Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador coronavírus. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador coronavírus. Mostrar todas as postagens

Papa Francisco, Bento XVI recebem vacina COVID-19

 “Posso confirmar que no âmbito do programa de vacinação do Estado da Cidade do Vaticano, a partir de hoje, a primeira dose da vacina Covid-19 foi administrada ao Papa Francisco e ao Papa Emérito”, afirmou Matteo Bruni, diretor do Sala de Imprensa da Santa Sé, de acordo com o Vaticano News. 

Em comentários feitos no início desta semana, Francisco havia explicado que planejava tomar a vacina, afirmando que era “uma ação ética, porque você está jogando com a sua saúde, você está jogando com a sua vida, mas também está jogando com as vidas de outros ”, relatou Vatican News. Depois que uma vacina foi desenvolvida para o coronavírus, alguns grupos pró-vida e outros expressaram preocupação sobre como as células fetais abortadas foram usadas em seu desenvolvimento. 




A vacina AstraZeneca foi desenvolvida em parte através do cultivo de um vírus modificado em células retiradas de tecido renal embrionário derivado de um aborto realizado décadas atrás; embora o tecido abortado não fizesse parte da vacina, foi usado para testá-la. A vacina Moderna foi desenvolvida através da linha celular HEK-293T, que eram descendentes indiretos de células fetais abortadas derivadas de um bebê abortado na Holanda na década de 1970. Esses fatos levaram algumas organizações pró-vida, como o Georgia Right to Life, a denunciar a vacina e exortar seus apoiadores a se absterem de tomá-la. 

“A produção e teste de vacinas usando restos de seres humanos abortados, independentemente da forma de concepção, é moralmente errada e deve ser combatida. A GRTL recomenda fortemente a rejeição de tais vacinas”, afirmou o grupo. Por sua vez, o Vaticano emitiu um comunicado no mês passado explicando que era “moralmente aceitável” que os católicos tomassem a vacina, apesar de alguma preocupação com suas origens. 


Uma declaração da Congregação para a Doutrina da Fé, aprovada pelo Papa Francisco, disse que “todas as vacinas reconhecidas como clinicamente seguras e eficazes podem ser usadas em sã consciência, com a certeza de que o uso de tais vacinas não constitui cooperação formal com o aborto do qual derivam as células usadas na produção das vacinas ”. “É moralmente aceitável receber vacinas Covid-19 que usaram linhagens celulares de fetos abortados em seu processo de pesquisa e produção”, afirmou o CDF. 

 Alguns especialistas em ética cristãos também defenderam a adoção da vacina, argumentando que as vacinas não foram a causa de nenhum novo aborto. Um indivíduo “não está cooperando formalmente com um mal moral ao usar uma vacina desenvolvida graças a um aborto”, declararam Matthew Arbo, C. Ben Mitchell e Andrew T. Walker. "As linhagens celulares envolvidas no desenvolvimento e confirmação da viabilidade das vacinas COVID-19 foram usadas como resultado de abortos anteriores."

Gospel Channel com informações da C.P

Megachurch encerra novamente após 18 membros terem resultado positivo para coronavírus



Um pastor de mega-igreja do Kentucky que entrou em conflito com o governador Andy Beshear por restrições de serviços pessoais impostas durante a pandemia de coronavírus, diz que suspendeu os cultos presenciais novamente depois que 18 membros de sua igreja testaram positivo para o vírus desde que ele voltou pessoalmente serviços um mês após o fechamento.



 A Igreja Batista Clay Mills em Brannon Road, em Nicholasville, ao sul dos limites da cidade de Lexington, realizou os serviços pessoalmente em 17 e 24 de maio, disse Jeff Fugate, pastor da igreja de 2.500 membros, ao Courier Journal . Desde então, ele disse, pelo menos 18 membros de sua igreja deram positivo para o novo coronavírus. 

Ele enfatizou que "não há indicação" de que eles foram infectados na igreja. Randy Gooch, diretor executivo do Departamento de Saúde do Condado de Jessamine, disse à publicação, no entanto, que as evidências revisadas por seu escritório sugerem que as infecções estavam ligadas à igreja. "Nossa investigação da doença é indicativa de que esses casos remontam ao contato com outros casos na Clays Mill Baptist", disse Gooch.

"Nosso caso inicial foi confirmado sintomático quando eles freqüentaram a igreja, então isso nos dá um bom motivo para acreditar que eles estão conectados." Em um post extenso na manhã de quarta-feira, Fugate, que também é presidente do Commonwealth Baptist College , criticou o governador de Kentucky e o departamento de saúde por atingir sua igreja em uma declaração extensa no Facebook .

O governador do Kentucky, Andy Beshear, fala aos frequentadores da igreja. Facebook / Andy Beshear


“O trabalho de rastreamento de contatos pareceu parar com nossa igreja. O vírus veio do local de trabalho de alguém, do shopping, de um supermercado ou de uma grande loja de caixas? Por que o governador Beshear e o Departamento de Saúde destacam pelo nome, eu e nossa igreja? Por que não revelar os nomes e lugares de onde o vírus veio 'antes' de chegar à nossa igreja. Isso soa como 'segmentação por contato' em vez de rastreamento de contato ”, argumentou Fugate. “Nossa igreja não 'produziu' o vírus, alguém tinha que ter pegado o vírus em algum lugar antes de abrirmos a igreja ao público por apenas duas semanas. Nós não tínhamos cultos presenciais desde 15 de março. No entanto, para impedir que mais pessoas infectassem o vírus, suspendi os cultos presenciais até 21 de junho. Eu disse desde o início que a saúde e a segurança de nosso povo são mais importantes para mim ”, ele continuou. 

Fugate observou que sua igreja agora está reunida apenas on-line e disse que Beshear não gostou de ter estado com o procurador-geral do Kentucky Daniel Cameron em abril e pediu que ele levantasse restrições à adoração em pessoa. "O governador está desapontado por eu ter apoiado o procurador-geral Daniel Cameron pelo direito constitucional das igrejas de realizar serviços pessoais", disse o pastor.

Uma decisão de 8 de maio do juiz distrital dos EUA Gregory Van Tatenhove, em um caso envolvendo a Igreja Batista do Tabernáculo , permitiu que igrejas em Kentucky retomassem suas reuniões pessoalmente antes da linha do tempo de 20 de maio, quando Beshear disse que iria suspender sua proibição de reuniões da igreja. 

