaram alarmes internos e câmeras", contou. Na visão do pastor, o alvo nos templos são aparelhos de som. "Esses equipamentos depois são vendidos no mercado de usados."

Investigadores que trabalham nas regiões que registraram roubos em igrejas na capital dizem que não se trata de uma quadrilha em atuação, mas sim de grupos isolados que agem por oportunidade. A Polícia Militar também informou, em nota, que não identificou um problema generalizado, mas casos pontuais em alguns bairros da cidade.

O especialista em segurança, Nilton Migdal, diz que "o bandido mudou a ideia de assalto, de roubo. Agora eles preferem onde tem gente para levar mais. Por exemplo, na praia, antes as casas vazias eram invadidas. Não é o que acontece agora."

URGENTE:Ministério público entra com ação contra Gideões missionários (GMUH)


O Ministério Público Eleitoral (MPE) protocolou neste fim de semana no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) novo pedido de multa ao candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, e aos religiosos Cesino Bernardino, Reuel Bernardino e José Lima Damasceno por supostamente antecipar campanha.

A propaganda irregular teria sido feita no dia 1º de maio, em Camboriú (SC), durante o 28º Congresso Internacional de Missões dos Gideões Missionários. De acordo com o MPE, pastores do grupo religioso teriam se referido a Serra como próximo presidente da República.

O MPE pede multa máxima de R$ 25 mil a todos os envolvidos. Seguno a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, o candidato tucano teria exposto a política em evento aberto, que teria contado com teles espalhados pela cidade e um público estimado em 180 mil pessoas.

Na ação, que será analisada pelo ministro do TSE Joelson Dias, o MPE afirma ainda que a propaganda irregular se caracteriza pela “induvidosa intenção de revelar ao eleitorado o cargo político que se almeja”. Por lei, a propaganda eleitoral está liberada desde 6 de julho.

Bruxo diz que procuradora denegriu a imagem da bruxaria


Vera Lúcia Gomes faz parte de comunidades virtuais ligadas ao tema.
Para o tepareuta holístico, prática é ciclo da vida e não serviço do mal.

Bruxos estão revoltados com a imagem passada pela procuradora aposentada Vera Lúcia Sant’Anna Gomes sobre a bruxaria.

A acusada de torturar a menina de 2 anos que ela pretendia adotar faz parte de diversas comunidades virtuais ligadas ao tema.

Segundo o tepareuta holístico e membro da comunidade no Orkut 'Bruxaria Natural', Newton Souza, de 30 anos, a bruxa Vera denegriu a imagem do ritual. “Fazemos ritos para o bem, é um culto à mãe natureza. Não serve ao mal", garantiu.

Newton acredita também que a procuradora só está sendo citada como bruxa por preconceito. “A bruxaria é perseguida há mais de dois mil anos. Se ela fosse católica ou evangélica, ninguém estaria falando nada”, afirmou.

A procuradora participa de comunidades no site de relacionamento Orkut como 'Sociedade Wicca & Bruxaria', 'Xamanismo' e 'Tarologia'. De acordo com Newton, na bruxaria wicca existem sacrifícios simbólicos. Ele explicou que os rituais de purificação, muita vezes marcados pela internet, acontecem para saudar a chegada de uma nova estação.

“Existem rituais de iniciação e de exaltação ao quatro elemento, água, terra, fogo e ar, onde se forma uma roda com um caldeirão no meio. O objetivo é comemorar a vida e a natureza. Fazemos pedidos e colocamos no caldeirão”, detalhou.

Vera Lúcia Sant’Anna Gomes está no Presídio Nelson Hungria, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. A procuradora se entregou à Justiça depois de mais de uma semana foragida.

Procuradora terá que pagar tratamento de menina

No dia 6 de maio, a Vara de Infância, Juventude e Idoso da capital determinou que Vera Lúcia Gomes pague o tratamento psicológico ou psiquiátrico da criança, informou o Ministério Público.

O MP informou que a procuradora terá que começar a custear “imediatamente” o tratamento, em unidade particular de saúde, no valor de 10% de seus rendimentos. Ainda segundo o MP, a Justiça enviou ofício ao abrigo onde a menina se encontra para que providencie o profissional que fará o tratamento.

