Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador internacional. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador internacional. Mostrar todas as postagens

Comediante é expulso do Twitter por dizer que 'homens não são mulheres'

O Twitter fechou a conta do comediante irlandês Graham Linehan por afirmar que homens não são mulheres, palavras que a empresa de mídia social considera "conduta odiosa" em relação a pessoas que se identificam transgêneros. 



Segundo o The Guardian , o gigante da mídia social proibiu o criador de sitcom "Father Ted" da plataforma por "violações repetidas de nossas regras contra conduta odiosa e manipulação de plataforma" depois que ele twittou "homens não são mulheres assim" ao responder ao Women's Instituto desejando aos membros transgêneros um Orgulho Feliz. 

Linehan, que também é conhecido como Glinner, apareceu no site popular Mumsnet sobre a suspensão no Reino Unido. "Sinto muito por ter comentado sobre você Mumsnettters com meus problemas, mas finalmente fui suspenso do Twitter e tenho a sensação de que eles vão me banir ou aceitar meu visto verificado", dizia o post de sábado . "Enviei um apelo ao Twitter e ao Better Business Bureau, mas pensei em publicar aqui também para que as pessoas soubessem o que estava acontecendo". 

O comediante irlandês usou nos últimos anos a plataforma para criticar o transgenerismo, observando frequentemente seus danos a gays e lésbicas. Em uma entrevista à BBC Newsnight em fevereiro, Linehan expressou seu alarme com relação à medicalização do gênero, particularmente brincando na clínica Tavistock, com sede em Londres, onde a equipe teria brincado entre si sobre a transição experimental hormonal e cirúrgica experimental de todos os homossexuais na Grã-Bretanha. 

Linehan, que supostamente tinha centenas de milhares de seguidores no Twitter, não é a primeira voz de esquerda a ser ouvida no site por afirmar que "homens não são mulheres", uma frase agora vista pelo Twitter como odiosa para pessoas identificadas por transgêneros. Em novembro de 2018, a jornalista feminista canadense Meghan Murphy foi expulsa do Twitter permanentemente depois de se referir a Jessica Yaniv - uma ativista trans que infamevelmente alegou que vários esteticistas o discriminaram por se recusar a depilar seus órgãos genitais - como "ele". 

Os esteticistas, alguns dos quais trabalhavam fora de suas casas e eram minorias étnicas e religiosas, teriam dito a Yaniv que não eram treinados para depilar os órgãos genitais masculinos e não ofereciam esses serviços. Murphy já havia twittado "homens não são mulheres" exatamente como Linehan. Murphy não foi autorizado a voltar à plataforma e até entrou com uma ação contra a empresa. A proibição de Murphy no Twitter ocorreu antes da empresa de mídia social revisar suas regras de usuário , o que proibia a "falta de sexo" como parte de sua odiosa política de conduta que poderia justificar a suspensão. 

A nova política de regras do usuário foi aplicada a Murphy retroativamente. Em 2018, Linehan recebeu um aviso da polícia de West Yorkshire após uma briga no Twitter com a ativista transgênero Stephanie Hayden, onde Hayden o acusou de dar um nome morto - referindo-se a uma pessoa identificadora de transgêneros pelo nome que eles usavam antes de passar pela transição de gênero.

Gospel Channel | The guardian

Petição contra PornHub ultrapassa mais de 1 milhão de assinaturas. Site é acusado de tráfico sexual e abuso de crianças

Uma petição exigindo que o site de pornografia popular Pornhub seja fechado por supostamente lucrar e permitir o tráfico sexual ultrapassou 1 milhão de apoiadores. Laila Mickelwait, diretora de abolição do grupo anti-tráfico não religioso e apartidário Exodus Cry, lançou recentemente uma petição “Traffickinghub” pedindo o fechamento de um dos sites mais traficados do mundo por hospedar “tráfico sexual e estupro de crianças filmes."

Imagem criada por  Rod Anderson 

Na manhã desta quinta-feira, a petição já recebeu mais de 1.057.000 assinaturas e foi apoiada por cerca de 300 grupos de direitos humanos em todo o mundo. "O Pornhub, o maior e mais popular site de pornografia do mundo, foi flagrado repetidamente ativando, hospedando e lucrando com vídeos de estupro de crianças, tráfico sexual e outras formas de conteúdo não consensual que exploram mulheres e menores", afirmou a petição. "Estamos pedindo que o Pornhub seja desligado e que seus executivos sejam responsabilizados por esses crimes".



A petição citou vários exemplos de pornhub supostamente ligado ao tráfico sexual, incluindo a publicação de vídeos de um menor sequestrado sendo agredido sexualmente. “Uma menina de 15 anos que estava desaparecida há um ano foi finalmente encontrada depois que sua mãe foi avisada de que sua filha estava sendo destaque em vídeos no site - 58 vídeos desse estupro e abuso sexual foram descobertos no Pornhub, ”Continuou a petição. “O traficante, que foi visto nos vídeos estuprando a criança, foi identificado usando imagens de vigilância dele no 7-Eleven, onde foi flagrado com a vítima. Ele agora está enfrentando uma acusação criminal. Em um comunicado divulgado na terça-feira, Mickelwait denunciou a falta de prestação de contas no que diz respeito ao conteúdo que as contas do Pornhub podem carregar no site. "Tudo o que é necessário para enviar conteúdo para o Pornhub é um endereço de e-mail - não é necessário um documento de identidade emitido pelo governo", afirmou. 

"O Pornhub não se preocupa em verificar com segurança a idade ou o consentimento dos milhões apresentados nos vídeos em que hospeda e lucra, mas monetiza esses vídeos sem fazer perguntas". Mickelwait disse que o site está "configurado para exploração e está infestado de vídeos sobre estupros, tráfico, abuso e exploração reais de mulheres e crianças". "Temos evidências significativas e é apenas a ponta do iceberg", afirmou. Em fevereiro, Megha Mohan, da British Broadcasting Corporation, relatou que dezenas de pessoas afirmaram que vídeos de seus ataques sexuais foram enviados ao Pornhub. 


A BBC entrevistou Rose Kalemba, 25 anos, que passou meses em 2009 tentando convencer o Pornhub a gravar vídeos de seu estupro quando adolescente. "Os títulos dos vídeos eram 'adolescente chorando e levando um tapa', 'adolescente sendo destruído', 'desmaiado' '. Um deles teve mais de 400.000 visualizações ", explicou Kalemba. 

 "Os piores vídeos foram os que eu desmaiei. Ver-me sendo atacado onde eu nem estava consciente era o pior." 

 Em resposta, Pornhub enviou à BBC uma declaração alegando que os vídeos de Kalemba datam de antes de os atuais proprietários do site assumirem o controle. “Desde a mudança de propriedade, o Pornhub continuamente implementou as mais rigorosas salvaguardas e políticas do setor quando se trata de combater conteúdo não autorizado e ilegal, como parte de nosso compromisso em combater o material de abuso sexual infantil”, afirmou Pornhub. 

 “A empresa emprega o Vobile, um software avançado de impressão digital de terceiros que verifica todos os novos envios em busca de possíveis correspondências para material não autorizado e garante que o vídeo original não volte à plataforma.” Em março, o senador Ben Sasse, R-Neb., Convidou o Departamento de Justiça dos EUA a investigar Pornhub. "Em vários incidentes notáveis ​​no ano passado, o Pornhub disponibilizou conteúdo em todo o mundo, mostrando mulheres e meninas vítimas de tráfico sendo estupradas e exploradas", escreveu Sasse em uma carta ao procurador-geral William Barr. 