 “O juiz Van Tatenhove decidiu contra as restrições do governador Beshear às igrejas, revelando na decisão do juiz o viés do governador contra as igrejas. (Leia a decisão). A verdade é que é óbvio que o governador Beshear é culpado de preconceito em relação às igrejas. Ele não pratica o que pregou todos os dias desde o início de março sobre o uso de máscaras, o distanciamento social e a evitação de reuniões. 

Ele diz uma coisa e faz outra - disse Fugate. “Continuaremos a trabalhar para manter nosso povo seguro e saudável enquanto frequentarmos a igreja. O governador Beshear pode continuar promovendo grandes reuniões em protestos (exceto aqueles que discordam dele) ou onde quer que considere apropriado e, ao mesmo tempo, limitar nossos negócios em Kentucky e destacar igrejas. Isso é problema dele, mas seu viés está aparecendo! Fugate disse ao Courier Journal que, em 21 de junho, a igreja retomará os cultos pessoalmente em uma nova barraca ao ar livre que pode acomodar 400 pessoas. 

 "As pessoas podem estacionar em volta da nova tenda e ouvir no rádio se quiserem ficar em seus carros fora da tenda", disse ele, observando que aqueles que estão doentes devem ficar em casa. Ao abordar o coronavírus em um briefing recente, Beshear disse: “Espero que todos (que) tenham testado positivo nos serviços da Clays Mill tenham visto ou conversado com um médico. Queremos que todos estejam bem. " Beshear mencionou então como Fugate ficou com Cameron em abril e disse: "Governador, podemos fazer isso com segurança". 

 "Bem, ele não podia", argumentou Beshear.

Gospel Channel com informações do C.P

China garante 'estabilidade' demolindo igrejas e removendo cruzes

A repressão da China contra o cristianismo continuou a aumentar ao longo de maio, com numerosos relatos de ataques à igreja, remoções cruzadas e intimidação de crentes emergindo de todo o país. De acordo com o cão de guarda da perseguição Bitter Winter, enquanto a China tenta reabrir após os bloqueios por coronavírus, as autoridades comunistas continuam propagando medidas de “manutenção da estabilidade” que visam especificamente os locais de culto cristãos.



Na semana passada, a Irmandade Cristã Chinesa de Justiça revelou no Twitter que uma igreja examinada pelo estado localizada no distrito de Panji, na cidade de Huainan, província de Anhui, teve sua cruz removida pelas autoridades. Em um vídeo compartilhado pelo grupo, um trabalhador pode ser visto de pé no telhado da igreja, agora vago, ao lado de uma escada. Em outro post, o CCFR compartilhou fotos de uma igreja doméstica na cidade de Shangrao, na província de Jiangxi, supostamente programada para ser demolida. As fotos mostram a igreja gravemente danificada, com ladrilhos de teto espalhados pelo chão. 

O Bitter Winter relata que várias igrejas na cidade de Dexing, Shangrao e Fuzhou também foram invadidas pelas autoridades locais e instruídas a fechar suas igrejas e se unir à Igreja dos Três Eus. Alguns líderes da igreja foram detidos e forçados a assinar um acordo para interromper a reunião ou ingressar na igreja oficial.
Na semana passada, surgiram imagens da polícia usando a força para dissolver um serviço na Igreja de Xingguang, na cidade de Xiamen, na província de Fujian, sudeste do país. 

Durante o ataque realizado por guardas de segurança e oficiais do Departamento Étnico e Religioso local, muitos crentes foram violentamente espancados, um dos quais precisou procurar atendimento médico. A igreja foi banida após o ataque, para o qual os oficiais nunca apresentaram mandados. Gina Goh, gerente regional da International Christian Concern para o Sudeste Asiático, disse que a China retomou claramente sua repressão ao cristianismo agora que a ameaça representada pela pandemia de coronavírus diminuiu. 

 “Nas últimas semanas, vimos um número crescente de demolições de igrejas e remoções cruzadas em igrejas sancionadas pelo Estado em toda a China, enquanto as reuniões de igrejas domésticas continuam enfrentando interrupção e assédio. É deplorável que as autoridades locais não apenas tenham conduzido esse ataque sem o procedimento adequado, mas tenham usado o uso excessivo da força contra os membros da igreja e os espectadores ”, disse ela. "A ICC pede à comunidade internacional e ao governo dos EUA que condenem os constantes abusos dos direitos humanos na China".

O cão de guarda da perseguição Open Doors USA classifica a China como um dos piores países do mundo quando se trata de perseguição aos cristãos. O país subiu na classificação de 27 para 23. no relatório da World Watch List de Portas Abertas para 2020, de 50 países onde é mais difícil acreditar. No início deste ano, o CEO da Open Doors USA, David Curry, disse ao The Christian Post que a China, sob o presidente Xi Jinping, está criando um "sistema de perseguição para o futuro". "Temos que chamar agora", disse ele. “Caso contrário, será tarde demais. Caso contrário, eles o venderão ao Irã e a outros para oprimir suas minorias religiosas. É por isso que precisa ser realmente destacado. Dentro de cinco anos, seria quase tarde demais para detê-los. " 

A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos divulgou no mês passado um relatório recomendando que o governo dos EUA novamente designe a China como um país de preocupação particular sob a Lei da Liberdade Religiosa Internacional. 

O relatório cita a contínua perseguição da China a cristãos, budistas tibetanos, uigures, cazaques, quirguizes e outros muçulmanos.
O USCIRF também recomendou aos EUA "impor sanções direcionadas a agências e funcionários do governo chinês responsáveis ​​por violações graves da liberdade religiosa". O USCIRF alertou que "o estado de liberdade religiosa na China continuou se deteriorando" no último ano. "Não há dúvida de que a China é o principal violador mundial dos direitos humanos e da liberdade religiosa", disse o comissário Johnnie Moore. 

"Ele não pode ser comparado a nenhum outro país do mundo, não apenas por suas ações indesculpáveis, mas também pela maneira como ajuda e incentiva ações semelhantes de outros países em todo o mundo". Moore também criticou a ordem internacional de continuar "deixando a China jogar de acordo com suas próprias regras, e especialmente nas Nações Unidas". 

 “Isso é absolutamente imperdoável e as nações de todo o mundo que ignoram a malevolência da China podem acabar se servindo a ela. Já é hora de nossos corpos mundiais e nossas democracias liberais exigirem mais da China ”, afirmou.