A ação sustenta que o “tratamento psicológico contribuirá para atenuar, desde logo, o sofrimento da criança, proporcionando-lhe a oportunidade de se tornar uma pessoa livre dos traumas acarretados pelos atos praticados pela ré”. Os promotores pedem ainda estudo psicológico para verificar o dano emocional sofrido pela criança. Segundo o MP, ainda cabe recurso da decisão.

Na ação, cujo mérito ainda não foi julgado, o MP pede ainda a condenação da procuradora aposentada ao pagamento de indenização por danos morais de, pelo menos, mil salários mínimos (R$ 510 mil) e de uma pensão mensal de 10% de seus rendimentos, a título de danos morais, até que a criança complete 18 anos de idade.

Van com fíéis de igreja bate em caminhão e deixa um ferido

Um acidente entre uma van e um caminhão deixou uma pessoa gravemente ferida no final da manhã desta quarta-feira (3), na BR-242.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu por volta do meio-dia desta quarta.

A van que ia de Corrente, no Piauí, para Brasília bateu na traseira de um caminhão carregado com gás, que seguia para o município de Luis Eduardo Magalhães.

De acordo com a PRF, a van estava lotada de fiéis de uma igreja. O motorista da van ficou gravemente ferido. Ele recebeu os primeiros socorros ainda na pista. O tráfego ficou lento no local por quase 30 minutos.

A Polícia Rodoviária Federal vai examninar o tacógrafo da van para saber se o motorista estava em alta velocidade. Segundo a PRF, a pista molhada e as más condições da rodovia podem ter contribuído para o acidente.

Juiz estipula fiança de $20,000 para pastora acusada de abuso sexual



Em audiência realizada na quinta-feira (21), o juiz ordenou que Ana Paula Almeida, 31, fique monitorada por uma tornozeleira GPS e estipulou a fiança de $20,000.

A pastora é acusada de molestar sexualmente uma menina durante dois anos e pediu asilo devido a pendências com a imigração.

Segundo o Milford Daily News, o Juiz James Lemire determinou que ela, ou deveria ficar sob monitoramento eletrônico e pagar em dinheiro a fiança, ou ficasse presa sob a fiança de $200,000. A preocupação do estado quanto à fuga de Ana Paula do país levou a Assistente de Promotoria Cheryl R. Riddle a pedir a prisão da pastora, sem direito à fiança.

Mas Riddle mudou de idéia e apresentou a alternativa de monitoramento e de uma alta fiança. Durante a audiência, ela disse ao juiz que não havia garantias de que Ana Paula não fugiria. Sendo monitorada, a ré pode ir direto a julgamento.

O advogado da brasileira, Scott Busconi, contestou, dizendo que não existe risco de sua cliente fugir. Segundo ele, o pedido de asilo de Ana Paula, baseado em medo de perseguição religiosa, cancela a ordem de deportação ou deportação voluntária da acusada.

Segundo Cheryl Riddle, Ana Paula tinha um visto de curta permanência para realizar compras possivelmente em Nova Iorque, mas decidiu ficar além do prazo permitido. O juiz temia que ela abrisse mão do pedido de asilo e deixasse o país, caso ficasse sem monitoramento eletrônico, o que foi chamado de especulação por Busconi. Segundo o advogado, Ana Paula pretende enfrentar as acusações.

A pastora foi presa em fevereiro último, quando uma menina de 16 anos acusou-a de abuso sexual, ocorrido durante dois anos, portanto quando a vítima tinha 14 anos. Há cerca de duas semanas, Ana Paula não admitiu a culpa. Ela foi acusada formalmente perante um grande júri, no início deste mês.

Acusada recebe apoio

O julgamento da última quinta-feira contou com a presença de várias pessoas apoiando Ana Paula. O juiz Lemire levou vários minutos para tomar uma decisão, em conjunto com outras autoridades. Caso pague a fiança, Ana Paula será solta da prisão feminina MCI-Framingham.