“Pornhub não deve escapar do escrutínio. Por isso, solicito ao Departamento que inicie uma investigação sobre o Pornhub e sua entidade controladora, a MindGeek Holding SARL, por seu envolvimento nesse processo perturbador de exploração de crianças e outras vítimas e sobreviventes de tráfico sexual. ” Em resposta à carta de Sasse, a empresa afirmou em um comunicado que o Pornhub tem uma “extensa equipe de moderadores humanos dedicada a revisar manualmente cada upload.” 

O Pornhub alega um “firme compromisso de erradicar e combater todo e qualquer conteúdo ilegal na Internet, incluindo conteúdo não consensual e material para menores de idade. " "Qualquer sugestão de outra forma é categoricamente e factualmente imprecisa", diz a declaração da empresa. "Nossa moderação de conteúdo vai além dos recentemente anunciados Princípios Voluntários do Departamento de Justiça para combater a exploração e abuso sexual de crianças on-line". O Departamento de Justiça anunciou em março o lançamento dos Princípios Voluntários para Combater a Exploração e Abuso Sexual de Crianças Online, criados em conjunto com os colegas da Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e principais empresas de tecnologia. Os princípios são projetados para “garantir que as plataformas e serviços on-line possuam os sistemas necessários para combater a exploração sexual infantil on-line” e buscam impedir a exploração e abuso sexual infantil.

Gospel Channel USA com CP e BBC

Relatório diz que Reino Unido teve número recorde de abortos em 2019



Mais abortos foram realizados no Reino Unido em 2019 do que em qualquer ano anterior desde que o procedimento foi legalizado em 1967, de acordo com um novo relatório.

 O Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido divulgou sua atualização anual sobre as estatísticas dos procedimentos de aborto na Inglaterra e no País de Gales na última quinta-feira. De acordo com o relatório, houve 207.384 abortos realizados em mulheres que vivem na Inglaterra e no País de Gales em 2019, o maior número desde a aprovação da Lei do Aborto de 1967.



Em comparação com 2018, a taxa de abortos aumentou para mulheres com mais de 35 anos, permanecendo basicamente a mesma para mulheres com menos de 18 anos. A idade que registrou a maior taxa de aborto em 2019 foi de 22, com 31,6 por 1.000 mulheres. Este é um pequeno aumento em relação a 2018, em que as pessoas de 21 anos tiveram a maior taxa de aborto, com 30,7 por 1.000. Os menores que buscam abortos caíram nos últimos anos, de acordo com o relatório, mesmo que os números tenham permanecido os mesmos de 2018 a 2019.

 "O declínio desde 2009 é particularmente acentuado na faixa etária abaixo dos 16 anos, onde as taxas caíram de 4,0 por 1.000 mulheres em 2009 para 1,4 por 1.000 mulheres em 2019", explicou o relatório. "A taxa de aborto para jovens de 18 a 19 anos também caiu de 31,6 por 1.000 mulheres para 23,8 por 1.000 mulheres no mesmo período." 

A Sociedade para a Proteção das Crianças por Nascer, um grupo britânico pró-vida, divulgou um comunicado declarando as últimas estatísticas "uma tragédia nacional". “Essa figura assustadora nos mostra que o aborto está se tornando cada vez mais normalizado. A propaganda que diz às mulheres que o aborto é 'simples e seguro', aliada a um acesso mais fácil a pílulas, está aumentando o número de abortos ”, afirmou Antonia Tully, diretora de campanhas da SPUC. "Mas por trás dos números estão mulheres reais que deram um passo irreversível e que provavelmente estão sofrendo física ou emocionalmente." 

Jonathan Lord, diretor médico da Marie Stopes UK, uma importante provedora britânica de abortos, argumentou que o aumento no número de abortos pode ser devido à falta de um bom acesso a contraceptivos. "As necessidades contraceptivas das mulheres na casa dos 20, 30 e 40 anos, incluindo aquelas que já têm filhos, foram tristemente negligenciadas", afirmou Lord, conforme relatado pelo The Guardian. 

 "A falta de investimento em serviços contraceptivos levou a um acesso deficiente e esperas inaceitáveis, principalmente pelos métodos mais eficazes de ação prolongada, como implante e bobina". Na Inglaterra, País de Gales e Escócia, o aborto eletivo é legal por até 24 semanas após a gravidez, sendo permitidos abortos posteriores, desde que caiam em determinadas circunstâncias. Em outubro passado, a Irlanda do Norte teve sua lei proibindo o aborto, exceto quando medicamente necessário revertida , permitindo um acesso mais amplo ao procedimento.

Gospel Channel International

Famílias cristãs na Índia proibidas de enterrar seus mortos



Os moradores do centro-leste de Chhattisgarh não estão permitindo que os cristãos enterrem seus mortos até que paguem multas por não participarem de festivais e rituais hindus. 

Os ataques à comunidade minoritária na Índia continuam apesar do bloqueio do COVID-19. Os cristãos enfrentaram forte oposição a enterrar seus mortos em três incidentes separados nos distritos de Bastar e Dantewada, no estado de Chhattisgarh, no mês passado, informou a Alliance Defending Freedom India . 

 Os cristãos foram instruídos a fazer “restituição” por não participar ou doar rituais religiosos nessas aldeias durante todos os anos passados ​​e pagar uma multa adicional antes que seus mortos fossem enterrados.

Os cristãos oram enquanto outros se confessam durante os cultos da Sexta-feira Santa, em 10 de abril de 2009, na vila de Raikia, ao sul de Bhubaneswar, na Índia. Imagens de Daniel Berehulak / Getty
"É uma coisa terrível e inimaginável ter a oportunidade de lamentar a perda de um ente querido com dignidade", disse o ADF India. Desde 2019, o grupo registrou pelo menos 15 incidentes confirmados de cristãos sendo negados direitos funerários no estado de Chhattisgarh. Depois que a equipe jurídica do grupo interveio, "os cristãos receberam proteção policial e, em alguns casos, até forneceram terras pelo governo para que os enterros acontecessem". 

Em abril, quando a Índia estava sob um bloqueio nacional COVID-19, o mais rigoroso do mundo, pelo menos seis incidentes de violência direcionada contra cristãos ocorreram em Chhattisgarh, de acordo com o ADF India. Na maioria dos incidentes, os cristãos foram fisicamente atacados por multidões de pelo menos 50 pessoas quando se recusaram a participar de rituais religiosos que violavam sua fé. Em 17 de abril, os moradores da região de Mendoli, no estado de Chhattisgarh, agrediram severamente uma família cristã, inclusive arrancando as roupas da esposa da vítima, e realizaram com força um "ritual de santificação", afirmou a instituição de caridade cristã britânica Barnabas Fund, acrescentando que o a multidão exigiu uma taxa de 5.000 rúpias indianas (US $ 66) e ameaçou matar a família se informasse a polícia. 