Gospel Channel USA com informações do C.P
Texto: Leah MarieAnn Klett

Família descobre que idosa com Covid-19 está viva após abrir caixão durante velório

A família de Maria da Conceição Oliveira, de 68 anos, abriu o caixão da avó durante o velório e descobriu que o corpo que estava lá era de outra pessoa. Apesar da emissão da certidão de óbito, Maria está viva e foi encontrada, após insistência da família, em um leito do Hospital Abelardo Santos, em Belém, no Pará. 



Ela trata dos sintomas do novo coronavírus. As informações são do G1. De acordo com os familiares, a idosa apresentou melhoras na segunda-feira e tomografias mostraram avanço na recuperação dos pulmões. Ela foi internada no último dia 30 de abril. Depois que deu entrada na unidade, a família não teve mais notícias e no dia seguinte (1º) recebeu a certidão de óbito da idosa. Tallya Fernandes, parente de Maria, conta que uma funerária contratada levou o corpo para a casa da família. Um dos filhos perguntou ao funcionário do local como estava a idosa e ele teria respondido “bata vermelha, cabelos brancos”. 

 A descrição da vítima acionou o alerta da família já que Maria não tinha cabelos brancos e nenhuma bata vermelha havia sido enviada para ela. “Foi que o neto dela teve coragem pra abrir o caixão e foi um susto terrível, era uma senhora morena, com tubo na boca”, relatou Tallya ao G1. Após perceberam que o corpo havia sido trocado, os familiares foram até o hospital. “Fizemos um escândalo na frente e entrou o neto dela. Ele teve que ver mais de 30 cadáveres, um por um, correu risco, e não encontrou a avó. 

Todo mundo dizendo que ela estava morta”, disse Tallya. Os familiares só descobriram que Maria estava viva após receberem a ajuda de uma enfermeira. A funcionária do hospital fez uma chamada de vídeo com a idosa para comprovar que ela estava viva. Segundo a família, foi feito um boletim de ocorrência contra o hospital pelo erro. Em nota enviada ao G1, a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) reconheceu o erro e informou que a confusão é consequência da falta de estrutura diante do aumento de doentes e de mortos. Segundo a Sespa, o serviço de Verificação de Óbito (SVO) atendeu na última sexta-feira (1º) 35 casos, destes cerca de 50% foram por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), o que é cerca de 20 vezes mais do que o normal. 

 O governo do Pará informou ainda que “com a abertura do Hospital para pronto-socorro, os procedimentos e rotinas foram totalmente alterados. Os problemas estão sendo identificados, dentro do possível, corrigidos. Estamos lutando para dar dignidade às famílias neste momento de dor”.

Gospel Channel com informações do G1 | Via Isto é

O encontro evangélico que acelerou as contaminações na França

Um evento evangélico no leste da França, que durou uma semana no mês fevereiro, contribuiu para disseminar o coronavírus em todo o país, segundo autoridades sanitárias.

 A celebração religiosa, um importante foco de contaminação, também tornou o leste da França a área mais afetada pelo vírus causador doença covid-19, com 587 casos confirmados dos cerca de 2,3 mil registrados até o momento no país.

Até o final de fevereiro, a região da Alsácia, no leste da França, não era o centro das atenções do noticiário sobre o coronavírus, mais concentradas no norte do país. A situação mudou drasticamente no início de março, após a celebração religiosa da igreja pentecostal Porta do Sol Cristã, de 17 a 24 de fevereiro, que reuniu cerca de 2 mil pessoas em Mulhouse, localidade do Haut-Rhin, na Alsácia. 

Os participantes do encontro evangélico vieram de toda a França, inclusive de territórios ultramarinos, como a Guiana, onde quatro casos de pessoas que estiveram no encontro foram confirmados. Vários também eram de localidades do leste.



"Houve muita confraternização. É um contexto propício para a contaminação", afirma o médico Jonathan Peterschmitt, filho do pastor da igreja evangélica Porta do Sol Cristã. "Quando oramos, podemos nos dar as mãos", diz a responsável pela comunicação da igreja de Mulhouse, acrescentando que no momento em que ocorreu o encontro religioso as precauções decorrentes do vírus não haviam sido implementadas pelas autoridades.

O pastor da igreja também foi contaminado. Em um comunicado, os organizadores do encontro evangélico ressaltam que nenhum participante tinha sintomas gripais e que naquele momento não havia nenhuma recomendação do governo.

 "A França estava no nível 1 (de medidas preventivas), ou seja, o vírus não circulava de maneira geral na população", diz o comunicado da igreja, acrescentando que só posteriormente as autoridades limitaram o número de pessoas em eventos (atualmente no máximo mil). Mas no departamento de Haut-Rhin, onde fica Mulhouse, reuniões com mais de 50 pessoas foram proibidas para conter a propagação. Até o final de fevereiro, o principal foco de contaminação na França era a região do Oise, no norte. 

No intervalo de apenas uma semana, entre o final de fevereiro e o início de março, o número de casos de coronavírus na França passou de algumas dezenas a mais de mil. Como o período de incubação pode levar até duas semanas, de acordo com estudos médicos, o evento evangélico representou uma "bomba de efeito retardado que se fragmentou em toda a França", escreveu o jornal Le Figaro.

Avanço exponencial 

A França é o segundo país da Europa mais afetado pela epidemia. Segundo os últimos dados, 2.281 pessoas foram contaminadas no país (quase 500 a mais do que no dia anterior) e 48 mortes foram registradas. O primeiro caso de um participante do evento religioso contaminado pelo coronavírus surgiu em 29 de fevereiro. Nos dias seguintes, o número foi crescendo de forma exponencial. No dia 6 de março, o secretário de segurança pública do Haut-Rhin, onde fica Mulhouse, declarou que o número de pessoas infectadas no departamento foi multiplicado por oito em apenas 48 horas, passando de dez para pelo menos 81. 

Em menos de uma semana, o total já é de 359. A contaminação também foi acelerada na França após o encontro religioso, com casos de participantes que contraíram o vírus em várias regiões, da Normandia à Córsega, no sul. Um pastor evangélico de Briançon, no sul, que participou do encontro em Mulhouse, foi contaminado. Ele também é diretor do serviço funerário da cidade e esteve em contato com três prefeitos do sul do país, incluindo o de Briançon, que tiveram de suspender sua campanha às eleições municipais (o primeiro turno é no próximo domingo, dia 15) até saberem se contraíram o vírus. 