Mesmo com o GPS, Ana Paula terá direito a consultas médicas e jurídicas, bem como a frequentar serviços religiosos. Ela também terá que ligar cinco vezes por semana para o departamento de probation, espécie de liberdade condicional. Ana Paula não poderá ter qualquer contato com a suposta vítima.

Segundo Busconi, o aluguel de Ana Paula será possivelmente pago pela Plenitude of God Church, igreja onde ela exercia a função de pastora. A igreja também deve dar a ela a quantia mensal de $1,000 para ajudar a pagar contas e a comprar mantimentos, ainda segundo o advogado. De acordo com a assistente Riddle, Ana Paula estaria ganhando $4,000 mensais como pastora.

Busconi, as pessoas que foram prestar apoio à acusada e o advogado de imigração dela, que não quis se identificar, se negaram a falar com a imprensa.

A próxima audiência de Ana Paula, que será um pré-julgamento, ocorre em 16 de junho.

Suspeitos de traficar mulheres e ameaçá-las com vodu são levados a tribunal espanhol

Suspeitos de pertencer a uma rede de tráfico humano que levava mulheres nigerianas para a Espanha obrigando-as a se prostituir sob ameaça de uso de vodu foram apresentados a um tribunal espanhol perante um juiz neste sábado.

Muitos dos 23 suspeitos foram acusados de tráfico de seres humanos e extorsão no tribunal da cidade de Huelva, informou a polícia.

As prisões aconteceram durante uma operação que começou na quinta-feira nas cidades de Madri, Sevilha, Badajoz, Palma de Mallorca, Huelva e Gijón, e ainda está em curso.

A iniciativa da Brigada Central de Redes de Imigração, da Secretaria Geral de Estrangeiros e Fronteiras, foi motivada por uma mulher que contou em fevereiro às autoridades sobre as táticas de intimidação da gangue. Segundo a denúncia, a gangue oferecia a viagens à Europa a jovens mulheres nigerianas com falsas promessas de emprego e mais tarde as extorquia por meio de intimidação.

As vítimas, com idades entre 25 e 35 anos, foram forçadas a pagar grandes somas de dinheiro para os membros da gangue, que lhes diziam que elas iriam enlouquecer ou ter suas almas destruídas se desobedecessem às ordens dadas durante rituais de vodu que realizados na Nigéria com partes das unhas e cabelos delas.

Eles exigiam o pagamento de cerca de 50 mil euros pelos custos da viagem até a Espanha, feita por meio de passagens pela Líbia e pela Itália.

O vodu é uma crença e culto religioso praticado principalmente no Haiti e partes da África, que envolve rituais mágicos, com sacrifícios e possessões.

Jovem é presa suspeita de jogar filho de 8 meses na lixeira

Pedestre viu a ação e chamou a Polícia Militar.
Família disse que essa não é a 1ª vez que ela abandona a criança.

Uma jovem de 18 anos foi presa em flagrante na madrugada desta quinta-feira (21) no Centro do Rio suspeita de abandonar o próprio filho, um menino de oito meses, dentro de uma lixeira. As informações foram confirmadas pela 5ª DP (Mem de Sá), onde o caso foi registrado e para onde a jovem foi levada.

Segundo a polícia, um pedestre viu quando a jovem jogou o bebê na lixeira e chamou a Polícia Militar. O policial pegou o bebê e prendeu a mãe pouco depois, na Travessa da Misericórdia.

Na delegacia, a família confirmou que essa não é primeira vez que o bebê é abandonado. Segundo o padastro da jovem, ela tinha saído de casa com a criança há uma semana e a família estava à procura dos dois.

O bebê nada sofreu e foi entregue a avó do menino, que já tem a guarda provisória do bebê e aguarda a adoção definitiva.

A jovem vai responder por abandono de incapaz, crime com pena que pode chegar a 4 anos de prisão.

Polícia de SP prende pedreiro que se passava por juiz de paz e pastor

A polícia de São Paulo prendeu nesta terça-feira um pedreiro que se passava por juiz de paz na zona norte da capital paulista.

Durante uma ronda, os policiais estranharam um carro com placa do Ministério da Justiça estacionado em via pública na Vila Gustavo. Ao averiguar, viram que se tratava de um pedreiro que se passava por juiz de paz.