Enquanto o Grande Partido Velho da Índia, o Congresso Nacional Indiano, governa o estado de Chhattisgarh desde dezembro de 2018, os grupos de direita hindus estão ativos no estado, que antes era governado pelo nacionalista hindu Bharatiya Janata Party, ou BJP, por 10 anos. Na cidade ocidental de Mumbai, que está entre as mais atingidas pelo surto de coronavírus na Índia, os cemitérios cristãos não tinham lugar para o enterro de vítimas de coronavírus até recentemente devido à ausência de notificação oficial, de acordo com o The Times of A Índia , que relatou que as vítimas cristãs do COVID-19 não tinham outra opção a não ser cremar seus mortos. "Gostaria de enfatizar que o coronavírus em uma pessoa morta não infecta humanos vivos", disse um ativista local Cyril Dara. 

"O vírus se torna ineficiente poucas horas após a morte da vítima", continuou ele, acrescentando que entraria com queixas policiais contra grandes cemitérios se não permitissem enterros. As autoridades cívicas finalmente alocaram espaço em quatro cemitérios cristãos para o enterro de vítimas de coronavírus, informou o Times. Os ataques aos cristãos têm aumentado desde que o BJP venceu as eleições gerais de 2014 na Índia. A maioria dos ataques contra cristãos é lançada sob o pretexto da suposta conversão "forçada" dos hindus. Vários estados indianos têm leis draconianas de “anti-conversão”, denominadas leis da liberdade de religião, há décadas, mas nenhum cristão foi condenado por converter “à força” qualquer pessoa ao cristianismo. 

De acordo com dados da própria população da Índia, a conspiração de conversões em massa para o cristianismo não se sustenta, diz o órgão internacional de vigilância de perseguições americano Christian Concern . “Em 1951, o primeiro censo após a independência, os cristãos representavam apenas 2,3% da população total da Índia. Segundo o censo de 2011, os dados mais recentes disponíveis, os cristãos ainda representam apenas 2,3% da população. ” 

 "Desde que o atual partido no poder assumiu o poder em 2014, os incidentes contra os cristãos aumentaram e os radicais hindus freqüentemente atacam os cristãos com poucas ou nenhuma conseqüência", observou a World Watch List da Open Doors , que classificou a Índia como o 10º pior país para os cristãos. 

 “A visão dos nacionalistas hindus é que ser indiano é ser hindu, então qualquer outra fé - incluindo o cristianismo - é vista como não-indiana. Além disso, os convertidos ao cristianismo de origens hindus ou religiões tribais são frequentemente extremamente perseguidos por seus familiares e comunidades ”, acrescentou o Open Doors. 

 Pelo menos um cristão foi atacado todos os dias no ano passado, de acordo com o Portas Abertas.

Gospel Channel com informações do C.P / Portas Abertas

China fechou 48 igrejas após suspender bloqueio

Depois de aliviar o bloqueio do COVID-19, o governo comunista da China intensificou sua repressão às igrejas controladas pelo estado, removendo cruzes de seus telhados e fechando-as na província de Jiangxi, no sudeste do país, de acordo com um relatório.



No condado de Yugan, as autoridades fecharam pelo menos 48 igrejas de três pessoas e locais de reunião entre 18 e 30 de abril, de acordo com a Bitter Winter , uma revista on-line com base na Itália sobre liberdade religiosa e direitos humanos na China, publicada pelo Center for Studies on Novas religiões.

Dos mais de 1 milhão de pessoas que vivem no condado de Yugan, mais de 10% são protestantes que freqüentam mais de 300 igrejas de Três Eu oficialmente registradas.

Um membro de uma igreja local de Três Eus, que não foi identificada, disse que autoridades, incluindo o prefeito, da cidade de Shegeng invadiram a igreja em abril e removeram à força seu pódio, cruz e todos os outros símbolos religiosos.

“Alguns membros da congregação choraram de angústia”, disse o crente. "Se você tentar protestar, eles o acusarão de lutar contra o Partido Comunista e o governo central."

Um crente na cidade de Yugan, em Daxi, disse à revista que um secretário do Partido da aldeia disse aos cristãos da região que as autoridades queriam fechar igrejas e demolir cruzes porque "havia muitos crentes no condado".

“Quando tantos acreditam em Deus, quem ouvirá o Partido Comunista? Não há outra escolha senão remover as cruzes de suas igrejas ”, afirmou o secretário.

Na lista mundial de portas abertas dos EUA, a China é classificada como um dos piores países do mundo quando se trata de perseguição aos cristãos. A organização observa que todas as igrejas são vistas como uma ameaça se elas se tornarem grandes demais, políticas demais ou convidarem convidados estrangeiros.

Bitter Winter relatou que “um número incontável de igrejas” recebeu ordens para remover suas cruzes em Jiujiang, Fuzhou, Fengcheng, Shangrao e algumas outras cidades da província em abril.

Gospel Channel com informações do CP

O encontro evangélico que acelerou as contaminações na França

Um evento evangélico no leste da França, que durou uma semana no mês fevereiro, contribuiu para disseminar o coronavírus em todo o país, segundo autoridades sanitárias.

 A celebração religiosa, um importante foco de contaminação, também tornou o leste da França a área mais afetada pelo vírus causador doença covid-19, com 587 casos confirmados dos cerca de 2,3 mil registrados até o momento no país.

Até o final de fevereiro, a região da Alsácia, no leste da França, não era o centro das atenções do noticiário sobre o coronavírus, mais concentradas no norte do país. A situação mudou drasticamente no início de março, após a celebração religiosa da igreja pentecostal Porta do Sol Cristã, de 17 a 24 de fevereiro, que reuniu cerca de 2 mil pessoas em Mulhouse, localidade do Haut-Rhin, na Alsácia. 

Os participantes do encontro evangélico vieram de toda a França, inclusive de territórios ultramarinos, como a Guiana, onde quatro casos de pessoas que estiveram no encontro foram confirmados. Vários também eram de localidades do leste.



"Houve muita confraternização. É um contexto propício para a contaminação", afirma o médico Jonathan Peterschmitt, filho do pastor da igreja evangélica Porta do Sol Cristã. "Quando oramos, podemos nos dar as mãos", diz a responsável pela comunicação da igreja de Mulhouse, acrescentando que no momento em que ocorreu o encontro religioso as precauções decorrentes do vírus não haviam sido implementadas pelas autoridades.

O pastor da igreja também foi contaminado. Em um comunicado, os organizadores do encontro evangélico ressaltam que nenhum participante tinha sintomas gripais e que naquele momento não havia nenhuma recomendação do governo.

 "A França estava no nível 1 (de medidas preventivas), ou seja, o vírus não circulava de maneira geral na população", diz o comunicado da igreja, acrescentando que só posteriormente as autoridades limitaram o número de pessoas em eventos (atualmente no máximo mil). Mas no departamento de Haut-Rhin, onde fica Mulhouse, reuniões com mais de 50 pessoas foram proibidas para conter a propagação. Até o final de fevereiro, o principal foco de contaminação na França era a região do Oise, no norte. 

No intervalo de apenas uma semana, entre o final de fevereiro e o início de março, o número de casos de coronavírus na França passou de algumas dezenas a mais de mil. Como o período de incubação pode levar até duas semanas, de acordo com estudos médicos, o evento evangélico representou uma "bomba de efeito retardado que se fragmentou em toda a França", escreveu o jornal Le Figaro.