A covid-19 tem impacto na campanha das eleições municipais. Vários prefeitos cancelaram comícios ou foram obrigados a restringir o número de participantes em até mil, conforme determinação do governo. As escolas e creches na região do Oise, no norte da França, do Haut-Rhin, no leste, e da Córsega, no sul, foram fechadas até o final de março. Os hospitais na região leste da França estão saturados e recebem um grande número de ligações de pessoas que querem fazer testes para diagnosticar se houve contaminação.

Gospel Channel com informações da AFP e BBC Brasil

Italianos que tentam fugir do bloqueio por coronavírus podem ser presos

italianos que tentam fugir do bloqueio no norte do país, criados para tentar impedir a propagação do novo coronavírus , podem enfrentar três meses de prisão, disse o ministro do Interior da Itália.

Quem sair das "regiões de contenção" corre o risco de três meses de prisão, ou uma multa de até 206 euros (234 dólares), disse Luciana Lamorgese. A notícia veio depois que a Itália viu um aumento dramático de 1.247 novos casos confirmados de coronavírus no sábado, informou o Departamento de Proteção Civil em comunicado. O número de casos no país chegou a 7.375, com 366 mortes - o maior número de mortes fora da China continental e o maior surto na Europa.

As verificações de conformidade com a proibição de circulação serão realizadas nas principais rodovias e ao longo de estradas menores pelas forças policiais Carabinieri (polícia militar) e municipal, enquanto a polícia ferroviária, os funcionários das autoridades de saúde e a equipe de proteção civil que usam aparelhos termosscanais aplicarão a proibição ferrovias do estado. Quem viaja será verificado para ver se tem uma isenção de viagem auto-declarada. 

Os passageiros que partem dos aeroportos nas regiões de contenção exigirão autocertificação e verificações semelhantes serão feitas nos voos que chegam nessas áreas. Também serão introduzidos cheques para passageiros de navios de cruzeiro que chegarem a Veneza, que não poderão desembarcar para visitar a cidade, mas só poderão retornar ao local de residência ou país de origem.
Proibição de visitantes provoca distúrbios na prisão Seis detentos morreram em uma prisão de Modena depois que houve tumultos após a suspensão de visitas à prisão para conter a propagação do vírus, disse o diretor do sistema penitenciário italiano Francesco Basentini, em entrevista à TV na segunda-feira. 

Prisioneiros encarcerados em várias instituições da Itália - em Frosinone, Nápoles, Pavia, Alexandria, Modena e Foggia - se revoltaram no fim de semana, de acordo com um comunicado do Ministério da Justiça italiano. 

"Os protestos dizem respeito à emergência do coronavírus, bem como às medidas emitidas pelo governo para reduzir o risco de infecção e proteger aqueles que vivem e trabalham dentro da prisão", disse o comunicado, acrescentando que todos os episódios de distúrbios foram controlados pela Domingo à noite. Em Modena, os presos ocuparam toda a prisão, incluindo a enfermaria, onde se apossaram de várias drogas, incluindo a metadona, disse Basentini. Dois dos mortos morreram de overdose e outro da inalação de fumaça tóxica. Basentini disse que a causa das três mortes restantes está sob investigação. 

Zona de quarentena no norte do país 

Houve mais de 108.000 casos confirmados e 3.821 mortes relacionadas ao novo coronavírus em todo o mundo. Apesar dos sinais de melhora na Ásia - com a China e a Coréia do Sul registrando uma desaceleração no número de novos casos - a situação na Europa e na América do Norte parece estar piorando. 



O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte assinou um decreto no início de domingo, colocando milhões de pessoas em todo o norte da Itália em detenção. A medida coloca toda a região da Lombardia e outras 14 províncias sob restrições de viagem e é uma das respostas mais difíceis implementadas fora da China continental para controlar a epidemia do COVID-19. Ao anunciar as novas medidas, Conte disse: "Haverá uma obrigação de evitar qualquer movimento de pessoas que estejam entrando ou saindo" das áreas afetadas. 

"Mesmo dentro das áreas em movimento, ocorrerá apenas por razões essenciais de trabalho ou de saúde", disse ele, segundo relatórios da Reuters. Escolas, universidades, teatros, cinemas, bares e discotecas foram fechados. Cerimônias religiosas, incluindo funerais e casamentos, e eventos esportivos estão sendo suspensos ou adiados. 

Restaurantes e bares podem ser abertos das 6h às 18h, e os shoppings e mercados podem ser abertos durante a semana, se puderem garantir a distância de um medidor entre cada cliente. Embora o bloqueio se aplique apenas à "zona vermelha" do norte da Itália, outras medidas serão aplicadas a todo o país. Isso inclui o fechamento de bares e museus, a suspensão de cerimônias religiosas e o adiamento de eventos esportivos. 

O Ministério das Finanças e Economia da Itália disse em comunicado nesta segunda-feira que os principais setores da economia e da administração pública permaneceriam abertos para negócios, mesmo nas áreas restritas, mas alertou que as medidas de precaução impactariam setores ligados ao transporte, hospedagem, alimentação, bebida e entretenimento. 

"Isso é da maior importância, não apenas do ponto de vista da saúde, mas também do ponto de vista econômico. Uma crise temporária em alguns setores ou áreas do país é preferível a uma crise mais longa que pode se espalhar para toda a economia por meio de efeitos de demanda e oferta". a declaração dizia. O governo italiano está preparando medidas para apoiar trabalhadores e empresas em todo o país, particularmente nos setores e áreas mais afetadas pelo surto, para tentar "danos duradouros no lado da oferta da economia italiana e perdas permanentes de emprego". 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) instou "todos os países a continuar os esforços que foram eficazes para limitar o número de casos e retardar a propagação do vírus". Em comunicado, a OMS afirmou: "Permitir propagação descontrolada não deve ser uma escolha de nenhum governo, pois prejudicará não apenas os cidadãos daquele país, mas também afetará outros países".

Gospel Channel com informações da CNN

Brasil tem 1º caso de coronavírus após contraprova dar positivo

O Brasil tem o primeiro caso de coronavírus confirmado. A contraprova de um paciente que esteve na Itália deu positivo depois de teste feito no Instituto Adolfo Lutz. 