O veículo estava na frente da casa da mãe de Israel. Segundo a polícia, o acusado é pedreiro, estelionatário e ainda se dizia pastor de igreja.

Foi encontrada com Israel uma carteira falsa de juiz de paz. O caso será apresentado no 39º Distrito Policial, na Vila Gustavo.

Polonês leva filho para escolher prostituta, mas acaba preso


Eles escolheram policial que trabalhava disfarçada como prostituta.
Homem foi condenado a dez meses de prisão, mas a pena foi suspensa.

Um polonês de 42 anos foi condenado pela Justiça inglesa após levar seu filho de 14 anos para escolher uma prostituta em uma estrada em Nottingham, no Reino Unido, para que ele pudesse perder a virgindade, segundo reportagem do jornal inglês "Independent".O pai do jovem acabou preso após eles escolherem uma policial que trabalhava disfarçada como prostituta. Nesta sexta-feira, o homem que não teve a identidade revelada foi condenado a dez meses de prisão, mas a pena foi suspensa por um ano.

O juiz Jonathan Teare disse que não mandou o réu para a prisão por causa de seu excelente caráter, pois não acredita que ele represente qualquer prejuízo para seu filho. Segundo a Justiça, o adolescente vai continuar a viver com o pai.

No julgamento, o homem admitiu a acusação de tentar aliciar uma mulher para ter relações sexuais com seu filho. O homem foi preso na área residencial de Mapperley, em Nottingham, durante uma operação policial contra a prostituição.

O incidente aconteceu em 26 de julho do ano passado. Segundo o promotor Adrian Harris, o réu parou perto da policial que trabalhava disfarçada com o nome de Sarah e perguntou quanto ela cobrava para ter relações sexuais com seu filho.

Harris disse que a agente infiltrada respondeu que cobrava 25 libras, mas, após negociação, o valor caiu para 20 libras. "O réu disse que iria encostar e, neste momento, ele foi preso por agentes policiais", destacou o promotor.

Durante o julgamento, o juiz Jonathan Teare disse que, como pai, o homem tem o dever de cuidar de seu filho e de seu bem-estar moral, e não tentar contratar uma prostituta para que ele pudesse perder a virgindade.

Polícia dispersa passeata gay em Moscou

Vinte ativistas foram presos, entre eles um britânico.
Ato coincidia com final de concurso musical na capital russa.

Foto: AFP

O protesto, que não tinha autorização para ser realizado, coincidia com a final do concurso Eurovision Song Contest. (Foto: AFP)

Foto: Reuters

Policiais russos prendem participantes de passeata gay neste sábado (16) em Moscou. Cerca de 20 pessoas foram detidas, entre elas o ativista gay britânico Peter Tatchell. (Foto: Reuters)

Marcha da Maconha reúne 350 pessoas em Porto Alegre

Ato pacífico foi liberado pelo Ministério Público.
Polícia acompanhou a manifestação.

Cerca de 350 simpatizantes da causa participaram da Marcha da Maconha, na tarde deste sábado (9), em Porto Alegre (RS), no Parque Farroupilha, para defender a descriminalização da substância, regulamentação da produção, comercialização e utilização.

Foto: Nabor Goulart/Agência Estado

Manifestação ocorreu de forma pacífica neste sábado. (Foto: Nabor Goulart/Agência Estado)

O ato, liberado pelo Ministério Público, teve uma hora de duração e foi pacífico.

Os membros da marcha cumpriram as regras estabelecidas e limitaram-se à caminhada e aos brados de "chega de morte, chega de prisão, queremos já a legalização".

Agentes da Inteligência do 9º Batalhão de Polícia Militar e do Pelotão de Operações Especiais (POE) acompanharam as manifestações para impedir apologia, consumo e exposição de cartazes ou camisetas alusivas à droga.

Americana mata o marido após 6 meses de casamento

Filho de mulher de 51 anos foi condenado a 44 anos.
Marido dela foi morto há seis anos por overdose de heroína.