Avanço exponencial 

A França é o segundo país da Europa mais afetado pela epidemia. Segundo os últimos dados, 2.281 pessoas foram contaminadas no país (quase 500 a mais do que no dia anterior) e 48 mortes foram registradas. O primeiro caso de um participante do evento religioso contaminado pelo coronavírus surgiu em 29 de fevereiro. Nos dias seguintes, o número foi crescendo de forma exponencial. No dia 6 de março, o secretário de segurança pública do Haut-Rhin, onde fica Mulhouse, declarou que o número de pessoas infectadas no departamento foi multiplicado por oito em apenas 48 horas, passando de dez para pelo menos 81. 

Em menos de uma semana, o total já é de 359. A contaminação também foi acelerada na França após o encontro religioso, com casos de participantes que contraíram o vírus em várias regiões, da Normandia à Córsega, no sul. Um pastor evangélico de Briançon, no sul, que participou do encontro em Mulhouse, foi contaminado. Ele também é diretor do serviço funerário da cidade e esteve em contato com três prefeitos do sul do país, incluindo o de Briançon, que tiveram de suspender sua campanha às eleições municipais (o primeiro turno é no próximo domingo, dia 15) até saberem se contraíram o vírus. 

A covid-19 tem impacto na campanha das eleições municipais. Vários prefeitos cancelaram comícios ou foram obrigados a restringir o número de participantes em até mil, conforme determinação do governo. As escolas e creches na região do Oise, no norte da França, do Haut-Rhin, no leste, e da Córsega, no sul, foram fechadas até o final de março. Os hospitais na região leste da França estão saturados e recebem um grande número de ligações de pessoas que querem fazer testes para diagnosticar se houve contaminação.

Gospel Channel com informações da AFP e BBC Brasil

Presidente argentino anuncia projetos para legalizar aborto

Durante discurso anual, de cerca de 80 minutos diante deputados e senadores, Fernández questionou vários aspectos econômicos da gestão anterior.  



O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou neste domingo um projeto de reforma judicial que visa descentralizar o poder do Supremo e confirmou que, dentro dos próximos dez dias, apresentará uma iniciativa ao Congresso para legalizar o aborto. Em um discurso de cerca de 80 minutos, diante de membros da Câmara de Deputados — onde o peronismo e seus aliados têm maioria — e de senadores, Fernández evitou fazer anúncios de natureza econômica, mas questionou vários aspectos da gestão anterior de Mauricio Macri, incluindo a dívida externa. Em junho de 2018, a Câmara aprovou um projeto para a legalização do aborto até a 14ª semana de gestação, mas o texto acabou sendo rejeitado no Senado. 

 — Dentro de dez dias, apresentarei um projeto para a interrupção legal da gravidez — disse, recebendo aplausos efusivos no recinto, além de uma ovação de milhares de manifestantes em frente ao Congresso. — A decisão individual da mulher de dispor livremente de seu corpo deve ser respeitada. 

 Parlamentares da oposição permaneceram em silêncio e aplaudiram apenas alguns trechos específicos do discurso, como quando o presidente anunciou a abertura dos documentos secretos dos agentes de Inteligência envolvidos nos julgamentos sobre o ataque à associação judaica Amia, em 1994. A explosão deixou 85 mortos e 300 feridos, mas até hoje os culpados não foram responsabilizados, apesar de uma acusação contra ex-governantes do Irã. Ao lado da ex-presidente Cristina Kirchner, e agora vice-presidente e presidente do Senado, Fernández antecipou ainda sua nova iniciativa em relação ao sistema Judiciário, que terá como objetivo acabar com “o oligopólio dos juízes federais e a concentração de processos” através da criação de uma nova jurisdição criminal federal. 

 — Os crimes contra a administração pública incorridos por funcionários do Estado deixarão de estar nas mãos de alguns poucos juízes, e serão julgados por mais de cinquenta magistrados — afirmou Fernández. 

— Estamos terminando para sempre na Argentina com a manipulação e a concentração de processos, permitidos pelo oligopólio dos juízes federais. Em dezembro do ano passado, Cristina fez um discurso em tom agressivo nos tribunais de Buenos Aires, onde enfrenta nove processos por suposta corrupção, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito, entre outros. Na parte econômica, o novo presidente admitiu que o processo de renegociação com credores externos “não será mágico ou milagroso” e criticou o “endividamento insustentável”. 

 — Não há alternativa pior do que a austeridade fiscal durante as recessões, pois leva àmais pobreza e desigualdade. Não pagaremos os credores à custa da pobreza e da fome dos argentinos. Fernández também recordou a situação em que encontrou o país ao assumir a presidência, há 81 dias, após dois anos de retração, com uma inflação recorde em 2019 e com forte acúmulo de dívidas a vencer ao longo deste ano.


E enfatizou sua luta contra a inflação, que “começa a colher resultados”: — Que os preços parem de subir na Argentina é responsabilidade de todos. O Estado, neste governo, estará na vanguarda da batalha contra a inflação usando todas as ferramentas legais que possui. Não é possível que com a moeda e as tarifas congeladas como no caso dos combustíveis, o preço dos alimentos continue a crescer.

Gospel Channel com informações de O Globo

Trump anuncia plano de paz para conflito entre israelenses e palestinos

Plano estabelece a soberania israelense sobre boa parte do vale do rio Jordão, demanda histórica do país, e 'mais que dobraria território palestino', segundo o presidente americano 

O presidente dos EUA, Donald Trump, divulgou nesta terça-feira (28/1) uma proposta de plano de paz para israelenses e palestinos. O plano estabelece a soberania israelense sobre boa parte do vale do rio Jordão, a oeste da fronteira com a Jordânia. 



O território engloba partes da Cisjordânia, região de maioria palestina que é reivindicada como parte do Estado palestino. Trump anunciou o plano na Casa Branca ao lado do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que historicamente defende a anexação do Vale do Jordão por Israel. 

De acordo com o americano, ele será uma solução de dois Estados realista. "Eu fiz muito por Israel [como presidente]. É razoável que eu tenha de fazer muito pelos palestinos também, ou não seria justo. Eu quero que esse acordo seja muito bom para eles — ele tem de ser", afirmou. Em seu discurso, Trump afirmou ainda que havia enviado uma carta ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, e fez um apelo a ele. 

"Quero que você saiba que, se escolher o caminho da paz, os Estados Unidos e muitos outros países estarão aqui por você, vamos o ajudar de muitas maneiras." Sem dar maiores detalhes, Trump anunciou que, sob o plano, o território palestino mais que dobraria de tamanho e o Estado teria sua própria capital, em Jerusalém Oriental — onde os Estados Unidos abririam uma embaixada. A proposta também inclui um investimento comercial de US$ 50 bilhões, que geraria, segundo o presidente americano, 1 milhão de empregos para os palestinos nos próximos dez anos. 

"Nossa visão encerrará o ciclo de dependência palestina da caridade ou ajuda internacional", disse. "É o acordo mais difícil do mundo, todos dizem, mas nós temos de fazer isso, temos uma obrigação com a humanidade para fazê-lo." 

Líderes palestinos não participaram das negociações sobre o plano de Trump. Antes da divulgação da proposta, eles disseram que não a endossariam. O anúncio do plano ocorreu no mesmo dia em que Netanyahu foi denunciado pela procuradoria-geral de Israel por suborno, fraude e quebra de confiança. A denúncia foi apresentada ao Judiciário israelense horas após o primeiro-ministro desistir de um pedido de imunidade que ele havia apresentado ao Parlamento.  