 O Hospital Israelita Albert Einstein registrou a notificação nesta terça-feira (25) e no atendimento, adotou todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns e o exame específico para SARS-CoV2 (RT-PCR, pelo protocolo Charité), conforme preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 



 Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e de acordo com o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova. Trata-se de um homem de 61 anos, residente em São Paulo. Traz o histórico de viagem para a Itália, na região da Lombardia (norte do país), a trabalho, sozinho, no período de 9 a 21 de fevereiro. Iniciou com sinais e sintomas (febre, tosse seca, dor de garganta e coriza) compatíveis com a suspeita de doença pelo coronavírus. 

O paciente está bem, com sinais brandos e recebeu as orientações de precaução padrão. 

 Pessoas que tiveram contato 

 As secretarias de Saúde municipal e estadual de São Paulo começaram a identificar as pessoas que tiveram contato com o paciente investigado na casa, no hospital e no voo, com apoio da Anvisa junto à companhia aérea. 

Essas pessoas serão contatadas e deverão fazer exames. Ao todo o país tem quatro casos investigados, todos em São Paulo. Já foram descartados outras 55 suspeitas.

Gospel Channel com informações do R7

Casos de coronavírus na China chegam a 70,5 mil

A Comissão Nacional de Saúde da China informou nesta segunda-feira (17) que o número de casos confirmados do novo coronavírus no país chegou a 70,5 mil. As mortes somam 1.696. 

A província de Hubei concentra 82% dos casos, principalmente na capital, Wuhan. Ainda de acordo com o governo, 6.639 pacientes foram curados e receberam alta de hospitais.

 Outros países 

Novos casos em outros países estão aumentando a preocupação com a contenção do vírus. 



No domingo, Taiwan registrou sua primeira morte por COVID-19, a quinta fatalidade fora da China continental. A Agência Central de Notícias de Taiwan, citando o ministro da Saúde Chen Shih-chung, disse que o homem que morreu tinha mais de 60 anos, não viajara para o exterior recentemente e não tinha contato conhecido com pacientes com vírus. 

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, convocou uma reunião de especialistas para discutir medidas de contenção no país, onde mais de uma dúzia de casos surgiram nos últimos dias sem nenhum vínculo óbvio com a China. 

"A situação em torno deste vírus está mudando a cada minuto", disse Abe. O ministro da Saúde do Japão, Katsunobu Kato, disse que o país estava "entrando em uma fase diferente de antes", exigindo novas medidas para impedir a propagação do vírus. O Japão tem 415 casos confirmados, incluindo centenas de um navio de cruzeiro em quarentena e uma morte pelo vírus. O Japão tem o maior número de casos entre cerca de duas dúzias de países fora da China, onde a doença se espalhou. 

Embora relatórios tenham uma aparente tentativa de demonstrar que a liderança do Partido Comunista agiu decisivamente desde o início, também são feitas críticas sobre o motivo pelo qual o público não foi alertado antes. Em seu discurso, o presidente Xi Jinping disse que deu instruções sobre o combate ao vírus em 7 de janeiro e ordenou o fechamento das cidades mais afetadas. 

 A divulgação de seu discurso indica que os principais líderes sabiam sobre a gravidade potencial do surto pelo menos duas semanas antes que esses perigos fossem divulgados ao público. Somente no final de janeiro as autoridades disseram que o vírus pode se espalhar entre humanos e o alarme público começou a aumentar. 

Gospel Channel com Associated Press

Número de mortes pelo novo coronavírus ultrapassa 900

O número total de mortes causadas pelo surto de coronavirus subiu para 908, informou a Comissão Nacional de Saúde da China, nesta segunda-feira (10). 



A epidemia já infectou 40,1 mil cidadãos em território chinês e mais de 370 em outros países. As autoridades informam ainda que 6.484 pessoas continuam internadas em estado grave. Outras 2.898 pessoas que contraíram a doença estão curadas.

Especialistas em saúde, no entanto, alertam para o risco de reinfecção em pacientes já recuperados. Somente na China, o estado de alerta causado pela epidemia atinge 31 províncias do país, incluindo Wuhan, cidade onde o surto teve início e que está isolada desde 23 de janeiro. 

No sábado (8), o número de mortes causadas pelo coronavírus ultrapassou os óbitos da epidemia de Sars, que preocupou o mundo entre 2002 e 2003.

Gospel Channel com informações de agências internacionais

China tem mais de 20 mil casos confirmados de coronavírus

Número de mortes chegou a 425 na segunda-feira; maior número de vítimas está concentrado na província de Hubei, epicentro da epidemia 

 O número de pessoas infectadas com o novo tipo de coronavírus na China continua a subir. No boletim divulgado pela Comissão Nacional de Saúde, na segunda-feira (3), aparecem 20,4 mil casos confirmados — sendo 2.788 pacientes em estado grave — e 425 mortes. Até o momento, 632 pessoas que estavam internadas em hospitais chineses por complicações causadas pelo novo vírus receberam alta. 

China construiu hospital em 10 dias para cuidar de epidemia

 As autoridades também aguardam os resultados dos exames de outras 23,2 mil pessoas suspeitas de estarem infectadas. Embora o vírus tenha se disseminado por todas a China, a maioria dos doentes e das mortes permanece na província de Hubei, onde a epidemia começou. Um um monitoramento em tempo real do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, mostrava na manhã desta terça-feira (4), 194 pessoas infectadas pelo novo vírus fora da China, em mais de 20 países.

Gospel Channel com agências internacionais

Província de Hubei, na China, confirma mais 25 vítimas e o total de mortes por coronavírus sobe para 132

Os Estados Unidos e o Japão retiraram cidadãos da cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto de um novo vírus, nesta quarta-feira, quando o número de mortos subiu acentuadamente para 132 e o primeiro caso apareceu no Oriente Médio.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou estar confiante na capacidade da China de conter o coronavírus, mas as preocupações têm aumentado, com as autoridades de saúde informando que o número de casos confirmados saltou de 1.459 para 5.974. As ruas estavam desertas em muitas cidades importantes da Ásia. 

O número de mortos pelo vírus semelhante ao da gripe aumentou em 26, para 132, quase todos na província de Hubei, cuja capital é Wuhan, onde o vírus surgiu no mês passado em um mercado de animais selvagens. A província central de cerca de 60 milhões de pessoas está sob isolamento. “Fiquei extremamente preocupado de ficar preso lá enquanto a situação estava mudando muito rapidamente”, disse Takeo Aoyama, que chegou a Tóquio em um avião fretado transportando 206 japoneses de Wuhan. 