Uma americana e o filho dela foram condenados nessa sexta-feira (1) por terem matado o marido dela no Dia dos Namorados no estado de Nova Jersey , nos Estados Unidos, há seis anos.


Debra Aquilina, de 51 anos, da cidade de Garfield, pegou prisão perpétua por matar Ralph Ludvik, de 45 anos. O motivo, segundo a polícia: ficar com a casa dele. Os dois haviam casado seis meses antes do crime.


O filho de Debra, Mark, de 25 anos, também foi condenado: 44 anos de prisão.
Inicialmente, a causa da morte havia sido apontada como uma overdose acidental de heroína. O caso, porém, acabou sendo reaberto após a polícia obter novas informações.


Segundo informações da mídia americana, Debra e o filho preparam a seringa com a droga e injetaram no braço de Ludvik.

: Polícia polonesa faz orações para diminuir acidentes de trânsito

A polícia polonesa decidiu olhar para o céu a fim de reduzir o alto número de acidentes de trânsito registrados nas estradas do país. No próximo domingo (26), grupos de agentes irão fazer orações pelos motoristas e pedirão ajuda divina para evitar os acidentes.

As orações pretendem conseguir que, este ano, não se repitam as estatísticas de 2008, quando houve quase 50 mil acidentes de trânsito com 5.400 vítimas, o que transforma a Polônia em um dos Estados da União Europeia (UE) onde dirigir é mais perigoso.

O departamento de trânsito da polícia é o responsável por esta iniciativa, que se une a um programa governamental para promover a segurança viária e a direção responsável, informou nesta sexta-feira a rádio pública polonesa.

Este país europeu conta com estradas bastante deficientes, em muitos casos cheias de buracos e com o asfalto deformado devido ao trânsito dos caminhões, o que, junto com o gelo e a neve do inverno, cria um panorama preocupante.

Além de pedir a intervenção de São Rafael, as autoridades da Polônia delinearam um ambicioso plano para melhorar a rede viária, o que inclui a futura abertura de várias rodovias que facilitarão a complicada circulação viária.

O Globo:Polícia faz cruzada contra rádios piratas evangélicas

A polícia iniciou nesta quinta-feira uma operação para fechar rádios piratas operadas por igrejas evangélicas. Interessadas em aumentar o número de fiéis, é cada vez maior o número de igrejas que usam as transmissões clandestinas.

Com equipamentos cada vez mais potentes e mais baratos, estas emissoras que proclamam a palavra de Deus conseguem atingir um raio de mais de 10 quilômetros de seu local de origem, bem mais que os 1000 metros autorizados pelo Ministério das Comunicações para rádios comunitárias legalizadas.

A polícia fechou na Penha, zona leste de São Paulo, a Rádio Gálatas (FM 105.3), cujas transmissões alcançavam até o ABC paulista, 14 quilômetros à frente. Jefferson Lima dos Santos, de 36 anos, foi preso no local. Ele tem outras duas passagens pela polícia pelo mesmo motivo. Jefferson disse que foi contratado pelo pastor da Igreja Misericórdia Graça e Luz, seis meses atrás, para manter a rádio no ar.

Os dois responderão por desenvolver clandestinamente atividade de telecomunicações e, se condenados, podem cumprir pena de 2 a 4 anos de prisão. O delegado Marco Antônio Bernardino dos Santos, da 5ª seccional da Polícia Militar, disse que outras três rádios piratas evangélicas serão fechadas nos próximos dias na região da Penha. Em São Mateus, a polícia espera lacrar outras seis ou sete nas próximas semanas.

- A Gálatas funcionava em um casa bem pequena. O equipamento nem tinha muita força de transmissão, mas estava instalado no alto da montanha, sem outras antenas e frequências de rádio por perto. Além de música gospel, a rádio transmitia as pregações do pastor, que, sem dúvida, usava a rádio para arrebanhar fiéis. Igrejas pequenas costumam fazer isso sem nenhum pudor - disse o delegado.

Para a polícia, o alto custo de regularização impede que elas se transformem em rádios comunitárias. O principal empecilho é o custo do equipamento utilizado justamente na limitação do sinal. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram fechadas em 2008 no país 1252 rádios. Foram 315 em São Paulo e 84 no Rio de Janeiro.