Durante o anúncio, o primeiro-ministro israelense afirmou que o dia 28 de janeiro de 2020 ficará para a história, e classificou Tump como "o melhor amigo que Israel já teve na Casa Branca". Trump também vive um momento conturbado às vésperas de o Senado americano analisar seu pedido de impeachment. 

 Impasse político em Israel 

Desde setembro de 2019, Israel vive um impasse político, no qual os dois partidos mais votados têm sido incapazes de formar maioria no Parlamento e nomear o primeiro-ministro. Com isso, Netanyahu, que assumiu o cargo em 2009, segue no posto. 

Uma nova eleição parlamentar está agendada para 2 de março — será a terceira em menos de um ano. O impasse opõe o partido conservador Likud, de Netanyahu, e o centrista Azul e Branco, do ex-comandante do Exército Benny Gantz. Gantz esteve com Trump na véspera do anúncio do plano, na segunda-feira. 

Ele disse que a proposta era um "marco histórico e significante" e chamou Trump de "um amigo verdadeiro e corajoso do Estado de Israel". 

Na apresentação, Trump também não deu detalhes sobre como implementará o plano, mas adiantou algumas propostas. 

Veja os principais pontos do projeto, segundo anúncio de Trump:

  • Jerusalém permanece como indivisível capital de Israel Porém, Jerusalém Oriental será considerada capital do Estado Palestino 

  • Um espaço no sul do território israelense será entregue aos palestinos para indústrias e residências, o que deve dobrar a área palestina 

  • Caso a transição ocorra pacificamente, EUA abrirão embaixada também na capital da Palestina 

  • Garantia de visita de muçulmanos à mesquita sagrada de Al-Aqsa, em Jerusalém 

  • Injeção de US$ 50 bilhões para a Palestina para gerar 1 milhão de empregos


Gospel Channel com informações da BBC Brasil 
Todos os direitos reservados - É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Palestinos e colonos judeus armados contra o plano de paz de Trump no Oriente Médio

Líderes colonos dizem 'muito preocupado' com o Acordo do Século, enquanto Gaza se reúne contra o plano de paz de Trump
Milhares de palestinos lançaram protestos na terça-feira em Gaza contra o plano de paz do presidente dos EUA, Donald Trump, no Oriente Médio, queimando fotos de Trump e da bandeira americana.
Outras manifestações foram planejadas para os próximos dias, com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, que disse ter dado sinal verde também aos protestos na Cisjordânia.

Manifestantes palestinos cantam slogans furiosos durante um protesto contra o plano de paz no Oriente Médio dos EUA, na cidade de Gaza, segunda-feira, 28 de janeiro de 2020.
Com o acordo a ser lançado mais tarde na terça-feira, as tensões estavam aumentando também do outro lado do conflito de longa duração, onde algumas pessoas manifestaram preocupações sobre o acordo de Trump.
O Conselho Yesha, um grupo abrangente que representa colonos judeus que vivem na Cisjordânia, inicialmente se mostrou otimista com as propostas de Trump. Mas os líderes do conselho disseram que foram informados pelas autoridades americanas sobre os detalhes, deixando-os "muito preocupados".
"Não podemos concordar com um plano que inclua a formação de um Estado palestino, que constitua uma ameaça para Israel e um grande perigo para o futuro", disse o chefe do conselho, David Elhayani.
Trump deve divulgar seu plano, em preparação desde 2017, na Casa Branca, juntamente com seu aliado próximo, o zelador de Israel Benjamin Netanyahu, que está lutando contra as acusações de corrupção que ele nega e fazendo campanha para as eleições de 2 de março. Os detalhes da iniciativa permaneceram em sigilo, mas os palestinos temem que ela favoreça fortemente Israel, com as IDF se preparando para possíveis tensões após o seu lançamento .

Gospel Channel com i24News

Trump apresentará plano de paz para Israel e palestinos nesta terça

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou ontem, segunda, (27) que vai apresentar hoje seu plano de paz para o Oriente Médio e espera receber apoio dos palestinos, apesar da forte desconfiança que têm em relação ao governo americano. 



 "Amanhã às 12h (14h de Brasília), vamos anunciar o plano, e é um plano muito grande, será uma sugestão para Israel e os palestinos", disse Trump ao receber o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu no Salão Oval da Casa Branca. 

 "É o mais próximo que já estivemos, e vamos ver o que vai acontecer. Temos o apoio do primeiro-ministro, temos o apoio das outras partes, e pensamos que no final teremos o apoio dos palestinos, mas vamos ver", acrescentou. Trump acredita que os palestinos "vão acabar negociando" com os Estados Unidos e reiterou que o plano é algo que eles "deveriam querer, porque é muito bom para eles", ou até "bom demais para eles". 

 Sem resposta palestina 

De acordo com a mídia palestina local, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, não respondeu hoje a um telefonema de Trump, que supostamente tem tentado entrar em contato com ele desde a semana passada para discutir o conteúdo do plano. 

 Trump pretendia informar detalhes do projeto nesta segunda primeiro a Netanyahu e, em uma reunião posterior, com Benny Gantz, principal rival político do premiê israelense interino. Por sua vez, o primeiro-ministro da ANP, Mohamed Shtayeh, disse hoje que o projeto de Trump "não é um plano para a paz no Oriente Médio, mas para proteger seus promotores" em Israel. 

A Casa Branca adiou várias vezes nos últimos dois anos a apresentação do plano, concebido pelo genro e conselheiro de Trump, Jared Kushner, e as incertezas políticas em Israel influenciaram os cálculos do presidente dos EUA sobre se e quando deveria ser divulgado. A previsível divulgação de algum do conteúdo do chamado "Acordo do Século" coincide com a campanha eleitoral em Israel, que irá às urnas em 2 de março. 

A iniciativa, segundo a mídia do país, poderia abrir caminho para a anexação israelense de parte da Cisjordânia ocupada.

Gospel Channel com EFE

Crocodilo mata pastor durante batismo em lago da Etiópia

Um crocodilo atacou e matou um pastor protestante que realizava um batismo de fiéis no Lago Abaya, em Arba Minch, no sul da Etiópia, no domingo, 3.

Segundo a BBC, Docho Eshete conduzia a cerimônia para cerca de 80 pessoas quando o animal pulou da água e avançou em direção ao líder religioso.

Foto divulgação

O pastor morreu depois de ser mordido pelo crocodilo nas pernas, costas e mãos. 

 "Ele batizou a primeira pessoa e passou para a seguinte. De repente, um crocodilo pulo do lago e agarrou o pastor", afirmou à reportagem da BBC Ketema Kairo, que presenciou o ataque. 

 Segundo o policial Eiwnetu Kanko, pescadores e moradores não tiveram tempo de salvar Eshete. Eles conseguiram apenas usar redes de pesca para impedir que o réptil levasse o corpo do pastor para o fundo do lago. O animal fugiu.

Gospel Channel com BBC 

Tremores de terra são sentidos em São Paulo e Brasília





Um terremoto de magnitude 6,6 na escala Richter sacudiu nesta segunda-feira o sudeste da Bolívia, segundo o Observatório San Calixto, que é referência no monitoramento da atividade sísmica no país andino, e também foi sentido em várias cidades do Brasil, como São Paulo, onde alguns edifícios chegaram a ser esvaziados.