 “Sinto-me realmente aliviado”, declarou Aoyama, funcionário da Nippon Steel, usando máscara, no aeroporto da capital japonesa. Mais voos estão planejados. Dois dos retirados apresentaram sintomas de pneumonia, mas o diagnóstico de coronavírus não foi confirmado, disseram representantes do hospital posteriormente. Também cresce a preocupação com o impacto do vírus na segunda maior economia do mundo. 

Companhias aéreas estão suspendendo voos para a China —a British Airways foi a mais recente a anunciar a medida— e empresas globais estão restringindo as viagens de funcionários para lá. O centro de apostas de Macau era praticamente uma cidade fantasma, enquanto os shoppings e centros comerciais em capitais asiáticas como Bangcoc estavam vazios, com muitos que se aventuravam ao ar livre usando máscaras verdes ou brancas. Os setores de mineração a bens de luxo foram abalados por preocupações com a possibilidade de uma pandemia. 



As ações de Hong Kong sofreram queda no primeiro dia de negociação após o intervalo do Ano Novo Lunar. Os mercados regionais, no entanto, interromperam a queda, com ações no Japão, Austrália, Coreia e Índia ficando estáveis ​​ou mais sólidas e moedas em sua maioria estáveis. Os mercados chineses retomam as negociações em 3 de fevereiro. 

 No que pode ser um grande passo para conter a doença, cientistas da Austrália disseram que desenvolveram uma versão em laboratório do coronavírus, a primeira a ser recriada fora da China.

Gospel Channel cm informações da Reuters

Estados Unidos confirmam terceiro caso de coronavírus

Os Estados Unidos confirmaram o terceiro caso de coronavírus no país, desta vez registrado em Orange County, no sul da Califórnia. Segundo os serviços de saúde norte-americanos, o novo caso é de um viajante que tinha estado na cidade chinesa de Wuhan, considerada o epicentro da doença. 



O paciente está isolado num hospital e apresenta estado de saúde estável, segundo os serviços de saúde locais. As autoridades norte-americanas vão acompanhar as pessoas que estiveram em contato com o paciente, sendo que as normas do Centro de Controle e Prevenção da Doença indicam que o risco de desenvolver uma infeção é mínimo para quem teve apenas um "contato casual" com o doente. 

Segundo as autoridades norte-americanas, o risco de transmissão na zona continua baixo. Os outros dois casos identificados nos Estados Unidos foram registrados em 21 de janeiro em Washington e em 24 de janeiro em Chicago. 

Gospel Channel com agências internacionais

Número de mortos por coronavírus na China sobe para 41

Hong Kong declarou emergência, cancelou festas do Ano Novo Lunar e restringiu acesso à China. 

O número de mortos pelo surto de coronavírus na China saltou para 41 neste sábado (25), marcando um começo sombrio para o Ano Novo Lunar no país asiático, com Hong Kong declarando uma emergência de vírus, cancelando celebrações e restringindo as ligações à China continental. 
 A Austrália confirmou neste sábado seus quatro primeiros casos, a Malásia confirmou três e a França relatou os primeiros casos da Europa na sexta-feira (24), enquanto as autoridades de saúde de todo o mundo lutam para evitar uma pandemia.



 A líder executiva de Hong Kong, Carrie Lam, declarou no sábado uma emergência de vírus no centro financeiro asiático, com cinco casos confirmados, interrompendo imediatamente as visitas oficiais à China continental e suspendendo as celebrações oficiais do Ano Novo Lunar. Os voos de entrada e saída e as viagens de trem de alta velocidade entre Hong Kong e Wuhan, o epicentro do surto, serão suspensos e as escolas, agora no feriado do Ano Novo Lunar, permanecerão fechadas até 17 de fevereiro. 

O território também tratava 122 pessoas com suspeita de ter a doença. 1.300 infectados no mundo O número de mortos pelo coronavírus na China subiu para 41 neste sábado, ante 26 no dia anterior, e mais de 1.300 pessoas foram infectadas globalmente com um vírus encontrado em um mercado de frutos do mar na cidade central de Wuhan, que vendia ilegalmente animais silvestres. Hu Yinghai, vice-diretor geral do Departamento de Assuntos Civis da província de Hubei, onde fica Wuhan, fez um apelo no sábado por máscaras e roupas de proteção. Os hospitais da cidade fizeram pedidos semelhantes.

"Estamos constantemente avançando no controle e prevenção de doenças ... Mas agora estamos enfrentando uma crise de saúde pública extremamente grave", disse ele em entrevista coletiva. Os veículos que transportam suprimentos de emergência e equipes médicas para Wuhan estão isentos de pedágios e vão receber prioridade no trânsito, informou o Ministério dos Transportes da China neste sábado. Wuhan disse que proibiria veículos não essenciais do centro da cidade a partir de domingo para controlar a propagação do vírus, paralisando ainda mais uma cidade de 11 milhões de pessoas que está em confinamento virtual desde quinta-feira, com quase todos os voos cancelados e postos de controle bloqueando as principais estradas fora da cidade.

Autoridades impuseram restrições de transporte a quase toda a província de Hubei, que tem uma população de 59 milhões. Na Austrália, três homens, com 53, 43 e 35 anos, em Nova Gales do Sul, estavam em condições estáveis ​​após terem confirmado o vírus depois de voltarem de Wuhan no início deste mês. Um cidadão chinês na casa dos 50 anos, que estava em Wuhan, também estava em condições estáveis ​​em um hospital de Melbourne depois de chegar da China em 19 de janeiro, disseram autoridades da Victoria Health.

A rede estatal China Global Television informou no Twitter neste sábado que um médico que estava tratando pacientes em Wuhan, Liang Wudong, 62 anos, morreu do vírus. Não ficou claro imediatamente se sua morte já foi incluída no número oficial de 41, dos quais 39 estavam na província central de Hubei, onde Wuhan está localizada.

A rede de cafeterias norte-americana Starbucks disse neste sábado que estava fechando todos os seus pontos de venda na província de Hubei para o feriado de Ano Novo Lunar de uma semana, após um movimento semelhante do McDonald's em cinco cidades de Hubei. 