De janeiro a 8 de abril deste ano, foram fechadas 225 rádios piratas no Brasil. Mais uma vez, São Paulo ficou na frente, com 33. No Rio, 23 rádios clandestinas deixaram de funcionar, de acordo com a Anatel.

Normalmente, a Anatel chega até as rádios clandestinas depois de uma denúncia. A Rádio Gálatas foi denunciada por vizinhos que reclamavam de interferência no sinal de televisão e de telefonia. Segundo o delegado, antes de invadir o local a polícia chama um técnico contratado pela Anatel para confirmar a irregularidade e gravar a programação clandestina. Em alguns casos, o proprietário consegue escapar ao perceber que está sendo fiscalizado.

De acordo com Santos, eles instalam o equipamento em outro imóvel e mudam a frequência, mas preservam o nome da rádio para manter os ouvintes já conquistados.

De acordo com Santos, a polícia fechou na zona leste e Grande São Paulo este ano 20 rádios piratas. Uma delas funcionava perto do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, e atrapalhava a comunicação das aeronaves com a torre de controle.

Nesse caso, a rádio tinha interesses comerciais e vários anunciantes, que se disseram surpresos com a clandestinidade da emissora. No mês passado, uma rádio ligada a uma igreja católica também foi fechada em São Caetano do Sul, no ABC paulista.

- O problema é que fechamos uma rádio e outras cinco são abertas. É como enxugar gelo. Deveria haver uma punição mais severa para um casos como esses. Não prisão. Não tem sentido colocar uma pessoa que manuseia uma rádio clandestina junto com um criminoso na cadeia. Mas a multa deveria ser altíssima para desestimular novas instalações piratas - disse o delegado.

Em dezembro do ano passado, a polícia fechou uma rádio pirata na zona sul de São Paulo. Além de equipamentos para transmissão, foi apreendida uma antena de 10 metros de altura. Segundo Santos, o estúdio onde os programas eram gravados estava localizado em um raio de 300 metros do local.

Uma pessoa foi detida e disse que apenas aluga a casa para a instalação da antena. O delegado afirmou, no entanto, que a voz do rapaz era igual à do locutor.

Paulo, uma rádio clandestina ligada à Igreja Evangélica Deus é Amor também foi lacrada em fevereiro durante operação da polícia.

A emissora "Voz do Universo" (FM 95.5) funcionava no segundo andar de um sobrado ocupado pela igreja, na rua coronel José Monteiro, na região central da cidade. A policia encontrou no local estúdio com computadores, mesa de som, sistemas de rádio, microfones, alto-falantes e telefones.

A rádio prejudicava as transmissões da polícia e de outros rádios da região. Segundo o Ministério das Comunicações, o Brasil tem 8275 rádios legalizadas (dados de março). São emissoras comerciais (2292), educativas (440), de ondas médias (1749), ondas curtas (66), ondas tropicais (75) e rádios comunitárias (3.653). As comunitárias são, geralmente, outorgadas a associações ou fundações e têm permissão para atuar em um raio de 1 quilômetro e apenas 25 watts de potência.

Casal de evangélicos é baleado em blitz policial em Salvador

Durante uma blitz da Polícia Militar realizada por volta das 15h30 desta sexta-feira (17), um casal de evangélicos da Igreja Quadrangular foi baleado.

Segundo informações de populares que estavam no local, a polícia abordou a moto pilotada por Adriano de Carvalho Soares, 28 anos, que estava acompanhado de Doralice Alves da Silva, 50.

A versão da polícia é de que o motociclista não parou no bloqueio e tentou passar por cima do policial. Ainda de acordo com a PM, este mesmo policial atirou no pneu da moto, para se defender, mas a bala ricocheteou e atingiu Soares e a carona.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Geral de Camaçari (HGC) pelos próprios policiais. De acordo com informações da unidade, os dois foram encaminhados para a sala de cirurgia.

Fonte: Correio 24 Horas
© 2008-2021 Gospel Channel Brasil
Criado por templateszoo