 O tremor ocorreu às 10h40 (horário de Brasília), e, segundo o Observatório San Calixto, o epicentro foi localizado a 658 quilômetros de profundidade em Carandayti, na região de Chuquisaca, perto das fronteiras com Argentina e Paraguai. O sismo teve reflexos em Brasília e em São Paulo, assim como em outras cidades dos estados de Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, onde alguns edifícios chegaram a ser temporariamente esvaziados, mas não há registro de vítimas nem danos materiais.

O tremor também foi detectado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), que atribuiu ao mesmo uma magnitude de 6,8 e situou o epicentro a 557,2 quilômetros de profundidade.

 De acordo ao Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, que também registrou o terremoto em seus sismógrafos, a magnitude do tremor chegou a 6,7 na escala Richter.

Brasil 

Prédios de Brasília e da região central de São Paulo estão sendo evacuados após relatos de tremores de terra na manhã desta segunda-feira. Funcionários de edifícios comerciais da Avenida Paulista e da sede do Ministério Público na Rua Riachuelo, na capital paulista, foram retirados por precaução. Não há relatos de feridos. A terra tremeu no interior e do litoral de São Paulo e em estados do Sul do país, como Paraná e Rio Grande do Sul. 

Em Brasília, prédios localizados em uma de suas principais avenidas, a W3, na altura da quadra 508 Norte, foram evacuados e seus ocupantes receberam orientações do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. “Recebemos vários chamados em todo o Plano Piloto, no Setor de Indústrias e no Guará. 

Não houve nenhum relato de vítimas e nenhuma estrutura foi comprometida. Houve a percepção das pessoas quanto ao tremor, mas não se constatou nenhum problema nas edificações vistoriadas”, informou o capitão Ronaldo Reis, do Corpo de Bombeiros. 

Segundo ele, equipes de vários quartéis de Brasília e cidades vizinhas foram mobilizadas para o atendimento da população, além de membros da Defesa Civil. Em caso de tremor de terra, a orientação para quem sentir os efeitos do abalo é de aguardar o socorro dos bombeiros e da Defesa Civil distante do prédio ou da edificação. Se o abalo for forte, sugere-se procurar uma equipe de engenheiros para avaliar as condições de sustentação do edifício. 
Gospel Channel com EFE

Igreja Universal é investigada por tráfico internacional de crianças

Série de reportagens de emissora portuguesa denunciou esquema comandado pela IURD. A igreja nega e diz que irá processar responsáveis.



O Ministério Público de Portugal vai investigar uma rede de tráfico internacional de crianças liderada pela Igreja Universal do Reino de Deus e a família do bispo Edir Macedo. As investigações acontecem após uma série de reportagens do canal TVI, líder de audiência no país, denunciar que mães tiveram os seus filhos sequestrados por membros da igreja em abrigos ilegais mantidos pela instituição nos anos 90. 

Quem comanda as investigações, abertas na última semana, é o Diap (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Lisboa. De acordo com a Folha de S. Paulo, a Igreja Universal nega as acusações e classificou as reportagens como "campanhas difamatórias". 

A instituição religiosa abriu a primeira igreja em 1989 no país. De lá para cá, se espalhou rapidamente impulsionada pela quantidade de brasileiros residentes em Portugal. Hoje, eles já possuem pelo menos 120 igrejas. 

A série da TVI intitulada O Segredo dos Deuses: Os três irmãos roubados à mãe para um lar da IURD foi ao ar na última segunda-feira (11). A reportagem conta a história de Maria*, mãe de três filhos que foram sequestrados.


Maria* trabalhava e precisava deixar os filhos pequenos em casa sozinhos. Ela pediu ajuda ao Estado, que retirou a guarda de seus filhos e os enviou para um lar de assistência social. De acordo com a legislação, ela poderia visitar as crianças todos os finais de semana e trazê-los de volta ao lar assim que se estabilizasse. Porém, Maria* só viu os três filhos uma única vez naquele ano. Depois, perdeu o conhecimento para onde as crianças foram levadas. De acordo com o jornal, a Igreja Universal mantinha centros de assistência à crianças pobres de forma irregular na década de 1990. O "Lar Universal" era uma mistura de orfanato e casa de assistência social. 

Aberta em 1994, a casa só foi oficializada em 2001 e acabou fechando em 2011, devido a crise financeira. A reportagem da TVI apurou que nestes lares ocorria a adoção ilegal de crianças, sem qualquer acompanhamento formal da justiça. As crianças eram "adotadas" por pessoas de outros países ou por próprios membros da igreja, como bispos e pastores. 

A série da TVI se baseia em mais de 10 mil documentos, em uma apuração que já dura 7 meses, afirma a emissora. Novos episódios sobre o caso devem vir ao ar ainda nesta terça-feira (12). Em nota, a Igreja Universal afirmou que irá processar a emissora portuguesa e acusa o ex-pastor Alfredo Paulo Filho, uma das fontes entrevistadas pela reportagem, como o "líder das denúncias". 

"O referido cidadão deixou de colaborar com a Universal no final do ano de 2013, por acordo voluntário das partes. A sua saída foi motivada pelas suas condutas impróprias, que tornaram insustentável a sua permanência na Igreja Universal do Reino de Deus, não havendo quaisquer condições para que ele prosseguisse com a sua missão espiritual. Ressalvamos que os bispos e pastores têm de manter um comportamento moral irrepreensível, o que não foi o caso de Alfredo Paulo Filho, que assumiu, ele próprio, ter falhado em seus compromissos, nomeadamente com a sua família, com os fiéis e com a Igreja. 

As crianças foram encaminhadas pela Segurança Social e pela Santa Casa de Misericórdia de Lisboa para um Lar –que evidentemente à época não era ilegal–, e vários pais adotivos se candidataram a adotá-las. Contam-se pelos dedos de uma mão as crianças que foram adotadas por essa via –com decisão judicial, sublinhe-se– por casais ligados à Universal".

Gospel Channel com Huff Post Brasil

Atentados contra duas igrejas cristãs no Egito deixam 45 mortos

Explosões em duas igrejas cristãs coptas no Egito deixaram ao menos 44 mortos e mais de 100 feridos neste domingo (9), segundo um comunicado do ministério egípcio da Saúde. O primeiro alvo foi um templo em Tanta, a quinta maior cidade do país, seguido de um ataque em Alexandria, a segunda mais populosa cidade egípcia. Inicialmente, a TV local informava que nenhuma organização havia assumido os ataques. 

O grupo radical Estado Islâmico, no entanto, reivindicou o atentado, por meio de sua agência de notícia, a Amaq. Assim como no restante do mundo, os cristãos do Egito celebravam o Domingo de Ramos, que marca o início da Semana Santa. A explosão em Alexandria, no norte do país, aconteceu na igreja de São Marcos, informou a televisão estatal do país árabe, que não ofereceu mais detalhes sobre o ocorrido. Pela manhã e antes do incidente, o papa copta Teodoro II esteve no lugar para a celebração do Domingo de Ramos, informou a Igreja Copta do Egito. Ao menos 17 pessoas morreram e 48 ficaram feridas, segundo um novo balanço do ministério da Saúde. Já a explosão em Tanta ocorreu na igreja de São Jorge. 