Medidas de proteção

Em Pequim, neste sábado, trabalhadores em trajes de proteção brancos verificaram a temperatura dos passageiros entrando no metrô na estação ferroviária central, enquanto alguns serviços de trem na região do delta do rio Yangtze, no leste da China, foram suspensos, disse a operadora ferroviária local. O número de casos confirmados na China é de 1.287.

O vírus também foi detectado na Tailândia, Vietnã, Cingapura, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Nepal e Estados Unidos. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA disseram na sexta-feira que tinham 63 pacientes sob investigação, com dois casos confirmados. Embora a China tenha pedido transparência na gestão da crise, após a disseminação da Síndrome Respiratória Aguda Grave de 2002/2003, as autoridades de Wuhan foram criticadas por lidar com o atual surto. 

Em rara dissidência pública, um jornalista sênior de um jornal provincial de Hubei, dirigido pelo Partido Comunista, pediu na sexta-feira uma mudança "imediata" de liderança em Wuhan, em publicação no Weibo, semelhante ao Twitter. A publicação foi removida posteriormente. 

Reforços para Wuhan 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o novo coronavírus uma "emergência na China" esta semana, mas decidiu não declará-lo como preocupação internacional. A transmissão de humano para humano foi observada no vírus. A Comissão Nacional de Saúde da China disse que formou seis equipes médicas, totalizando 1.230 profissionais da saúde para ajudar Wuhan. 

A província de Hubei, onde as autoridades estão correndo para construir um hospital com 1.000 leitos em seis dias para tratar pacientes, anunciou neste sábado que havia 658 pacientes afetados pelo vírus em tratamento, 57 dos quais estavam gravemente doentes. O coronavírus recém-identificado criou alarme porque ainda existem muitas incógnitas em torno dele, como o quão perigoso é e com que facilidade se espalha entre as pessoas. 

Pode causar pneumonia, que foi mortal em alguns casos. Os sintomas incluem febre, dificuldade em respirar e tosse. A maioria das mortes ocorreu em pacientes idosos, muitos com condições pré-existentes, segundo a OMS. 

Ano Novo Lunar 

Os aeroportos de todo o mundo intensificaram a triagem de passageiros da China, embora algumas autoridades e especialistas em saúde tenham questionado a eficácia de tais triagens. Há temores de que a transmissão acelere com as viagens chinesas durante o feriado de Ano Novo Lunar, que começou neste sábado, embora muitos tenham cancelado seus planos, com companhias aéreas e ferrovias na China oferecendo reembolsos gratuitos. 

O surto de vírus e os esforços para contê-lo prejudicaram o que normalmente é uma época festiva do ano. Sanya, um popular destino turístico na ilha de Hainan, no sul da China, anunciou que estava fechando todos os locais turísticos, enquanto a capital da ilha, Haikou, disse que os visitantes de Wuhan seriam colocados em quarentena de 14 dias em um hotel. A Disneylândia de Xangai foi fechada a partir deste sábado. 

O parque temático tem uma capacidade diária de 100.000 pessoas e as entradas esgotaram durante o feriado de Ano Novo Lunar do ano passado. O Templo do Lama, de Pequim, onde as pessoas tradicionalmente fazem oferendas para o ano novo, também fechou, assim como outros templos. 

Gospel Channel | © Thomson Reuters.

Surto de coronavírus na China: o que você precisa saber sobre o 'vírus Wuhan'

As autoridades chinesas estão cada vez mais preocupadas com a propagação de um vírus misterioso que já matou mais de uma dúzia de vidas, com pesquisadores temendo que o número total de casos possa estar na casa dos milhares.

Mas o que é um coronavírus - e quais são as características dele? Com que facilidade se espalha? E você deveria estar preocupado em ir para o leste da Ásia agora? O que é um coronavírus?

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreve os coronavírus como uma grande família de vírus que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que matou quase 800 pessoas em todo o mundo durante um surto de 2002/03 que também começou em China .

Quando surge uma nova cepa que ainda não foi identificada, como é o caso do atual surto na China, ela se torna temporariamente conhecida como um novo coronavírus (nCoV). 

 O surto atual foi apelidado de "vírus Wuhan" por alguns na China, em homenagem à cidade onde o primeiro relatório surgiu no início deste mês. Todos os coronavírus são zoonóticos, o que significa que são transmitidos entre animais e pessoas. Christopher Coleman, professor assistente de imunologia da infecção na Universidade de Nottingham, disse ao Sky News: 

"Eles recebem esse nome porque, sob o microscópio eletrônico, há uma corrida brilhante em torno do núcleo central do vírus, como o sol essencialmente". 

 Quais são os sintomas? 

 Existem vários sinais comuns de que você pode estar infectado, a maioria respiratória, como dificuldade em respirar, falta de ar e tosse. Você pode estar com febre. Casos mais sérios podem levar a condições potencialmente mortais, como pneumonia e insuficiência renal, tendo o primeiro sido relatado entre alguns pacientes na China no momento.

O surto atual tem características específicas? 

 Desde que foi relatado pela primeira vez na cidade de Wuhan, onde acredita-se ter se originado em um mercado de frutos do mar, o vírus não provocou sintomas incomuns em pessoas que foram diagnosticadas. 

Os médicos viram febre, tosse e dificuldades respiratórias, que são todos esperados. O que permanece desconhecido é como exatamente esse nCoV surgiu e com que facilidade ele poderia se espalhar, com pesquisadores do Imperial College London sugerindo que poderia haver mais de 1.700 casos apenas em Wuhan . O professor Coleman disse à Sky News: "Deve ser algo novo, porque, se fosse a SARS, eles a teriam identificado rapidamente".

 Você deveria se preocupar em viajar? 

 Ainda não há sinal de quão facilmente esse nCoV pode ser transmitido entre seres humanos, mas o Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido aconselhou os britânicos contra todas as viagens que não sejam essenciais a Wuhan. Até o momento, a China confirmou mais de 500 casos de nCoV - e também houve casos na Tailândia, Coréia do Sul, Japão, Hong Kong e Taiwan. Os EUA também diagnosticaram seu primeiro caso.



 Os principais aeroportos dos EUA, Cingapura e Londres Heathrow estão entre os que monitoram as pessoas que chegam de Wuhan quanto a sinais de doença. O risco para a população do Reino Unido aumentou de muito baixo para baixo, de acordo com a Public Health England, que diz que o país está "bem preparado para novas doenças".