A cidade fica a cerca de 120 km ao norte da cidade do Cairo, capital do país. De acordo a TV local, o explosivo foi colocado debaixo de um banco. O ataque deixou 27 mortos e 78 feridos perto de uma igreja da cidade de Tanta, no delta do Nilo. A polícia isolou a área enquanto o esquadrão antibomba trabalhava no local em busca de outros explosivos. As igrejas cristãs são alvos constantes de atentados. Em dezembro de 2016, o alvo de explosões foi a maior catedral do Cairo, onde 25 pessoas morreram e outras 49 ficaram feridas, muitas delas mulheres e crianças. Esse foi o ataque mais mortal contra a minoria cristã do Egito em anos. 




Visita do Papa

Os ataques deste domingo acontecem 20 dias antes da visita do Papa Francisco, que planeja ir ao Egito nos dias 28 e 29 deste mês, em sua primeira viagem ao Oriente Médio. O pontífice manifestou neste domingo seu pesar aos familiares das vítimas, aos feridos e à população egípcia momentos antes de rezar o Ângelus na Praça de São Pedro do Vaticano. 

"Ao meu querido irmão, Teodoro II, à Igreja Copta e a toda a querida nação egípcia, expresso meu profundo pesar", disse Francisco, durante a tradicional comemoração litúrgica do Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, com a qual deu início aos ritos da Semana Santa. 

O que é a Igreja Copta

Menos conhecida no Brasil, a Igreja Copta é uma das primeiras da história do Cristianismo. Ela nasceu algumas décadas depois da crucificação de Jesus Cristo quando, segundo a tradição, o apóstolo Marcos saiu da Terra Santa e foi fundar a Igreja de Alexandria no Egito. As igrejas caminharam juntas até o ano de 451, quando os coptas se separaram dos outros cristãos por conta de uma discussão sobre a natureza de Jesus. 

A discussão teológica deixou de ser motivo para desavenças e hoje os coptas, os ortodoxos e os católicos são bastante parecidos na fé. Os coptas não acreditam em purgatório, dizem que as almas das pessoas mortas vão direto para o céu, ou para o inferno. A missa copta é rezada em árabe e em uma língua copta milenar.

Gospel Channel News

Túmulo onde Jesus Cristo foi enterrado é aberto depois de séculos para investigações

Pesquisadores da Universidade Técnica Nacional de Atenas conseguiram uma liberação de 60 horas para explorar a edícula onde Jesus Cristo foi enterrado, na Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém. 

O objetivo inicial é conseguir analisar a superfície original da rocha que, segundo a tradição cristã, foi onde o corpo de Jesus Cristo foi sepultado, por volta dos anos 30 ou 33 d.C., explicou Fredrik Hiebert, um dos cientistas. 

 Tumba de Jesus Cristo 

O local em que Cristo foi sepultado não era aberto desde 1555 e se transformou em uma igreja, que também está em processo de restauração. De acordo com análises, a estrutura, que tem em torno de dois metros de altura, resistiu a dois milênios e ainda está de pé, como informa reportagem da revista National Geographic.



Os arqueólogos ficaram surpresos quando moveram o revestimento de mármore que cobria o túmulo por causa da quantidade de material de preenchimento que existia ali. Outra placa de mármore foi encontrada, provavelmente do século 12.




Gospel Channel

Fotos: National Geographic

Na TV, pastor apalpa seios de fiéis para 'expulsar demônios' da feiura

Em igreja evangélica da África, pastor faz de tudo para deixar fiéis satisfeitas. 

Um pastor está provocando uma enorme polêmica em uma emissora de televisão de Gana, na África. Na região, Daniel Obinim transmite os seus cultos, que de tão famosos, ficaram conhecidos em todo o planeta. O motivo disso é a forma como o religioso conduz suas orações, muitas vezes fazendo promessas ditas absurdas. Daniel toca em qualquer parte do corpo de seus fiéis com um objetivo, espantar os demônios da feiura e depressão. No caso dos homens, ele apalpa os pênis sem nenhum problema. Há um culto específico para isso e os rapazes parecem animados e felizes, ao perceberem que estão sendo curados de seis males. 



O religioso africano diz que, no caso dos rapazes, sua mão consegue fazer crescer pênis que estavam "adormecidos". Além disso, ele curaria a impotência sexual. Situação parecida é exibida na TV local com mulheres. Para aumentar os seios de mulheres que se acham feias, ele coloca a mão por dentro das blusas delas e passa alguns segundos ali, aparentemente orando. As moças também rezam para que não seja necessário colocar silicone. O bumbum é outra parte que mostra fiéis não satisfeitas. Algumas também pedem para que Daniel coloque sua mão milagrosa no local.

O pastor, que se diz um homem bondoso, não nega nenhum pedido. Dependendo do mal do fiel, o tratamento do pastor pode ser mais incisivo. Em um dos cultos, um homem aparece deitado. Daniel deixa sobre ele de costas e com seu bumbum fica sentando em cima do rapaz, especialmente na região íntima dele. No Youtube oficial da igreja africana, a descrição diz que o fiel continuava com impotência sexual, mesmo depois de receber a mão do pastor no local íntimo.

Abaixo você vê o vídeo em que o religioso pega nos órgãos sexuais dos fiéis de sua congregação.

 

Gospel Channel

Holandês reconstrói Arca de Noé e está vindo para o Brasil

Uma gigantesca réplica da arca que Noé utilizou para salvar sua família e animais na história bíblica sairá do porto holandês de Roterdã em junho rumo às Américas para divulgar doutrinas religiosas.

 A ideia é de Johan Huibers, holandês de 58 anos, pai de família, carpinteiro e construtor de profissão, que quer dedicar o resto de sua vida a ser mensageiro da religião católica. "Conheci a religião aos 24 anos e agora sou feliz podendo levar ao mundo o que encontrei. Sinto que Deus pôs em meu coração o dever de ajudar os outros e é isso que vou fazer com esta viagem", afirmou. Ao explicar os motivos que o levaram a construir uma réplica da arca, Huibers recordou o ano de 1992, quando trabalhava em uma livraria.



 "Estava no sofá, com meus três filhos, e vi que estavam lendo livros sobre a Arca de Noé. Eles me perguntaram onde estava a embarcação e eu disse que já não existia mais", lembrou. Após lerem a história, os filhos de Huibers pediram a ele que construíssem juntos uma arca similar, e a resposta foi: "Um dia". No entanto, a promessa foi esquecida com o passar do tempo, principalmente porque a família não tinha dinheiro para "financiar o projeto". 

 Aos 33 anos, um pesadelo à noite ressuscitou a ideia. Huibers sonhou que sua província era inundada por uma forte tempestade, como aconteceu com Noé, e esse foi o dia no qual o carpinteiro holandês começou a juntar pedaços de madeira para construir a arca. A construção da embarcação terminou há quatro anos, e inicialmente foi aberta como atração turística. A arca recebeu centenas de milhares de visitantes e o apoio financeiro de milhares de fiéis. 

A obra de Huibers deve começar a cruzar o Atlântico a partir de 30 de junho. O autor do projeto viajará por mais de 8,5 mil quilômetros até chegar ao seu primeiro destino: o Brasil. A previsão é que a embarcação faça paradas em diferentes cidades latino-americanas, entre elas Buenos Aires e Havana, antes de seguir para Estados Unidos e Canadá. A "Arca de Johan", como foi batizada, contará com tecnologia para transmitir a viagem pela internet e receber perguntas de todas as partes do mundo. 