 O que a China está fazendo sobre isso? 

 O presidente chinês, Xi Jinping, prometeu combater a propagação do vírus, dizendo: "A vida e a saúde das pessoas devem ter prioridade e a disseminação do surto deve ser resolutamente controlada". As redes de transporte local de Wuhan - incluindo ônibus, metrô e balsas - serão suspensas a partir das 10 horas do dia 23 de janeiro, e as estações de aeroporto e trem serão fechadas para os passageiros que embarcam.

 As autoridades estão pedindo aos cidadãos que não deixem a cidade, a menos que haja circunstâncias especiais. Com centenas de milhões de chineses planejando viajar para o ano novo lunar, os centros de transporte nas principais cidades podem começar a rastrear quem sai.

O professor Coleman disse à Sky News: "Espero que as autoridades chinesas tentem colocar em quarentena as pessoas confirmadas, pois isso seria normal para qualquer vírus suspeito de ser grave.

 "Não podemos ter certeza de que seja grave nesse estágio, mas como é um novo vírus, eles provavelmente exagerariam para garantir que as pessoas que foram confirmadas por casos fossem isoladas".

 Quando algo assim aconteceu antes? 

 O surto de SARS em 2003 matou 774 pessoas em dezenas de países, principalmente na Ásia, e o atual surto é considerado mais estreitamente relacionado a esse vírus do que qualquer outro. Outro importante coronavírus que surgiu desde a virada do século é a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS), que foi identificada pela primeira vez na Arábia Saudita em 2012 e que já matou mais de 800 pessoas.

 A OMS diz que os seres humanos são infectados principalmente pelo contato direto ou indireto com os camelos dromedários infectados, e a transmissão entre seres humanos é rara. O professor Coleman esteve envolvido em algumas das primeiras pesquisas sobre MERS nos EUA. Ele disse à Sky News: "SARS e MERS são os dois coronavírus graves. Há quatro que são muito leves que as pessoas podem obter com muita regularidade".

Como você pode se proteger dos coronavírus? 

 Maria Van Kerkhove, da unidade de doenças emergentes da OMS, diz que é importante manter a higiene básica das mãos e das vias respiratórias, como lavar as mãos com água e sabão e espirrar no cotovelo ou no lenço de papel.

 "As formas de se proteger contra uma possível fonte animal seria evitar o contato desnecessário com animais vivos e lavar as mãos cuidadosamente após o contato com um animal", acrescenta ela.

 "E também para garantir que sua carne seja cozida bem antes de consumir". 

Pode ser tratado? 

Infelizmente, não existem vacinas confiáveis ​​disponíveis para livrar seu corpo de um coronavírus. 

O melhor que você pode fazer é tomar medicamentos e tratamentos para sintomas específicos. O professor Coleman disse à Sky News: 

"Infelizmente não há vacina nem terapêutica específica que possa ser usada contra o coronavírus. "As terapias padrão de suporte respiratório são usadas para tratar os sintomas e aguardar a eliminação do vírus por si só".

Gospel Channel Londes com informações da Sky News

Com 887 casos, sobe para 26 o número de mortos pelo coronavírus

O número de mortos pelo novo coronavírus na China aumentou nesta sexta-feira (24) para 26 entre as 887 pessoas que foram infectadas, de acordo com informações do Diário do Povo do Estado. 

 Trata-se de mais uma morte e 57 novos infectados, após o anúncio feito mais cedo pela Comissão Nacional de Saúde da China. Entre ontem e hoje, as duas primeiras mortes foram conhecidas fora da província de Hubei, o epicentro do surto de coronavírus: elas ocorreram nas províncias de Heilongjiang e Hubei. Está última nos arredores da capital do país, Pequim. 



 As informações da comissão indicaram que havia 177 pacientes em estado grave. De acordo com o Diário do Povo, 35 pacientes previamente diagnosticados com o novo coronavírus conseguiram se curar e já receberam alta. Pelo menos oito cidades da província de Hubei suspenderam o transporte público (incluindo a capital Wuhan, de 11 milhões de habitantes), e várias províncias elevaram o alerta de saúde para tentar conter a propagação do vírus. 

 Com o mesmo objetivo, as celebrações do Ano Novo Chinês (que começam amanhã) foram canceladas em Pequim e Hong Kong, enquanto várias das principais atrações turísticas da capital chinesa permanecerão fechadas até nova ordem.

OMS: surto de coronavírus é emergência na China, não global

Representantes da Organização Mundial da Saúde se reuniram por dois dias para decidir como agência vai conduzir o caso.




O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta quinta-feira (23) que o surto de coronavírus que já infectou mais de 600 pessoas, por enquanto, "é uma emergência na China", mas ainda não é um caso de emergência global. O representante da agência, no entanto, ressaltou que "ainda pode acontecer [uma epidemia]". 

 Ghebreyesus afirmou que "não há evidências" de transmissão entre humanos fora da China, "mas isso não significa que isso não ocorra". Até o momento, 17 pessoas morreram na cidade de Wuhan, onde o surto começou. Cerca de 600 foram infectadas pelo novo coronavírus, chamado de 2019-nCoV. Para o presidente do Comitê de Emergência da OMS, Didier Houssin, "é muito cedo" para chamar o surto de "emergência de saúde pública de interesse internacional".

Ele ponderou que os casos fora da China são poucos e estão todos ligados à região de Wuhan — pessoas que viajaram ao exterior após terem contraído do vírus. A decisão, no entanto, poderá ser revisada a qualquer momento, desde que haja mudanças significativas na evolução do surto, afirmou Houssin. A OMS define como emergência global um "evento extraordinário" que represente um risco para vários países e exija uma coordenação internacional. 

Oito cidades na província de Hubei, que tem mais de 58 milhões de habitantes, restringiram significativamente os transportes a partir desta quinta-feira. Voos e viagens de trens foram cancelados, além de haver suspensão dos serviços de metrô, ônibus e balsas. O objetivo é evitar que pessoas com o vírus deixem a região. 

 A restrição ocorre às vésperas do Ano-Novo Lunar, principal feriado chinês e época em que milhões de cidadãos viajam. A cidade de Wuhan, capital da província, é um dos principais centros de conexão ferroviária do centro do país.

Gospel Channel com R7
© 2008-2021 Gospel Channel Brasil
Criado por templateszoo