 "Ainda temos coisas a fazer, mas quero iniciar esta aventura que espero que atraia a atenção de muita gente nos destinos", disse Huibers. Por enquanto, turistas do mundo inteiro visitam todos os dias o interior da embarcação em uma viagem aos tempos de Noé, aprendem sobre religião e os eventos históricos relacionados ao Antigo Testamento. "Mais de sete mil pessoas visitaram o barco ao longo da primeira semana. Eu não podia acreditar. Por isso decidimos deixá-lo como um museu turístico religioso até iniciar os planos da viagem e conseguir financiamento", acrescentou. 

 "É um barco muito, muito grande", descreveu Huibers, sobre a arca de 125 metros de comprimento, 29 metros de largura e mais de 2,5 mil toneladas, com capacidade para transportar até cinco mil pessoas. Por fora, a embarcação, cinza e marrom, conta com várias janelas pequenas e réplicas de animais na proa. No interior, um centro interativo, um museu bíblico, uma adega, um teatro, dezenas de escadas e um espaço de eventos e experiências para jovens e adultos baseadas na Bíblia.

Gospel Channel Brasil - EFE

Internacional: França lança 20 bombas na Síria

A França realizou neste domingo uma série de bombardeios em um reduto do Estado Islâmico (Isis) em Raqq, na Síria. Foram destruídos um posto de comando, um campo de treinamento de jihadistas e um depósito de armas e munições, segundo informou o Ministério da Defesa francês. 



O ataque é uma reação aos atentados dos Isis em Paris, que resultaram na morte de 129 pessoas e em 352 feridos. O ataque massivo envolveu doze aeronaves, entre elas dez caças, que decolaram de bases nos Emirados Árabes Unidos e Jordânia. Segundo o governo francês, foram lançadas vinte bombas contra os alvos em solo. O bombardeio poder ser interpretado como o primeiro ato do presidente François Hollande, que definiu o ataque do Isis em Paris, como "um ato de guerra cometido por um exército terrorista".

Gospel Channel com Agências Internacionais

Internacional: Mais de 100 pessoas são mortas em ataque terrorista em Paris

A polícia francesa invadiu a boate Bataclan e matou os três atiradores que mantiveram cerca de 100 pessoas reféns na casa noturna por quase duas horas. As autoridades confirmaram a morte de mais de uma centena de pessoas no local. 



Oficiais disseram que o cenário era de "carnificina". Eles contaram ainda que os terroristas haviam arremessado explosivos nos reféns. Antes da invasão da polícia, um usuário do Facebook postou uma mensagem dizendo que estava dentro da casa de shows Bataclan, onde acontecia o show da banda de rock Eagles of Death Metal no momento do ataque. 

"Eu estou no Bataclan. Primeiro andar", escreveu Benjamin Cazenoves. "Há sobreviventes no interior. Que eles (a polícia) entrem rápido. Estão matando todo mundo. Um por um. Primeiro andar, rápido!". Minutos depois, Cazenoves voltou a escrever: "Vivo. Apenas cortes. Um massacre... corpos por toda a parte". Em depoimento à rádio France Info, um jovem francês contou que conseguiu escapar das rajadas de balas. "Havia um monte de gente ferida no chão. Bem no meio do show chegaram os homens, e começaram a atirar já da entrada. Atiraram na multidão com metralhadoras, eu acho, e gritando 'Allahu Akbar'. O show parou, todo mundo se jogou no chão, mas eles continuaram atirando. Minha mãe estava comigo, nós também nos agachamos. 

De repente alguém disse: 'Eles foram embora'. Nós fugimos, passando por cima de cadáveres, é um pesadelo" A capital francesa é alvo nesta noite de uma série de ataques terroristas. Além do ataque ao Bataclan, dois homens armados com fuzis AK-47 desceram de um carro e abriram fogo contra o bar Le Carillon, no 10º distrito, matando 11 pessoas, informou a polícia de Paris.O jornal francês Le Monde contabiliza sete ataques em toda a cidade. 

Stade de France - Também foram ouvidas explosões nos arredores do Stade de France, onde acontecia o amistoso entre França e Alemanha - dois ataques suicidas e uma bomba. Uma explosão, na reta final do primeiro tempo, foi captada claramente pelos microfones da transmissão. Após o fim da partida, e com as notícias da série de ataques que acontecia na capital francesa, a torcida foi impedida de deixar o local pela polícia e algumas pessoas saíram das arquibancadas e passaram a aguardar no gramado do campo, aterrorizadas. O presidente francês, François Hollande, que foi retirado às pressas do estádio de futebol onde era realizado amistoso, declarou estado de emergência no país, e as autoridades confirmaram que os ataques desta sexta-feira foram coordenados. Na TV, Hollande anunciou o fechamento das fronteiras. "É mais uma provação terrível que mais uma vez nos acomete. Sabemos quem são. 

Sabemos de onde vêm esses criminosos", afirmou. "Nesses momentos muito difíceis temos de ter compaixão e solidariedade. Mas também unidade e sangue frio. Frente ao terror, a França deve ser grande, ser forte. As autoridades devem ser duras e chamar cada um à sua responsabilidade", prosseguiu. 

Brasileiros - Ao menos dois brasileiros ficaram feridos nos ataques terroristas. A informação foi repassada pelo Consulado do Brasil em Paris ao Itamaraty, em Brasília. O Itamaraty ainda não tem detalhes do estado de saúde e da identificação das vítimas. Também não há, até o momento, informações precisas sobre o local em que os brasileiros estavam e como foram atingidos. 

Casa Branca - Em um breve pronunciamento na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, classificou como um "ataque contra a humanidade" os atentados ocorridos na noite desta sexta-feira em Paris, na França. Obama afirmou que as autoridades americanas estão preparadas para auxiliar o governo francês. "Mais uma vez nós vimos uma tentativa ultrajante para aterrorizar civis inocentes", afirmou a jornalistas em Washington.

Gospel Channel com Agências Internacionais

Pastor faz fiéis engolirem cobra e garante: 'Vai virar chocolate'


Um pastor evangélico em Pretória (África do Sul) estava causando polêmica com uma liturgia pouco ortodoxa: Prophet Penuel faz os fiéis da sua congregação engolirem cobra viva. Segundo o religioso, o réptil se transforma em chocolate, contou reportagem do "Metro". 




A página da igreja no Facebook diz que a iniciativa de Penuel funciona, graças à fé dos seus integrantes. 

"Eu fiz e senti o gosto do chocolate. Era diferente, mas o gosto era bom", afirmou um fiel na rede social.

"Eu não estava seguro na primeira vez, mas quando mordi a cobra percebi que era o melhor chocolate que eu havia comido", relatou outro membro da comunidade religiosa End Times Disciples Ministries.



 Penuel defende a crença da transformação divina. No início deste ano, o pastor já havia causado polêmica ao pedir para os fiéis tirarem as roupas para que ele pudesse se sentar sobre os corpos nus e orar.

Gospel Channel com PNF
Reprodução/Facebook(End Times Disciples Ministries)

© 2008-2021 Gospel Channel Brasil
Criado por templateszoo